Feitor, Susana

Susana Feitor é uma das atletas mais reconhecidas dentro do atletismo nacional, com vários títulos no sector da marcha enquanto júnior e medalhada em campeonatos europeus e mundiais como sénior.

Biografia de Susana Feitor

Susana Feitor é uma das atletas mais reconhecidas dentro do atletismo nacional, com vários títulos no sector da marcha enquanto júnior e medalhada em campeonatos europeus e mundiais como sénior.

A portuguesa natural de Rio Maior despontou muito nova para o atletismo, mas estava indecisa se haveria de optar pela corrida ou pela marcha. As dúvidas ficaram dissipadas quando terminou em 3º lugar no campeonato nacional de juniores no Porto. Na altura, Susana Feitor tinha 13 anos e fez a prova dos cinco quilómetros marcha contra atletas mais velhas do que ela. Na sua primeira aparição internacional, a atleta nacional torna-se campeã mundial de juniores com apenas 15 anos de idade. Na cidade búlgara de Plovdvid, conseguiu derrotar as adversárias com a sua passada constante, deixou a segunda classificada a mais de 22 segundos e estabeleceu uma nova marca dos campeonatos. No ano seguinte, fica-se pelo 2º lugar e medalha de prata dos Campeonatos da Europa, realizados em Salónica. Nesse ano, Susana foi pela primeira vez, aos Mundiais de Atletismo, e terminou os 10 quilómetros marcha num 17º posto. Em 1992, seguia-se a estreia nos Jogos Olímpicos, em Barcelona. Nem 18 anos tinha e a quantidade de provas internacionais de alto nível constatavam que a portuguesa tinha classe de campeã. No entanto, na prova dos dez quilómetros marcha é desclassificada. Igual desfecho obteve nos mundiais de juniores do mesmo ano. Voltou aos títulos em 1993, na cidade espanhola de San Sebastian, sagrando-se campeã europeia de juniores e nos mundiais de sénior, em Estugarda, finaliza no 10º posto. Em 1994, os campeonatos do Mundo em juniores, decorreram em Portugal, na cidade de Lisboa e a natural de Rio Maior termina no pódio, na 2ª posição e mais uma medalha de prata. Nesse mesmo ano, foi aos Europeus em sénior que decorreram em Helsínquia e finalizou a prova num 8º lugar, bom para a moral e uma evolução mais no seu trajecto profissional que continuou com um 13º lugar na prova de marcha feminina dos Jogos Olímpicos, resultado que foi o seu melhor em Olimpíadas. No ano seguinte aos Jogos de Atlanta, Susana Feitor vai aos Europeus de sub-23 e fica no último lugar do pódio, com a medalha de bronze respectiva. Resultado que repetiu nos campeonatos da Europa sénior, realizados em Budapeste, conseguindo com esse feito, estabelecer um novo recorde nacional. Em 1999, na cidade de Sevilha consegue nova demonstração de qualidade, ficando às portas das medalhas, terminando num meritório 4º posto.

Depois vieram as desilusões para a marchadora portuguesa. Nos Jogos Olímpicos de Sidney, nos campeonatos do Mundo, em Edmonton no ano de 2001 e nos Europeus, em Munique realizados em 2002 não conseguiu regressar aos lugares de topo. As lesões e as desclassificações acabaram por desmotivar a atleta, ela que até chegara a bater o recorde mundial da marcha em pista. Em 2003, Susana Feitor voltava a terminar a prova da marcha nos dez primeiros dos mundiais de Paris, contudo não sentia o apoio necessário para fazer uma boa preparação para a competição dos Jogos Olímpicos do ano seguinte, em Atenas. Na marcha olímpica finaliza no 20º lugar, condicionada por uma lesão. Regressou a Helsínquia, 11 anos depois da participação e do 8º lugar obtido nos Europeus, conseguiu chegar ao pódio, novamente, na marcha dos Mundiais de 2005. E na edição seguinte, mais um resultado bom para o nível da portuguesa, fechando top 5. Vai, pela quinta vez, a uma edição de uns Jogos Olímpicos mas acaba por desistir da prova em Pequim. Em 2009, termina os 20 quilómetros marcha nos dez primeiros nos campeonatos do Mundo, obtendo igual resultado na edição seguinte, em Daegu. Foi convocada para a marcha olímpica do ano de 2012, mas ficou como suplente, não chegando a participar na prova. Em 2014, Susana Feitor contribuiu para a medalha de bronze colectiva na Taça do Mundo de Marcha. Tem mínimos para a participação nos próximos Jogos a disputar na cidade brasileira do Rio de Janeiro, mas ainda não é certo que vá estar em Agosto na competição.

Em Outubro de 1998, é condecorada com o grau de Dama da Ordem Infante Dom Henrique.

 

200 Visualizações 2 Total
200 Visualizações

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo