Abinadabe

Abinadabe pode referir-se a quatro personagens bíblicos diferentes e o seu nome significa Pai Está Disposto, ou Pai é Nobre, ou Generoso. O primeiro Abinadabe a que a Bíblia faz referência é o habitante de uma cidade de Quiriate-Jearim, cidade que está situada no território de Judá, e que fazia fronteira com o território de Benjamin, na Palestina, a uns 14 kilómetros a Noroeste de Jerusalém, e foi no seu lar que a arca do pacto permaneceu durante um tempo. Isto ocorreu nos dias de Samuel, após a arca ter sido devolvida pelos filisteus, por ter causado hemorróidas.

(1 Samuel 7:1) – “Conseqüentemente, os homens de Quiriate-Jearim vieram e levaram a arca de Jeová para cima, e levaram-na à casa de Abinadabe, no morro, e foi Eleazar, seu filho, a quem eles santificaram para guardar a arca de Jeová.”

A arca havia ficado sete meses com os filisteus, que a haviam conquistado durante uma guerra contra Israel. Foram sete meses penosos para eles. Aparentemente, um dos seus filhos, Eleazar foi santificado, ou colocado à parte como sagrado, para cuidar da arca durante o período em que ela permanecesse em casa de Abinadabe. Ela permaneceu em casa de Abinadabe durante os próximos 70 anos, atravessando todo o reinado de Saúl e inclusive parte do Reinado de David. Foi durante o período em que David era o Rei sobre todo o Israel que ele providenciou que a arca fosse transportada para Jerusalém, que havia sido conquistada dos jebuseus. Foi providenciada que a transferência fosse feita usando uma carroça, o que era uma desconsideração da ordem explícita em Números 4:15.

(Números 4:15) – “E Arão e seus filhos têm de acabar de cobrir o lugar santo e todos os utensílios do lugar santo quando o acampamento estiver para partir, e depois entrarão os filhos de Coate para carregá-los, mas não devem tocar no lugar santo de modo a terem de morrer. Estas coisas na tenda de reunião são a carga dos filhos de Coate.”

Desconsiderando esta ordem, David ordenou que Uzá e Aiô, filhos ou descendentes de Abinadabe transportassem a arca numa carroça de bois. Durante esta viagem, os animais quase causaram um transtorno e Uzá tentou agarrar a arca, o que resultou na morte de Uzá. Após esta tragédia foram feitos preparativos para que a arca fosse transportada da maneira ordenada pelo Deus dos hebreus, e esta ocasião resultou em ser uma ocasião festiva para o povo e inclusive para o Rei.

Abinadabe também pode se referir ao segundo filho de Jessé, o segundo irmão mais velho de Davi. Foi o segundo a passar diante de Samuel, e assim como Eliabe foi rejeitado por Deus, apesar de também ele ser um homem belo. Foi chamado para o exército de Saúl para lutar contra os filisteus, mas assim como o resto do exército demonstrou falta de coragem para defrontar o campeão dos filisteus e gigante Golias. David foi enviado pelo seu pai para levar mantimentos quer para Abinadabe, quer para os seus dois irmãos e foi assim que soube deste ataque de Golias ao exército e ao Deus dos hebreus. Esta sua falta de coragem, determinação e falta de fé são os motivos principais pelos quais Jeová rejeitou-o. Ao contrastar com a coragem de David percebemos uma diferença no modo de atuar de cada um dos dois.

Abinadabe também pode se referir a um dos filhos do Rei Saúl, que foi morto pelos filisteus no Monte Gilboa, junto com o suicídio do seu pai após um ferimento, e a morte dos seus irmãos Jonatã e Malquisa. No entanto, visto que nem todos os filhos de Saul morreram, isso foi contra a profecia de uma médium que indicava que todos morreriam.

Abinadabe também pode referir-se a um dos 12 prepostos, que eram provisores de alimentos, do Rei Salomão. Este comissionado “filho de Abinadabe”, também chamado de “Ben-Abinadabe”, casou-se com a filha de Salomão, Tafate, e foi encarregado de prover alimentos para a casa de Salomão por um mês no ano, provenientes de todo o serro de Dor.

1346 Visualizações 2 Total
1346 Visualizações

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo

Flag Counter