Campeonato Mundial 1970

O Mundial 1970 foi a nona edição do certame e decorreu entre 31 de Maio e 21 de Junho do mesmo ano. O certame foi realizado no México e vencido pelo Brasil. Foram 16 as seleções que estiveram presentes no certame.

Grupo 1

E

Pontos J V D
1
União Soviética União Soviética
5 3 2 1 0 6 1
2
México México
5 3 2 1 0 5 0
3
Bélgica Bélgica
2 3 1 0 2 4 5
4
El Salvador El Salvador
0 3 0 0 3 0 9

Grupo 2

Pontos J V E D
1
Itália Itália
4 3 1 2 0 1 0
2
Uruguai Uruguai
3 3 1 1 1 2 1
3
Suécia Suécia
3 3 1 1 1 2 2
4
Israel Israel
2 3 0 2 1 1 3

Grupo 3

D

Pontos J V E GM GS
1
Brasil Brasil
6 3 3 0 0 8 3
2
Inglaterra Inglaterra
4 3 2 0 1 2 1
3
Roménia Roménia
2 3 1 0 2 4 5
4
Checoslováquia Checoslováquia
0 3 0 0 3 2 7

 

Grupo 4

Pontos J V E D
1
Alemanha Alemanha
6 3 3 0 0 10 4
2
Peru Perú
4 3 2 0 1 7 5
3
Bulgária Bulgária
1 3 0 1 2 5 9
4
Marrocos Marrocos
1 3 0 1 2 2 6

Quartos de Final

Brasil Brasil 4 – 2 Peru Perú

Uruguai Uruguai 1 – 0 União Soviética União Soviética

Itália Itália   4-1 México México

Alemanha Alemanha 3-2 (a.p) Inglaterra Inglaterra

Meias Finais

Brasil Brasil 3-1 Uruguai Uruguai

Itália Itália   4-3 (a.p) Alemanha Alemanha

3º/4º Lugar

Alemanha Alemanha 1 – 0 Uruguai Uruguai

Final 

Brasil Brasil 4-1 Itália Itália

 

A Seleção do Brasil de 1970 venceu todos os jogos das eliminatórias e do próprio Mundial. Algumas das suas estrelas eram  Pelé, Jairzinho, Tostão, Rivellino, Gérson, Clodoaldo, Piazza e Carlos Alberto Torres. O jogo da meia final entre a Itália e a Alemanha foi um dos momentos mais eletrizantes do Mundial porque após um empate a um existiram 5 golos no prolongamento, algo único na história dos mundiais com sucessivas reviravoltas.

 

Em 21 de Junho, no Estádio Azteca, Cidade do México foi a final entre Brasil e Itália, perante cerca de 108 mil assistentes. Sob a arbitragem do alemão Rudolf Gloeckner, a primeira parte do jogo terminou com um empate a 1 bola. Contudo, no final dos 90 minutos a equipa brasileira acabaria por vencer por quatro bolas a uma. Esta vitória serviu também de propaganda política visto que o vencedor Brasil estava no auge da ditadura militar. Este título também fez com que a primeira seleção mundial fosse tricampeã o que significou que ficariam definitivamente com a Taça Jules Rimet. Foi o capitão Carlos Alberto Torres quem levantou a Taça, entregue com carácter definitivo em Mundiais.

 

Curiosidades

Este Mundial foi o primeiro a ser transmitido a cores. Também pela primeira vez foram permitidas substituições durante os jogos. O número de alterações permitidas eram de 2. E foi também a primeira vez que em Mundiais foram utilizados os cartões amarelo e vermelho para advertir jogadores. Esta também foi a primeira vez que num Mundial existiu uma bola oficial fabricada pela Adidas. O nome da Bola foi a Telstar, com pentágonos pretos e hexágonos brancos. Foi usada com sucesso no Europeu de 1968. O motivo foi: o seu desenho e as suas cores iriam facilitar a vista nos aparelhos de TV em preto-e-branco, a maioria da época.

A mesma teve tanto sucesso que passou a representar a bola de futebol no imaginário da maioria das pessoas.

 

 

A mascote oficial do Mundial foi o Juanito. Um rapaz mexicano com um sombrero. 

 

O torneio foi jogador em cinco estádios.

Cidade Estádio Capacidade Construção
Guadalajara Estádio Jalisco 62 384 1952
Léon Estádio Nou Camp 33 943 1967
Cidade do México Estádio Azteca 115 500 1966
Puebla Estádio Cuauhtémoc 46 912 1968
Toluca Estádio Luis Dosal 27 000 1954

 

Melhores Marcadores

Jogador Seleção Golos Marcados
Gerd Muller Alemanha Alemanha 10 golos
Jairzinho Brasil Brasil 7 golos
Teófilo Cubillas Peru Perú 5 golos

Jairzinho entrou na história por marcar em todos os jogos do Mundial. O melhor Jogador do certame foi Pelé, que marcou três golos e acabou por ser tricampeão. o melhor jovem Jogador foi Teófilo Cubillas que haveria de jogador pelo Futebol Clube do Porto.

O Brasil levou uma constelação de craques ao México. Para se ter uma ideia, o quinteto ofensivo era formado pelos principais jogadores das principais equipas do país: Gérson (São Paulo), Pelé (Santos), Rivellino (Corinthians), Jairzinho (Botafogo) e Tostão (Cruzeiro). Todos eles jogavam, nos seus clubes, com a camisa 10. Na seleção, como a 10 já tinha dono desde 1958, eles se dividiram com os outros números. Jair ficou com a 7, Gerson, com a 8, Tostão com a 9 e Rivellino com a 11. A dramaticidade tomou conta da meia final Itália x Alemanha. O capitão alemão, Franz Beckenbauer, jogou desde os 25 minutos do segundo tempo com o braço imobilizado, após deslocar o ombro. Para piorar, foi só nos 30 minutos do prolongamento que ele atuou com o braço enfaixado. Antes, teve de aguentar a dor até a bola parar. O facto, porém, serviu para imortalizar sua imagem como grande capitão da seleção alemã.

60 Visualizações 1 Total
60 Visualizações

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo

Flag Counter