Adolf Hitler Ascenção ao Poder

O partido para o qual Adolf Hitler entrou em 1919 chamava-se  Deutsche Arbeiterpartei (Partido dos Trabalhadores Alemães), foi mais tarde alterado para Deutsche Arbeiterpartei (Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães, ou Partido Nazista ou Nacional). O seu partido, adoptou a Cruz Suástica (segundo os nazis, um símbolo da superioridade ariana) como símbolo e a saudação romana.

Mein Kampf, manifesto político de Adolf Hitler

Passou a ter o apoio da Sturmabteilung (SA), que era uma milícia paramilitar de indivíduos que vestiam camisolas castanhas e que vagueavam pelas ruas a atacar esquerdistas e pequenas minorias religiosas (como por exemplo as Testemunhas de Jeová), e a gritar slogans de propaganda que criou em 1921 para ter o apoio do povo. Uma época marcante é quando em 1923, conhece e alia-se a Julius Streicher, o editor de um jornal violentamente anti-semita (O Der Stürmer) que passa a ser usado para a propaganda pessoal de Adolf Hitler e para expelir ódio anti-semita.

Em 9 de Novembro de 1923, Adolf Hitler tentou adquirir o poder da Alemanha com um golpe de estado conhecido como Putsch da Cervejaria ou Putsch de Munique. O partido tentava desta forma tomar as rédeas do governo bávaro e por fim controlar todo o país. Mas, esta loucura foi controlada pela polícia bávara e Hitler junto com alguns correligionários, como Rudolph Hess, foram presos. Antes de ser preso, porém, e pensando nas consequências da sua prisão, Adolph Hitler pensa no suicídio, algo que concretizaria anos depois quando os seus planos não foram frustrados. Ele consegue, nomear alguns homens para tomar as rédeas do seu partido, enquanto ele estava preso (como Alfred Rosenberg e Gregor Strasser), para que pessoas de esquerda não passem a controlar o partido.  Curiosamente, ele conseguiu fazer deste problema, uma vitória visto que no tribunal foi-lhe dada a oportunidade de fazer a sua defesa sem qualquer restrição temporária. Ele usou o tempo disponível para dirigir-se ao vasto público e apelar às emoções deles (pois nesta altura já acreditava que se conquistava as massas pelas emoções e não pela razão). Por basear o seu discurso num forte sentimento nacionalista ele foi bem sucedido em ter o apoio das massas. Acabou por ser condenado a cinco anos de prisão em Landsberg pelo crime de conspiração com o objetivo de traição. Aí, além de tratamento especial, viu a sua enorme popularidade aumentar e recebeu cartas de apoiantes. Ele passa nove meses na prisão e é aqui que ele escreve o seu manifesto político Mein Kampf. Ao sair da prisão toma uma decisão importante para a sua carreira. “A democracia deve ser destruída pelas suas próprias forças”. Portanto, decide daí em diante não tentar o poder de forma ilegal, mas usar os meios legais á sua disposição para conseguir o poder. Os seus próximos dez anos são usados para alcançar o cargo de chanceler.

A partir daqui, e conjugado com outros factores tais como o desemprego maciço, a humilhação sofrida no Tratado de Versalhes (1919) que pôs fim à guerra mas sobre grandes restrições para a Alemanha, o descontentamento do povo devido ao modo opressivo do governo, o início da Grande Depressão, levaram que a alta burguesia alemã, o clero, e empresários passassem a apoiar a extrema direita, e especialmente o partido de Adolf Hitler.

Nas eleições de 1928, as condições económicas do país tinham melhorado um pouco, em vista da hiperinflação a que estiveram sujeitos anteriormente ter passado. Os nazistas ganharam nessa altura apenas 12 lugares no Reichstag. Porém, com o início da Grande Depressão de 1929, nas eleições de 1930, eles ganharam 107 lugares. Eram nesta altura o segundo partido com mais expressão no parlamento alemão. Dois anos depois, nas eleições do Verão de 1932 eles tornaram-se o partido com maior expressão no Reichstag, com 230 lugares. Para que conseguisse a maioria absoluta Adolf Hitler criou uma coligação com o antigo chanceler Franz Von Papen, para criar um regime autoritário e organizado. No entanto, notava-se em Adolf Hitler uma propensão para a ditadura, portanto, para o controlar foi criado um gabinete que permitia que Hitler se tornasse o chanceler mas debaixo do escrutinío dos conservadores tradicionais, e os nazis seriam uma pequena minoria no gabinete.

Assim, em 30 de Janeiro de 1933, Adolf Hitler foi nomeado chanceler da Alemanha (Reichskanzler). Isto acontece após tentativas do General Von Schleicher de formar um governo viável, por pressionar o filho de Paul Von Hindenburg, na época presidente da Alemanha, a nomear Adolf Hitler como chanceler da Alemanha. Neste empreendimento, foi ajudado por Franz Von Papen, antigo chanceler e opositor de Adolf Hitler que agora estava do seu lado.

658 Visualizações 1 Total
658 Visualizações

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo