Gostaria de ser nosso colaborador?

É especialista em alguma das áreas de conhecimento presentes na nossa enciclopédia? Tem gosto pela escrita? Gostaria de ser editor numa enciclopédia em português, integralmente escrita por especialistas? Gostaria de partilhar conhecimento?

Se a sua resposta é sim, então envie-nos o seu CV para geral@knoow.net para que possamos analisar e enviar mais detalhes sobre a forma de colaboração.

 

Áreas para as quais procuramos especialistas:

  •  História do Brasil
  •  História de Angola
  •  História de Moçambique
  •  Medicina
  •  Medicina Veterinária
  •  Filosofia
  •  Sociologia
  •  Contabilidade
  •  Direito
  •  Mecânica
  •  Química
  •  Física
  •  Matemática

 

Pedroto, José Maria

José Maria Pedroto foi um ex-jogador e treinador de futebol, tendo sido uma das figuras do FC Porto, chegando, também a seleccionador nacional.

Biografia de José Maria Pedroto

José Maria Pedroto foi um ex-jogador e treinador de futebol, tendo sido uma das figuras do FC Porto, chegando, também a seleccionador nacional.

Nascido na cidade de Lamego a 21 de Outubro de 1928, José Maria de Carvalho Pedroto viu o seu pai morrer cedo, apenas com sete anos, e isso catapultou a sua ida para a cidade do Porto, onde esteve por pouco tempo, indo morar para Pedras Rubras. Nesse curto espaço de tempo, já sentiu o que era o Futebol Clube do Porto, onde jogou nos Infantis. Em Pedras Rubras, Pedroto jogou no clube local e chamou às atenções do Leixões onde jogou em juniores. Ainda esteve durante três temporadas mas em 1949 foi para o Lusitano de Vila Real de Santo António, por questões de logística e distância. É que Pedroto foi chamado para o cumprimento do serviço militar em Tavira e, assim, ficava mais perto. E foi aí que começou a dar nas vistas. Pedroto era dono de um drible exímio e de uma coordenação motora notável que permitia criar os desequilíbrios no meio-campo adversário para marcar golos. A sua inteligência e visão de jogo foram-se aprimorando com a sua experiência o que viria a ser de maior evidência, mais tarde, como treinador. Como jogador, definia-se, sobretudo, como estratega ou organizador de jogo.600.537617bf0cf2cbcdf941791b

Na sua estreia na I Divisão, em 49/50, Pedroto marcou 12 golos em 25 jogos pelo Lusitano de Vila Real de Santo António e as suas exibições fizeram que o despique pela sua contratação fosse intenso. Ainda assim, viria a concretizar-se, tendo Pedroto assinado pelo Belenenses onde ficou por duas temporadas, tendo completado 54 jogos e marcado 16 golos. A sua qualidade futebolística destacava-se dos demais e o FC Porto não deixou os créditos por mãos alheias. Contratou Pedroto por 500 contos, a transferência mais cara na altura, em Portugal. A sua história no FC Porto, enquanto jogador, começou em 52/53 e tornou-se um ídolo azul e branco, com a conquista de dois títulos de campeão nacional, em 55/56 e 58/59 e duas vitórias na Taça de Portugal, em 55/56 e 57/58. Ao todo, foram 179 jogos e 33 golos em oito temporadas de glória azul e branca. Jogou pela Selecção Nacional em 17 ocasiões.

A sua última temporada enquanto jogador foi em 59/60 e começou logo outra, ainda mais produtiva, a de treinador. Começou por treinar nos juniores do FC Porto mas rapidamente, passou para Seleccionador Nacional dessa mesma camada jovem e mais tarde, chegaria mesmo a Seleccionador Nacional, em Seniores. Estreou-se nos Seniores pela Académica de Coimbra, tendo treinado em clubes como o Boavista, o Varzim, o Leixões, o Vitória de Setúbal e o Vitória de Guimarães. Mas o mais importante e onde deixou a sua marca até aos dias de hoje. Muito do que o FC Porto é hoje, se deve a José Maria Pedroto, directa ou indirectamente.

A sua sagacidade e capacidade técnica e táctica e o seu discurso viral contra as massas eram os pontos de um treinador que revirou o espectro futebolístico em Portugal. Esteve no FC Porto em três ocasiões distintas. A primeira vez foi entre 66 e 69, altura em que vence uma Taça de Portugal. A segunda passagem ocorreu entre 76 e 80, vence uma Taça de Portugal e dois campeonatos e sai do FC Porto porque a administração não acolhia o seu discurso de anti-rivais que ele estabelecera dentro do clube e a saída do clube aconteceu, originando, o episódio do “Verão Quente”, em que Pinto da Costa e diversos jogadores da equipa abandonaram o clube em solidariedade com Pedroto. Mas a história com o clube não terminaria aqui.1900117_10152800056479485_5491095653473791050_n

Pinto da Costa chegava a Presidente do FC Porto e contrata Pedroto para treinador do Porto em 82/83. Começavam aqui as fundações de um Porto dominador internamente e titulado nas competições europeias. Em 83/84, ainda levou o FC Porto à final da Taça das Taças mas já se encontrava muito debilitado devido a doença cancerígena. Faleceu em Janeiro de 85 e não viu o FC Porto tornar-se campeão europeu dois anos mais tarde. Nesse mesmo ano de 85 foi feito Oficial da Ordem do Infante Dom Henrique e dez anos mais tarde, foi feito Grande-Oficial da Ordem de Mérito.

38 Visualizações 1 Total
38 Visualizações

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo

Flag Counter