Batalha de São Mamede

A Batalha de São Mamede deu-se no decorrer do século XII, e foi essencial para a afirmação política do Condado Portucalense que um pouco depois daria origem a novo reino.

A Batalha de São Mamede ocorreu a 24 de Junho de 1128, nos arredores da actual cidade de Guimarães, em local que a historiografia e arqueologia ainda não conseguiram precisar.

A Reconquista da Península Ibérica aos mouros por parte dos cristãos marcou o decurso da Alta e Plena Idade Média na região. Afonso VI, de Leão e Castela requisita auxílio aos nobres francos no combate aos muçulmanos na segunda metade do século XI.

É neste quadro que Henrique de Borgonha chega à Península, casa com D. Teresa filha de Afonso VI, D. Afonso Henriques nasce desta união, e é-lhe atribuído o Condado Portucalense em 1096 até a sua morte em 1112. Com a morte do marido D. Teresa passa a administrar o condado, na época Afonso Henriques ainda era menor de idade.

O processo de Reconquista possibilitou aos nobres do Condado Portucalense estabelecer uma base de apoio e influência na região. Com a morte de Henrique, os nobres galegos Fernão Peres de Trava e o seu irmão Bermudo tentaram influenciar D. Teresa com vista a união dos territórios galaicos e portucalenses. A estes juntou-se o arcebispo de Compostela, Diego Gelmires, que pretendia controlar os territórios do arcebispado de Braga com quem o arcebispado galego detinha uma rivalidade de séculos.

Os barões portucalenses, face aos avanços dos nobres galegos na região revoltam-se em 1128 originando a Batalha de São Mamede. Destes barões revoltosos são de destacar, Gonçalo Mendes de Sousa, Egas Moniz e Gonçalo Mendes da Maia.

Inicialmente o intuito desta rebelião consistia em colocar Afonso Henriques na administração do condado. Afonso Henriques tinha entrado em conflito com mãe, o que o tornava um líder perfeito para os revoltosos, tinha legitimidade hereditária para ocupar o lugar de conde.

Os barões portucalenses liderados por Afonso Henriques derrotam o exército galego comandado por Fernão Peres de Trava e apoiado por D. Teresa, colocando um ponto final nas aspirações galegas relativamente ao domínio dos territórios portucalenses. Mas mais relevante que isto foi o facto, de esta batalha começar a delinear uma mentalidade muito própria no condado, que culminaria com a formação de um novo reino e coroação de Afonso Henriques como rei de Portugal.

379 Visualizações 2 Total

References:

COELHO, Maria Helena da Cruz e HOMEM, Armando Luís de Carvalho ,(coord. de); Nova História de Portugal, dir. de Joel Serrão e A. H. de Oliveira Marques,vol. III, Portugal em Definição de Fronteiras (1096-1325). Do Condado Portucalense à Crise do Século XIV, Ed. Presença, 1987.

379 Visualizações

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo

Flag Counter