Gostaria de ser nosso colaborador?

É especialista em alguma das áreas de conhecimento presentes na nossa enciclopédia? Tem gosto pela escrita? Gostaria de ser editor numa enciclopédia em português, integralmente escrita por especialistas? Gostaria de partilhar conhecimento?

Se a sua resposta é sim, então envie-nos o seu CV para geral@knoow.net para que possamos analisar e enviar mais detalhes sobre a forma de colaboração.

 

Áreas para as quais procuramos especialistas:

  •  História do Brasil
  •  História de Angola
  •  História de Moçambique
  •  Medicina
  •  Medicina Veterinária
  •  Filosofia
  •  Sociologia
  •  Contabilidade
  •  Direito
  •  Mecânica
  •  Química
  •  Física
  •  Matemática

 

Alcobaça (Portugal)

Apresentação da cidade de Alcobaça e do seu concelho: caracterização sócio-económica, histórica, heráldica, património histórico, edificado e património natural.

Alcobaça é uma cidade portuguesa e sede de concelho localizado no distrito de Leiria localizada na região Centro e sub-região do Oeste. Segundo os Censos de 2011, a cidade de Alcobaça conta com 5786 pessoas e o município conta com uma área de 408,14 km² e tem uma população de 56 693 habitantes num total de 13 freguesias, a saber: União de Freguesias de Alcobaça e Vestiaria, Alfeizerão, Aljubarrota, Bárrio, Benedita, Cela, União de Freguesias de Cós, Alpedriz e Montes, Évora de Alcobaça, Maiorga, União de Freguesias de Pataias e Martingança, São Martinho do Porto, Turquel e Vimeiro. Faz fronteira com os Concelhos da Marinha Grande a norte, a leste por Leiria, Porto de Mós e Rio Maior, a sudoeste pelas Caldas da Rainha e a oeste pela Nazaré.

 mosteiroalcobaça

História da cidade:

Alcobaça nasceu entre os vales do Rio Alcoa e do Rio Baça. O território actual do concelho foi habitado pelos romanos mas diz a história que a denominação toponímica tem origem árabe. Aquando da Reconquista, a localidade tinha acesso ao mar e à grande Lagoa da Pederneira que atingia Cós. Através deste acesso navegavam embarcações que transportavam para o resto do país frutos deliciosos que se produziam na zona graças à técnica introduzida pelos monges de Cister.

As denominadas Terras de Alcobaça, foram doadas por Afonso Henriques aos monges Cistercienses, em 1153, com a obrigação de as arrotearem. As doações feitas ao longo dos vários reinados vieram a constituir “Os Coutos de Alcobaça”, um vastíssimo território. Os monges de Cister chegaram a ser senhores de 14 vilas.

Os monges de Alcobaça, além da actividade religiosa e cultural, ofereceram aulas públicas desde 1269. Nessas aulas, incluíam estudos de Humanidades, Lógica, Teologia e técnicas agrícolas. Desenvolveram uma grande acção colonizadora e perdurável, pondo em prática as inovações já experimentadas em outros mosteiros da Ordem de Cister. Graças a estas técnicas inovadoras conseguiram arrotear terras, secar pauis, introduzir culturas adequadas a cada terreno e organizar explorações ou quintas, a que chamaram granjas. Joaquim Vieira Natividade refere-se a estes monges como monges agrónomos.

O foral a este território foi concedido por D. Manuel I, em 1514. Em 1567, o Mosteiro de Alcobaça separou-se de Cister, para se tornar cabeça da Congregação Portuguesa, por bula do Papa Pio V. No século XVII, a maioria das terras do couto já pertenciam aos habitantes das vilas e dos seus concelhos.

Alcobaça foi destruída e sofreu grande inundação, devido ao grande terramoto de 1755. A partir desta época o Marquês de Pombal foi um grande impulsionador deste município. Durante as invasões francesas, o Mosteiro de Alcobaça foi alvo de pilharia. Tal como voltou a ser saqueado em 1833. A partir de 1834, com a extinção das ordens religiosas, parte do Mosteiro de Alcobaça foi vendido em hasta pública. A administração cisterciense, que durou cerca de 700 anos, marcou este território não só a nível agrícola. Desta presença existem inúmeros elementos arquitectónicos, sobretudo manuelinos, alguns pelourinhos e muitas casas rurais. Alcobaça foi elevada a categoria de cidade em 1995.
11143227_771871116265410_4374668562634374067_o-1024x576

Património Natural e Edificado:

A cidade de Alcobaça conta no seu Património Edificado com um dos edifícios mais reconhecidos a nível nacional, o Mosteiro de Alcobaça, primeira obra Gótica em Portugal. No Concelho, relevo para os Castelos de Alfeizerão e Alcobaça, Mosteiro de Santa Maria de Cós e os Museus de Faiança e do Vinho. No que respeita ao Património Natural, o Concelho de Alcobaça conta com várias zonas verdes, como o Pinhal de Leiria, a Mata do Gaio, a Mata Nacional do Vimeiro e parte do território faz parte do Parque Natural da Serra de Aire e Candeeiros. Conta com várias praias reconhecidas a nível nacional, como São Martinho do Porto e Pataias.

 

IM000711.JPG

IM000711.JPG

Brasão da Cidade:

O Brasão da Cidade de Alcobaça tem um Escudo vermelho, uma torre de ouro assente num contra-chefe de cinco faixetas ondeadas, três de prata e duas de azul, acompanhada por dois crescentes de ouro; chefe de azul, carregado de três flores-de-lis de ouro. Escudo cercado pelo colar da Ordem militar de Torre e Espada do valor, lealdade e mérito. Coroa mural de prata de cinco torres. Listel branco com os dizeres a negro : ” ALCOBAÇA “.

Acordos de Geminação e Cooperação:

cidade de Alcobaça  conta com 3 acordos de cooperação e geminação, a saber:

  • Aubergenville é uma comuna francesa que tem 12.126 habitantes (sem data disponível)
  • Cacuaco é uma vila angolana de Luanda com cerca de 26.ooo pessoas (desde 31 de Dezembro de 1996)
  • Chicopee é uma cidade do Estado de Massachusetts nos Estados Unidos que contabiliza 54.463 residentes (desde 11 de Janeiro de 1994)
112 Visualizações 1 Total
112 Visualizações

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo

Flag Counter