Livro do Levítico

Apresentação do Livro do Levítico

O Levítico é um dos livros da Bíblia, fazendo parte do Pentateuco (ou Torá), e cujo assunto central é a regulamentação do culto entre os hebreus, sendo por isso muitas vezes tratado como a “Torá (ou Lei) dos Sacerdotes”. Tradicionalmente, como para todo o Pentateúco, a tradição atribui a sua autoria a Moisés. Contudo, acredita-se hoje que o seu autor terá sido um escrivão sacerdotal que o escreveu depois do cativeiro na Babilónia. O nome do livro deve-se ao facto de ter sido a tribo de Levi a escolhida para o serviço litúrgico, quer no sacerdódio (família de Aarão), quer no serviços auxiliares.

Muitos estudiosos da Bíblia acreditam que as leis e regras do Levítico se foram desenvolvendo durante centenas de anos, após a entrada do povo na Terra Prometida, sendo composto numa altura em que os sacerdotes se esforçavam pela unificação de Israel após a sua desagregação provocada pelos invasores da Babilónia. O objetivo dos sacerdores era juntar as várias tradições e regras que governavam o modo de vida dos Israelitas. O autor do livro, escreve como se estas regras e tradições tivessem sido dadas por Deus a Moisés no monte Sinai como fazendo parte da Aliança Sinaítica. A finalidade do Levítico era, portanto, levar os Israelitas a seguirem a Lei como forma de atingir a santidade.

No tempo de Jesus, os costumes e rituais eram observâncias das leis do Levítico mas, à medida que o Cristianismo progredia, muitos desses costumes e rituais foram sendo abandonados.

Estrutura do livro do Levítico

O Levítico divide-se em três partes principais:

  1. Espécies e ritual dos sacrifícios entre os judeus: os sacrifícios podiam ser cruentos, com imolação de animais puros (bois, cabras, carneiros e pombos sem defeito), ou incruentos, oferecendo-se pão, farinha, azeite, vinho, sal e incenso.
  2. Consagração de Aarão e dos filhos e pecado de Nadab e Abiú: parte de natureza histórica onde é contada a consagração de Aarão e de seus filhos como sacerdotes e, posteriormente, a falta de Nadab e Abiú, filhos de Aarão, que Deus castigou por terem desempenhado irregularmente o ofício sacerdotal.
  3. Pureza e santidade: lei da pureza e santidades legais e culto de Javé. Começa-se por distinguir os animais puros e impuros, passando depois a apresentar diferentes casos em que os judeus se podiam tornar impuros e indignos de participar no sacrifício e no culto a Deus.

 

1316 Visualizações 1 Total
1316 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.