Gostaria de ser nosso colaborador?

É especialista em alguma das áreas de conhecimento presentes na nossa enciclopédia? Tem gosto pela escrita? Gostaria de ser editor numa enciclopédia em português, integralmente escrita por especialistas? Gostaria de partilhar conhecimento?

Se a sua resposta é sim, então envie-nos o seu CV para geral@knoow.net para que possamos analisar e enviar mais detalhes sobre a forma de colaboração.

 

Áreas para as quais procuramos especialistas:

  •  Biologia
  •  Economia
  •  História
  •  Medicina
  •  Medicina Veterinária
  •  Filosofia
  •  Sociologia
  •  Contabilidade
  •  Direito
  •  Mecânica
  •  Química
  •  Física
  •  Matemática

 

Zoroastrismo

O Zoroastrismo foi uma religião fundado na antiga Pérsia, podendo ter estado na origem de conceitos basilares para as três grandes religiões do livro, Judaísmo, Cristianismo e Islamismo.

Zoroastrismo

Zoroastrismo

O Zoroastrismo é considerada a primeira religião monoteísta ética, onde estão presentes conceitos como a dualidade entre bem e mal, a ressurreição, vinda de um Messias, paraíso e juízo final. É por este enquadramento dogmático, que o Zoroastrismo é considerado a fonte de inspiração para as três religiões do livro, os judeus ainda esperam o Messias, cristãos e muçulmanos já tiveram esta entidade, Jesus e Maomé respectivamente. As três religiões acreditam no paraíso e no julgamento final de todos os humanos e almas, assim como foi descrito por Zaratustra.

Inicialmente a antiga Pérsia tinha um conjunto de divindades inspiradas na mitologia e teologia Hindu, divindades separadas entre ahuras (senhores) e daivas (deuses). Segundo os escritos, Zaratustra quando executava um ritual de purificação segundo a antiga religião persa num rio, recebeu a visita de Vohu Manah, que o conduziu à presença de Ahura Mazd – Deus, onde foi-lhe revelada a primeira parte da mensagem divina, este seria o primeiro de vários encontros entre Zaratustra e Deus. A ascensão de Maomé aos céus guiado pelo arcanjo Gabriel assemelha-se à génese do Zoroastrismo.

Após receber a mensagem divina, o profeta começou a espalhar a nova perspectiva religiosa pela Pérsia. Os ensinamentos mais sagrados de Zaratustra estão presentes nas Gathas, conjunto de dezassete cânticos redigidos pelo profeta que conjuntamente com outros escritos formam o livro sagrado do Zoroastrismo – Avesta.

Um conceito fulcral para esta religião, e até para a perspectiva do mundo ocidental é a dualidade entre o bem e o mal. Ahura Mazd representa a criação, a luz e tudo o que é positivo, Ahriman representa o oposto, é responsável por todo o que de mau existe no mundo, doença, guerra fome, miséria, á imagem da dualidade cristã entre Deus e Satanás. Segundo a visão do Zoroastrismo, Ahriman será derrotado numa grande batalha final e o bem prevalecerá, à semelhança do Armagedão descrito na Bíblia. Outra corrente teológica do Zoroastrismo tem uma visão distinta, e mais próxima do hinduísmo, cada um tem dentro de si a possibilidade de escolha entre o bem e o mal, não uma dualidade e luta universal e inevitável entre bem e mal.

A fundação do Império Aqueménida no século sexto antes do nascimento de Cristo potenciou ainda mais a religião, tornando-se a interpretação religiosa oficial do Império. Os aqueménidas tinham uma forte tolerância religiosa, permitindo aos povos incorporados nos seus domínios a liberdade de culto. A queda deste império às mãos de Alexandre Magno provocou um ligeiro retrocesso no Zoroastrismo, com diversos tempos destruídos e generalidade dos sacerdotes assassinados.

A morte de Alexandre sem descendentes levou á fragmentação do seu vasto Império pelos seus principais generais. A Pérsia ficou sob o domínio de Seleuco, fundador do Império Selêucida, a tolerância e respeito desta entidade governativa levou a nova expansão desta religião, difundiu-se por todo o Médio Oriente e atingindo as fronteiras da China.

Após a conquista da Pérsia no século sexto depois de Cristo, por parte dos muçulmanos, a generalidade da população converteu-se ao Islão. No século X um grupo de seguidores do Zoroastrismo deixou a Pérsia e fixou-se na Índia, onde permanecem até os nossos dias. Gradualmente os persas foram convertidos ao Islão, é residual o número de seguidores desta fé no actual Irão. Graças à diáspora iraniana, o Zoroastrismo difundiu-se um pouco por todo o mundo, podendo ser encontrados templos actualmente nos Estados Unidos da América, Reino Unido ou Canadá.

Os dogmas fundamentais dos zoroastristas são a imortalidade da alma, crença na vinda de um Messias, ressurreição dos mortos e juízo final, olhando para estas características fundamentais, é facilmente perceptível as semelhanças os o Cristianismo, Judaísmo e Islamismo.

635 Visualizações 2 Total

References:

BOYCE, Mary – Zoroastrians: Their Religious Beliefs and Practices. New York: Routledge, 2002

SMART, Ninian – The World’s Religions. Cambridge University Press, 1998

635 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo