Conímbriga

Apresentação das ruínas de Conímbriga, localizadas no distrito de Coimbra

Apresentação da povoação de Conímbriga, uma povoação que existe desde a Idade do Cobre e que teve uma grande importância durante o Império Romano. É nos dias de hoje um dos maiores e mais completos sítios arqueológicos do país de Portugal e localiza-se em Coimbra.

Conímbriga

Conímbriga é um dos maiores e mais completos locais arqueológicos portugueses com vestígios do Império Romano em Portugal. Conímbriga localiza-se na freguesia de Condeixa-a-Nova e no concelho com o mesmo nome, que por sua vez pertence ao distrito de Coimbra, uma cidade na Zona Centro de Portugal Continental. A fundação da povoação remonta à Idade do Cobre e apesar de não se saber ao certo a origem do nome «Conímbriga» algumas histórias deixadas entre os tempos dizem que o nome está relacionado com os cónios, um povo que habitava no Baixo Alentejo (nome atual da região) e que a esse nome tinha sido aglutinado «briga», um nome céltico e que se teria formado assim o nome «Conímbriga». A formação da povoação remonta ao século XVI no entanto as primeiras escavações na povoação aconteceram no ano de 1898/1899 e foi aí que foram feitas as primeiras sondagens e estudos científicos sobre a povoação que tem vestígios da Idade do Bronze, nos séculos IX e VIII a.C. ou seja, que a povoação foi habitada durante essa época.

Mapa das ruínas de Conímbriga

Mapa das ruínas de Conímbriga

A povoação de Conímbriga tornou-se um importante local na época quando os Romanos chegaram, na segunda metade do século I a.C e graças à paz que se vivia na zona da Lusitania a cidade de Conímbriga começou a ganhar a sua importância e tornou-se uma próspera cidade. Com as invasões bárbaras a cidade de Conímbriga sofreu algumas alterações e em 465 e em 468 os Suevos capturaram e saquearam uma parte da cidade, o que fez com que a mesma fosse parcialmente abandonada.

Edifícios que constituem Conímbriga

Na época de Augusto, o fundador do Império Romano e o seu primeiro imperador, a povoação de Conímbriga foi reformada e o imperador romano enviou arquitetos e artistas para remodelar o espaço e adaptá-lo à forma de urbanismo romano. Como tal surgiram vários elementos ou edifícios:

  • O Anfiteatro: no caso do Anfiteatro de Conímbriga este possuía uma arena de forma oval com cerca de 98 x 86 metros. A entrada no recinto do anfiteatro era feita através de seis túneis, sendo que se localizavam três de cada lado do recinto.
  • O Forum (antigo): o forum antigo foi o primeiro edifício que foi construído pelo povo romano e que se tornou o centro da vida da povoação na cidade de Conímbriga. No forum centralizavam-se as atividades da povoação como as autoridades e o comércio (possuía nove lojas). Uma das partes do forum, chamada cúria e basílica: a cúria era destinada a servir de local de debate entre os homens fortes da povoação, os magistri e na basílica era o local que servia de tribunal.
  • O Forum (novo): o forum novo foi construído quando Conímbriga foi reconhecida como município e como tal o antigo forum foi demolido e substituído pelo novo forum, que por sua vez estava rodeado por muros altos onde se expunham estátuas em homenagem a alguns homens conhecidos da época. Ao contrário do antigo forum, o novo forum já não era um centro de justiça nem de comércio e manteve-se até ao século V.
  • A Praça: a praça tinha um pórtico que a rodeava em três zonas diferentes e um segundo pórtico que servia a varanda do templo. Na praça havia um local de culto mas os vestígios que restam pouco mais conseguem dar a concluir sobre o espaço.
  • O Templo: o templo de Conímbriga encontra-se muito pouco conservado e dele já só restam, nos dias de hoje, algumas pedras. Era no templo que se encontravam as estátuas divinas e como era de reduzidas dimensões, as cerimónias religiosas não eram lá realizadas. O templo estava ligado à zona onde se localizava a praça.
  • As Termas: as termas são também um espaço da época do imperador Augusto. Funcionavam com abastecimento externo de um poço e o edifício tinha três divisões na sua entrada: os vestuários e a zona do segurança. As instalações das termas eram pequenas, no entanto ajudaram a cidade a crescer. As termas tinham três zonas: a piscina de água fria, a piscina de água morna, que era a zona de transição e uma piscina de água quente.

Museu Monográfico de Conímbriga

museu monográfico

Outro dos pontos de destaque de Conímbriga é o Museu Monográfico que se encarrega de divulgar publicamente os achados arqueológicos feitos no sítio da povoação de Conímbriga. O museu foi criado no ano de 1962, ao mesmo tempo que se recomeçou a atividade que explora as ruínas. O museu é dirigido por Virgílio Hipólito Correia e no ano de 2017 o Ministério da Cultura reclassificou-o de Museu Monográfico de Conímbriga para Museu Nacional o que lhe conferiu alguns fundos comunitários destinados à exploração e estudo das ruínas que são classificadas como Zona Especial de Proteção pela Direção Geral do Património Cultural.

161 Visualizações 2 Total
161 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo