A-dos-Negros (Óbidos)

A dos Negros é uma aldeia e sede de freguesia com o mesmo nome, pertencente ao concelho de Óbidos, distrito de Leiria. De acordo com os censos de 2011, a população residente na freguesia era de 1489 pessoas.

O território da freguesia é de 16,82 km2 e inclui diversas povoações, nomeadamente: A-dos-Negros, Sancheira Grande, Sancheira Pequena, Gracieira, Areirinha, Casais da Areia e Quinta do Carvalhedo; os casais são Mata Rica, Poupeira, Miranda, Louriçal, Redondo, Cabeças, Chães, Vale Verde, Boavista, Portelinhas, Silval, Vale Mouro, Cautela, Mesquita, Vale da Agulha, Asseiceira, Fonte Nova, Loureiro, Carriço e Gaiteiro. Confina com as freguesias de São Pedro, Gaeiras, Usseira (todas estas do Concelho de Óbidos), São Gregório, A-dos-Francos (ambas do Concelho de Caldas da Rainha) e Carvalhal (esta do Concelho do Bombarral).

Segundo o investigador Pinho Leal o seu nome derivará de Cecílio Negro, um capitão lusitano, que viveu no século I a.C.

História da localidade e freguesia
A freguesia de A-dos-Negros foi criada durante a segunda metade do séc. XVIII, provavelmente alguns anos após o terramoto de 1755.

Antes da conquista dos territórios da região pelos exércitos de D. Afonso Henriques, existiam várias povoações entre Lisboa e Leiria onde residiam importantes núcleos judaicos. Iáhia Aben-Yasich era um importante rabi-mor a quem, segundo o historiador Joaquim Veríssimo Serrão na sua obra História de Portugal, D. Afonso Henriques terá nomeado mordomo e cavaleiro-mor, em recompensa de serviços prestados na luta contra os Mouros, e ter-lhe-à concedido a Aldeia dos Negros. Veríssimo Serrão refere ainda “que esta doação se refere à tomada de Óbidos em 1148, tem que se aceitar a identificação com a actual povoação de A dos Negros, situada a 4 km”.

No Cadastro da População do Reino, efectuado por D. João III em 1527, a Aldeia dos Negros era um pequeno aglomerado com 20 fogos (cerca de 90 habitantes). Em 1757, o número de fogos era já de 122, tendo o povoamento da aldeia sido feito pelos campos adjacentes.

Património Natural e Arquitetónico

A freguesia de A-dos-Negros estende-se por uma área onde numerosos e pequenos cursos de água, afluentes do Rio Arnóia, deslizam pelos seus vales. É neste rio que foi construída uma barragem (a Barragem do Rio Arnóia) que deu origem a uma albufeira cuja maior extensão de água se situa na freguesia de A-dos-Negros.

Relativamente ao património arquitetónico são de destacar as diversas Igrejas e Capelas, as fontes, as quintas bem como os belos largos e ruelas da localidade:

  • Igreja Matriz de Santa Maria Madalena em A-dos-Negros;
  • Igreja do Espírito Santo em Sancheira Grande;
  • Igreja de São Sebastião em Casais da Areia;
  • Capela do Santíssimo Sacramento em A-dos-Negros;
  • Capela do Menino Jesus em Gracieira;
  • Capela N. Sra. Assunção em Areirinha;
  • Capela de Sto. António em Quinta do Carvalhedo;
  • Capela de N. Sra. de Fátima em Casais da Areia;
  • Capela de Sto. Amaro em Sancheira Pequena;
  • Quinta do Rolim e Relógio do Sol em Sancheira Pequena;
  • Quinta do Cabeço;
  • Quinta da Botelheira;
  • Quinta da Moita;
  • Quinta do Carvalhedo;
  • Quinta da Aresta;
  • Fontes (Fonte do Ulmeiro, Fonte Santa, Fonte da Formiga, Fonte do Olival Santo, Fonte da Mina, Fonte do Pingo, Fonte da Escola, Fonte Nova e Fonte do Céu).

De referir ainda as diversas Eiras e as Adegas, o Largo do Coreto e as Ruelas antigas de A-dos-Negros, como a Rua da Calçada, a Rua da Ginja, a Rua da Azinhaga e a da Travessa onde se encontram casas antigas e velhos lagares de vara.

Festas e Romarias

Quanto a festas e romarias salientam-se as seguintes:

  • Santo Amaro (15 de Janeiro)
  • Mártir São Sebastião (20 de Janeiro)
  • Santo António (13 de Junho)
  • Festa do Corpo de Deus (Junho)
  • Santa Maria Madalena (em honra da Santa padroeira da freguesia a 22 de Julho e respectiva Feira)
  • Espírito Santo (Maio ou Junho)
  • Nossa Senhora da Assunção (15 de Agosto)
  • Menino Jesus (25 de Dezembro)

Heráldica

  • Os três Castelos com muralha – representam a Freguesia de A-dos-Negros;
  • Jarra de Vermelho – representa a cerâmica, o artesanato e a tradicionalidade da Freguesia;
  • Dois Ramos de Silva – frutados de púrpura, postos em orla nos flancos e no chefe representam as matas, a agricultura e a silvicultura;
  • Burelas Ondadas – Ponta ondada de azul e prata de cinco tiras, representam o rio Arnóia.

Onde Comer Onde Dormir

Gostaria de anunciar o seu estabelecimento aqui?
saiba como >>>

Gostaria de anunciar o seu estabelecimento aqui?
saiba como >>>
Onde se Divertir O que Visitar
Gostaria de anunciar o seu estabelecimento aqui?
saiba como >>>
Gostaria de anunciar o seu estabelecimento aqui?
saiba como >>>
1063 Visualizações 2 Total
1063 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo