Alfaiate

Alfaiate, é o termo para designar o profissional especializado que exerce o ofício da Alfaiataria, uma arte que consiste na criação de roupas masculinas de forma artesanal, personalizada e sob medida, ou seja, exclusivamente de acordo com as medidas e preferências de cada pessoa.

A profissão de um alfaiate vem de longe. Definida como uma das mais antigas do mundo, o termo em inglês tailor existe desde 1297. Nessa época a palavra definia a profissão como “cortador de tecidos”. Já a palavra em português vem do árabe alkhayyát, do verbo kháta que significa coser. De uma forma ou de outra, o papel do alfaiate como conhecemos hoje surgiu junto com a tão falada Moda.

A profissão de alfaiate nasceu com o Renascimento, época em que começa a surgir a preocupação em mostrar as formas do corpo, que o homem passou a dar valor tanto ao corte de uma roupa quanto ao tecido usado em sua construção. A partir daí, não era mais qualquer um que conseguiria confeccionar sua própria peça de roupa. Era preciso um estudo maior do corpo humano e mais de uma pessoa envolvida no processo. Foi aí que o papel do alfaiate cresceu nas sociedades – antes sua importância era a mesma que a de um tecelão.

tailor-shop-vintage-painting

Ilustração de um Loja de Alfaiataria

Um alfaiate precisava ter conhecimento de todo o processo de criação da roupa, desde o principio até ao fim. Ele deveria saber exactamente qual o valor dos tecidos e negociar-lhos, entender na perfeição todas as proporções do corpo humano e muito importante, um alfaiate deveria saber ler e escrever, algo que para a altura já o colocava num patamar muito acima, de qualquer outro comerciante. Além disso, o alfaiate tinha contacto directo com seus clientes da lata burguesia e acabava fazendo parte de círculos sociais mais restritos e invejados.

A partir da Revolução Industrial, Londres tornou-se na cidade estrela para a alfaiataria, que, como forma de rebeldia, trocou as perucas brancas pelo cabelo cortado e os brocados e veludos pelos tons sóbrios de lã. Época responsável pelo nascimento dos primeiros dândis de fato completo e gravata e ponto de partida para Londres tornar-se numa referência em alfaiataria, com o foco principal na tão famosa Savile Row Street, conhecida até hoje pelas suas extraordinárias e históricas alfaiatarias.

A história da Savile Row vem desde 1785. A rua londrina que até hoje, é conhecida pelas suas respeitadas e tradicionais alfaiatarias. Nos anos 60, existiam cerca de 100 alfaiatarias, nos anos 80, o número caiu para 50 e hoje não passam de 20. Mas de qualquer maneira, a rua continua a ser um símbolo da alfaiataria de qualidade, feita à mão com as mesmas técnicas e cuidados desde 1800.

O homem moderno havia surgido e o alfaiate era o seu melhor aliado. Os dândis eram o exemplo perfeito de gentleman, cultos, educados e com um bom gosto que impressionava homens e mulheres e se reflectia na sociedade.

A alfaiataria é a arte de criar roupa masculina, tais como fatos, calças, coletes, camisas, coletes e muitas outras, de corte perfeito e tecidos específicos, que compõem os visuais sociais e de black tie masculinos. As peças são criadas de forma personalizada, sob medida, de forma exclusiva e artesanal.

fashion-1979136_960_720

Um alfaiate, cuida em pormenor os acabados das suas roupas

Para exercer a profissão de alfaiate, é recomendável qualificar-se através de cursos, aprendendo mais que corte e costura, também ergonomia e modelagens.

As áreas de actuação de um alfaiate, hoje em dia, são diversas. Existem:

  • os alfaiates autónomos, que trabalham por conta própria nos seus ateliês;
  • os alfaiates que trabalham nas indústrias da confecção, normalmente como, responsáveis pela modelagem das peças que entrarão na linha de produção em série e pelos acabamentos;
  • os alfaiates que trabalham no comércio ou para grandes cadeias de lojas, responsáveis pelos ajustes das peças, vendidas com tamanhos standard e depois ajustados ao corpo depois de comprados nas lojas.

Um bom alfaiate normalmente desenvolve uma clientela cativa, e são considerados “consultores de moda”, sugerindo e orientando os seus clientes no uso adequado de tecidos, cortes, caimentos, etc, conforme as tendências da moda e características pessoais, como a silhuetas ou os tons de pele.

Actualmente, o termo Alfaiataria também é utilizado para caracterizar roupas, mesmo que industrializada, que apresentam o corte característico das roupas masculinas produzidas artesanalmente, com cortes rectos e precisos e tecidos clássicos.

155 Visualizações 1 Total

References:

RAÚJO, Mário. Tecnologia da confecção. Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa, 1995

BREWARD, Chistopher. The Suit: Form, Function and Style. Reaktion Books, 2016

CRAWFORD, A. C. The art of fashion draping. Second Edition, Fairchild Publications. New York, 1998

LAVER, James. A Roupa e a Moda. Uma história concisa. Cia. Das Letras. São Paulo, 1996

WHITAKER, Sean. The Art of Tailoring: Making Your Project Methodology Fit. Project Management Institute, 2012

155 Visualizações

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo

Flag Counter