Gostaria de ser nosso colaborador?

É especialista em alguma das áreas de conhecimento presentes na nossa enciclopédia? Tem gosto pela escrita? Gostaria de ser editor numa enciclopédia em português, integralmente escrita por especialistas? Gostaria de partilhar conhecimento?

Se a sua resposta é sim, então envie-nos o seu CV para geral@knoow.net para que possamos analisar e enviar mais detalhes sobre a forma de colaboração.

 

Áreas para as quais procuramos especialistas:

  •  História do Brasil
  •  História de Angola
  •  História de Moçambique
  •  Medicina
  •  Medicina Veterinária
  •  Filosofia
  •  Sociologia
  •  Contabilidade
  •  Direito
  •  Mecânica
  •  Química
  •  Física
  •  Matemática

 

Mundial 1934

Edição 2
Participantes 16
Organizador FIFA
Anfitrião Itália
Campeão Itália
Vice-Campeão Checoslováquia
Melhor Marcador Oldrich Nejedly (5 golos)
Melhor jogador Giuseppe Meazza
Melhor Guarda Redes Ricardo Zamora
Total de Golos 70 golos marcados

O Campeonato do Mundo de Seleções foi o segundo Mundial organizado pela FIFA, e competiram as seleções masculinas de futebol. O certame foi organizado pela Itália e decorreu entre 27 de Maio de 1934 e 10 de Junho do mesmo ano.

Este Mundial de Seleções foi o primeiro na qual as seleções para participar tiveram que passar por uma fase de qualificação, algo que deu o mote para o que passaria a ocorrer nos anos seguintes. Participaram das eliminatórias 32 seleções e apenas metade destas acabaram por participar no torneio definitivo. O detentor da competição, o Uruguai não se classificou para a competição.

Para escolher a Equipa Anfitriã existiu um longo processo burocrático onde o comité executivo da FIFA reuniu-se por oito vezes até escolher a Itália como país anfitrião. Esta decisão foi tomada pelo Comité numa reunião que decorreu em 9 de Outubro de 1932 na cidade de Estocolmo. Foi escolhida a Itália em detrimento da Suécia em vista do facto do governo italiano ter atribuído um orçamento de 3,5 milhões de liras para o torneio. O dinheiro acabaria por ficar em casa porque a Itália acabaria por se sagrar campeã mundial.

Visto que ao contrário do que aconteceu na primeira edição, em que as equipas foram reticentes a participar, nesta edição 32 selecções manifestaram o desejo de participar. Foram deste modo requeridas eliminatórias para escolher 16 equipas. O campeão Uruguai não participou em protesto pela recusa de várias seleções europeias terem se recusado a viajar para a América do Sul, que o Uruguai tinha sediado. Deste modo, este Mundial foi o único no qual o campeão anterior não participou. Outra ausência notável foram das seleções bretanhas, que se recusaram também a participar por divergências com a FIFA. De acordo com o membro do comité da FA Charles Sutcliffe: “as associações nacionais de Inglaterra, Escócia, País de Gales, e Irlanda têm mais o que fazer no seu próprio campeonato internacional, o qual, para mim, é muito melhor do que um Campeonato Mundial sediado em Roma”.

Apesar de ser a sede, a Itália também teve que se classificar. Foi a primeira e a única vez em que o país organizador não se qualificou de forma automática. As eliminatórias foram arranjadas com base geográfica, o que posteriormente daria o mote para o que aconteceria nas edições seguintes. Visto que o Chile e o Peru desistiram, a Argentina e o Brasil qualificaram-se sem jogarem nenhum jogo.

As dezasseis vagas foram ocupadas por doze equipas européias, três equipas americanas, e uma asiática ou africana (que incluía a Turquia). A vaga remanescente para as equipas americanas, foi decidida apenas três dias antes do início do torneio, num jogo que aconteceu em Roma, entre os Estados Unidos da América e o México, jogo, que a equipa norte americana venceu. Visto que no Mundial anterior poucas equipas europeias estiveram presentes, era também para elas uma estreia neste mundial. O Egipto foi o representante africano, e apenas em 1990 voltaria a estar presente num certame deste tipo, apesar de ser a equipa africana que mais CAN vence.

O torneio foi visto pelo ditador Benito Mussolini como uma maneira de promover o fascismo, visto que teve vários adeptos em especial do centro da Europa.

Foram escolhidas 8 cidades para acolher os jogos. As cidades escolhidas foram: Bolonha (O Stadio Littoriale), Florença (O Stadio Giovanni Berta), Génova (O Stadio Luigi Ferraris), Milão (O Stadio San Siro), Nápoles (O Stadio Giorgio Ascarelli), Roma (o Estádio Nacional do PNF), Trieste (Stadio Littorio) e Turim (O Stadio Benito Mussolini).

Neste torneio os jogos foram todos por eliminatórias. Se os jogos empatassem haveria um prolongamento de 30 minutos, findo o qual, se o empate permanecesse, o jogo seria refeito no dia seguinte. As oito equipas consideradas como cabeças de série foram mantidas separadas. (Elas eram Argentina, o Brasil, a Alemanha, a Itália, os Países Baixos, a Áustria, a Checoslováquia e a Hungria).

Todos os primeiros jogos da primeira ronda foram jogados ao mesmo tempo. A Itália, venceu os Estados Unidos por sete bolas a uma, e onde a figura da partida, segundo o The New York Times, foi o Guarda redes Julius Hjulian. A Argentina, por causa de disputas internas não convocou nenhum dos jogadores finalistas quatro anos antes. Portanto, apesar de estar duas vezes à frente do marcador no jogo com a Suécia, que ocorreu em Bolonha, acabaria por perder por três bolas a duas. O Brasil, também foi eliminado por Espanha, após ser derrotado por 3 bolas a uma. Estavam assim fora, logo na primeira eliminatória todos os participantes americanos. Foi a única vez que as oito melhores seleções eram exclusivamente europeias (Áustria, Alemanha, Checoslováquia, Espanha, Hungria, Itália, Suécia e Suíça).

O primeiro jogo que teve que ser feito pela segunda vez, foi nos quartos de final quando a Itália e a Espanha empataram a uma bola, após prolongamento. Foi um jogo muito duro, com baixas importantes. A lesão do guarda redes Ricardo Zamora no primeiro jogo impediu-o de jogar no dia seguinte, enquanto do outro lado, Mario Pizziolo iria fraturar a sua perna, por jogada dura dos espanhóis. No segundo jogo, a Itália venceu naquilo que pareceu uma batalha, três jogadores espanhóis tiveram que deixar o campo lesionados. Nas meias finais a Itália venceria a Áustria e marcaria lugar na final com a Checoslováquia que passou contra a Alemanha.

A Final foi disputada no Estádio Nacional do Partido Nacional Fascista. Aos 80 minutos, a Itália perdia por uma bola a zero. O empate surge perto do apito final. Depois, no prolongamento os italianos deram a volta ao marcador e sagraram-se campeões do Mundo pela primeira vez.

Itália com a respetiva Saudação fascista

 

531 Visualizações 1 Total
531 Visualizações

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo

Flag Counter