Abisague

Abisague (em hebraico אבישג) refere-se a uma personagem das Escrituras Hebraicas, presente na Bíblia no relato de Sdo Primeiro Livro dos Reis. Na sua primeira mênção na Bìblia, ela era uma jovem virgem da cidade de Suném, cidade que ficava localizade a Norte de Jezreel e do Monte Gilboa, no território atribuído à tribo de Issacar. Aparece no relato bíblico durante o reinado de David, quando este rei tinha cerca de 60 anos, e é contemporânea também de Salomão.

David tinha cerca de sessenta anos, e ainda era Rei de Israel. Nessa altura, por causa da idade avançada, ele tinha dificuldades em manter o calor corporal, e mesmo com mantas não conseguia manter-se aquecido.

(1 Reis 1:1-4) (Ou segundo a Versão dos Setenta o Terceiro dos Reis) ” … Ora, o Rei Davi era idoso, avançado em dias; e cobriam-no com vestes, mas não se aquecia. Disseram-lhe, pois, os seus servos: “Procure-se uma moça, uma virgem, para meu senhor, o rei, e ela terá de assistir diante do rei, tornando-se sua enfermeira; e terá de deitar-se ao teu seio, e meu senhor, o rei, certamente se aquecerá.” E foram procurar uma moça bela em todo o território de Israel, e por fim acharam Abisague, a sunamita, e trouxeram-na então para dentro ao rei. E a moça era extremamente bela; e ela veio a ser a enfermeira do rei e servia-o, e o próprio rei não teve relações com ela.

Conforme a referência bíblica, durante o dia Abisague estava à disposição de Davi, trabalhando como uma enfermeira dele, também alegrando o ambiente com a sua beleza juvenil e mantendo um ambiente viçoso. Durante a noite, porém, ela deitava-se com o Rei para mantê-lo aquecido, mas curiosamente as Escrituras fazem questão de referir que ele não teve relações com ela. Isso é mais uma curiosidade que uma referência à moralidade de David, visto que como concubina real, ele tinha o direito de ter relações sexuais com ela. De acordo com as regras do país, e da região, era comum no Médio Oriente que concubinas ficassem para o descendente real de David. Visto que ela estava entre as concubinas de David, ela passaria a ser uma das concubinas de seu filho, Salomão, que foi entronizado com Davi ainda vivo. Nota-se que uma das suas qualidades era a beleza extrema, o que foi um factor relevante na sua escolha, mas em vista das características que identificavam quer a David quer a Salomão, não deve ter sido o factor principal (porque os hebreus destacam mais características de personalidade do que físicas).

Este relato sobre Abisague vem pouco antes da coroação de Salomão, e é relatada posteriormente uma estratégia de um dos seus irmãos para roubar o trono a Salomão. Esta trama envolve Abisague e é a segunda e última vez que Abisague é mencionada no registo bíblico.

(1 Reis 2:13-25) – “Passado tempo, chegou Adonias, filho de Hagite, a Bate-Seba, mãe de Salomão. Então ela disse: “É pacífica a tua vinda?” ao que ele disse: “É pacífica.” E prosseguiu, dizendo: “Tenho um assunto para ti.” De modo que ela disse: “Fala.” E ele continuou: “Tu mesma bem sabes que o reinado ia tornar-se meu e que foi em mim que todo o Israel fixou a sua face para eu me tornar rei; mas o reinado mudou de rumo e veio a ser de meu irmão, porque era da parte de Jeová que se tornou seu. E agora há um pedido que te faço. Não faças a minha face voltar atrás.” Por conseguinte, ela lhe disse: “Fala.” E ele prosseguiu, dizendo: “Por favor, dize a Salomão, o rei, (pois ele não fará a tua face voltar atrás,) que me dê Abisague, a sunamita, por esposa.” A isto disse Bate-Seba: “Está bem! Eu mesma falarei por ti ao rei.” 19 Portanto, Bate-Seba entrou até o Rei Salomão para falar com ele por Adonias. O rei se levantou imediatamente para ir ao encontro dela e curvou-se diante dela. Então se sentou no seu trono e fez pôr um trono para a mãe do rei, para que se sentasse à sua direita. E ela passou a dizer: “Há um pequeno pedido que te faço. Não faças a minha face voltar atrás.” O rei lhe disse, pois: “Faze-o, minha mãe; porque não farei a tua face voltar atrás.” E ela prosseguiu, dizendo: “Dê-se Abisague, a sunamita, a Adonias, teu irmão, por esposa.” Então respondeu o Rei Salomão e disse à sua mãe: “E por que pedes Abisague, a sunamita, para Adonias? Pede também para ele o reinado (porque é meu irmão mais velho do que eu), sim, para ele, e para Abiatar, o sacerdote, e para Joabe, filho de Zeruia.” Com isso o Rei Salomão jurou por Jeová, dizendo: “Assim me faça Deus e assim lhe acrescente mais, se não foi contra a sua própria alma que Adonias falou nesta coisa. E agora, por Jeová que vive, que me estabeleceu firmemente e que me mantém sentado no trono de Davi, meu pai, e que fez para mim uma casa, assim como falou, hoje Adonias será morto.” O Rei Salomão enviou imediatamente por meio de Benaia, filho de Jeoiada; e este passou a lançar-se sobre ele de modo que morreu.

Este Adonias provavelmente era o filho mais velho vivo de David, portanto, a presença de Abisague parece ser colocada para explicar esta trama de Adonias para obtenção do trono. Após a ascenção ao trono, Salomão concedera a Adonias um perdão condicional. Mas, depois Adonias persuadiu a mãe de Salomão, Bate-Seba, a pedir a Salomão que lhe desse Abisague por esposa. Visto que Salomão, convicto de que a solicitação de Adonias não era somente devida à beleza de Abisague, mas, antes, indicava um esforço sutil de fortalecer as pretensões de Adonias ao trono, reagiu de forma irada, revogou o perdão concedido a Adonias e ordenou a morte dele. Não se menciona mais Abisague, mas é provável que ela continuasse como uma das esposas ou concubinas de Salomão (que de acordo com o registo bíblico foram cerca de 1000 entre esposas e concubinas).

 

3092 Visualizações 4 Total
3092 Visualizações

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo

Flag Counter