Grace Coddington

Grace Coddington, uma vida de moda. Grace nasceu a 20 de Abril de 1941 na Ilha de Anglesey, País de Gales, com o nome de Pamela Rosalind Grace Coddington. O seu interesse pela começou muito cedo quando era uma jovem adolescente e esperava ansiosa pela sua edição da revista Vogue, na altura a sua única janela para o mundo da moda e das tendências.

Aos 18 anos, cansada da falta de oportunidades de Anglesey, decide deixar a ilhar e ir tentar a sorte juntamente com uma amiga para Londres. Pouco tempo de chegar a Londres, descobre um cupão de desconto para um curso de modelo na academia Cherry Marshall, iniciando assim, a sua carreira de modelo.

 

“Ser modelo parecia a maneira perfeita de fugir para um mundo de riqueza e emoção, com oportunidades de viajar e conhecer pessoas interessantes (…). para além, de que eu adoro ver roupas e fotografias bonitas, sempre sonhei em estar lá eu”. – Grace Coddington

No momento exacto em que a sua carreira de modelo começava a ganhar velocidade e visibilidade mundial, ano de 1961, com 26 anos, sofre um grave acidente de carro. Foram necessárias cinco cirurgias reconstrutivas e uma paragem de dois anos até que Coddington pudesse voltar a trabalhar.

Apesar da cicatriz na pálpebra, ainda hoje visível, não deixou de trabalhar como modelo e à sua vida boémia londrina e parisiense, onde convivia com os Beatles, Rolling Stones, o actor Michael Caine ou a cantora Jane Birkin.

Grace Coddington em 1974

Grace Coddington em 1974

Em 1968, decidiu que já não tinha idade para as passarelas e candidata-se a um emprego na Vogue britânica: torna-se responsável pelas fotografias da capa e das páginas de beleza. Beatrix Miller, que era então a directora, dava-lhe liberdade para sair do estúdio.

Numa viagem às Seychelles com Norman Parkinson, inspira-se para iniciar os «travelogues», termo usado para designar os documentários que fazem o relato visual de uma viagem, partindo do olhar do viajante. Aplicando este princípio às sessões fotográficas que fazia por todo o mundo, Coddington concebe uma identidade visual imediatamente reconhecida. A própria Miller viria a elogiá-la por conseguir absorver e captar na imagem o ambiente, os traços e as características de qualquer sítio do mundo onde escolhesse fotografar, sem descurar a imagem da modelo ou as peças de roupa.

Em 1987, deixa a revista e muda-se para os Estados Unidos, ao conseguir um contracto com a marca Calvin Klein. Pouco tempo depois, Anna Wintour é nomeado directora da revista Vogue norte-americana, Coddington chama-lhe para felicitar-lhe o novo posto e Anna convida-a a juntar-se à sua equipa. Coddington nesse momento, admite que sente saudades de trabalhar na revista e decide aceitar o convite.

Em 1988, começa a trabalhar na revista Vogue norte-americana, como directora criativa, trabalho que manteve até 2015. “Uma das grandes heroínas anónimas do nosso negócio”, a “alma e coração da revista, a sua guardiã”, descreveu Anna Wintour, directora da revista, sobre o seu braço-direito criativo.

Grace Coddington era um dos segredos mais bem guardados do mundo da moda!

gracecoddingtonquote

Grace Coddington

Grace Coddington e a sua cabeleira ruiva são inconfundíveis (e tornaram-se conhecidas do público em geral com o filme The September Issue, em 2009) – a sua carreira de 50 anos na indústria da moda fazem dela uma figura incontornável do Mundo da Moda. Muitas vezes, Coddington foi descrita como a editora de moda mais influentes dos últimos 30 anos, produziu algumas das imagens mais memoráveis da moda. Os seus editoriais e fotos, autenticas obras de arte, poderia ser alegre e decadente ou intemporais e misterioso, mas sempre, contam uma história que nos captam a atenção e nos inspiram.

Em 2015, reeditou o livro Grace: Thirty Years of Fashion at Vogue, lançado em 2002, com fotografias de editoriais da revista e histórias sobre o trabalho com personalidades da indústria e celebridades, como Irving Penn, Naomi Campbell ou Manolo Blahnik. Para o Outono deste ano está previsto um novo livro de memórias – um complemento à auto-biografia Grace: A Memoir, publicada em Novembro de 2012 pela Random House.

S.Yarhi-Grace-Coddington

Grace

Após 28 anos à frente da direcção criativa da bíblia da moda, Grace Coddington sai do cargo para trabalhar em projectos externos à Vogue, aos 74 anos, é a primeira vez desde 1988 que Coddington terá permissão para trabalhar em projectos externos à Vogue, incluindo uma fragrância com a casa de moda Comme des Garçons. “Não estou a fugir da Vogue, porque me abriu tantas portas. Mas vai ser bom colaborar e sair e conversar com pessoas. É apenas outra abordagem. Não estou a reformar-me, isso é certo”.

265 Visualizações 1 Total

References:

www.vogue.com

Coddington, Grace. Grace. TURNER, 2013

Chávez, Brenda. El libro rojo del estilo. MR Prácticos – Planeta de Libros

265 Visualizações

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo