Islamismo

Uma das principais religiões monoteístas. Os que são devotos desta religião acreditam que a sua fé é o culminar de um conjunto de revelações dadas (…)

Uma das principais religiões monoteístas. Os que são devotos desta religião acreditam que a sua fé é o culminar de um conjunto de revelações dadas por Deus (conhecido dentro do Islamismo por Alá), aos profetas hebreus e cristãos do passado. O nome Islão significa “submissão”, “rendição”, ou “entrega” a Alá e expressa a mais íntima atitude daqueles que se tornaram seguidores de Alá. Muçulmano significa aquele que faz ou pratica o Islão. O profeta mais destacado no Islamismo é Maomé, ou segundo o seu nome árabe Mahomed. Que surgiu por volta do sétimo século da EC, portanto posterior ao judaísmo e inclusive ao cristianismo. Na época do nascimento de Maomé os árabes praticavam uma forma de devoção centrada no vale de Meca, no lugar sagrado da Caaba, um edíficio simplista em forma de cubo, onde existe um meteorito negro. De acordo com a tradição islâmica este Caaba foi primeiramente construída por Adão, segundo um protótipo que lhe foi revelado pelos céus e mais tarde, após o Dilúvio foi reconstruído por Abraão e Ismael. Na época era santuário de 360 ídolos, um para cada dia do ano lunar.

À medida que crescia, Maomé começou a questionar alguns dos hábitos dos seus conterrâneos, inclusive algumas das suas práticas religiosas. Por exemplo, é relatado no livro As Religiões do Homem: “Maomé incomodava-se com as incessantes rixas por causa de confessos interesses de religião e honra entre os chefes coraixitas. Mais forte ainda era o seu descontentamento com os grotescos remanescentes na religião árabe, o politeísmo e o animismo idólatras, a imoralidade nas assembleias e quermesses religiosas, a bebedeira, a jogatina e as danças que estavam na moda, e o sepultamento em vida de bebés do sexo feminino indesejados, praticado não apenas em Meca mas em toda a Arábia.”

Por volta dos seus quarenta anos dá-se a sua chamada para ser profeta. Ele costumava de sair para meditar sozinho numa caverna próxima da sua casa, caverna chamada de Gar Hira. Numa dessas ocasiões ele afirmou que recebeu a chamada para ser profeta. De acordo com a tradição islâmica, o Anjo, mais tarde identificado como Gabriel, ordenou-lhe que recitasse em nome de Alá. Visto que Maomé rejeitou fazê-lo o anjo agarrou-o e comprimiu-o, a ponto de Maomé não poder mais suportar. Por três vezes o anjo fez isto, e Maomé não obedeceu. Só depois, Maomé começou a recitar o que foi encarado como a primeira de uma série de revelações que constituem o Qur´ān em árabe (Conhecido em Português como o Corão ou Alcorão). De acordo com outra tradição, a inspiração divina foi-lhe revelada em forma de soar duma campainha.

Este conjunto de revelações constituem o Corão, no entanto, os árabes não conheciam a arte de fabricar papel, portanto, ele foi primeiro um conjunto de tradições orais, repetidas e recitadas, primeiro por Maomé (que era analfabeto), a pessoas que estivessem próximas. Os escribas, que não tinham papel anotavam os recitais no que quer que estivesse disponível, tais como omoplatas de camelo, madeira, folhas de palmeira e outros primitivos materiais de escrita. Apenas a morte do profeta é que o conjunto de revelações de Maomé foi escrito e compilado formando o Corão. De acordo com os seguidores desta fé, o Corão em árabe é a mais pura forma de revelação divina, visto que foi o idioma usado por Deus para que Gabriel transmitisse a mensagem. Sendo assim, existem algumas reservas á tradução do Corão. Ao se traduzir este livro sagrado, dilui-se a sua pureza. Além do Corão, existem mais duas autoridades que governam o islamismo. Elas são o Hadith e o Xariah.

O Hadith, ou Sunna são os “atos, as declarações e a aprovação tácita do Profeta, na forma escrita. É então um registo de dizeres do Porfeta ou dos seus sucessores.

A Xariah, ou lei canónica, regula a vida do muçulmano, em sentido religioso, político e social.

Existem no Islamismo Cinco Pilares de Crença:
1. Crença num Deus único, Alá. (Surata 23:116, 117)
2. Crença em anjos. (Surata 2:177)
3. Crença em muitos profetas, mas numa só mensagem. Adão foi o primeiro profeta. Outros incluem Abraão, Moisés, Jesus e “o Postremo dos Profetas”, Maomé. (Surata 4:136; 33:40)
4. Crença num dia de juízo. (Surata 15:35, 36)
5. Crença na omnisciência e presciência de Deus e na Sua predeterminação de todos os eventos. Todavia, o homem tem liberdade para escolher as suas ações. (Surata 9:51)

Algumas crenças dignas de destaque além destas estão relacionadas com a imortalidade da alma. Alcorão Ensina que o homem tem uma alma imortal que se mantém viva e que as suas acções durante a vida são recompensadas ou punidas após a morte.

Creêm que os meninos devem ser circuncidados.

E existem também os Cinco Pilares da Observância:

1. Repetir o credo (chahada): “Não há deus senão Alá; Maomé é o mensageiro de Alá.” (Surata 33:40)
2. Oração (salat) voltado para Meca, cinco vezes por dia. (Surata 2:144)
3. Caridade (zakah), a obrigação de dar uma porcentagem do que se ganha e do valor de certos bens. (Surata 24:56)
4. Jejum (sawm), especialmente durante a celebração de Ramadão, que dura um mês. (Surata 2:183-185)
5. Peregrinação (hadji). Pelo menos uma vez na vida, todo muçulmano varão tem de fazer a jornada a Meca. Apenas a doença e a pobreza são justificativas lícitas. (Surata 3:97)

323 Visualizações 1 Total
323 Visualizações

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo

Flag Counter