Gostaria de ser nosso colaborador?

É especialista em alguma das áreas de conhecimento presentes na nossa enciclopédia? Tem gosto pela escrita? Gostaria de ser editor numa enciclopédia em português, integralmente escrita por especialistas? Gostaria de partilhar conhecimento?

Se a sua resposta é sim, então envie-nos o seu CV para geral@knoow.net para que possamos analisar e enviar mais detalhes sobre a forma de colaboração.

 

Áreas para as quais procuramos especialistas:

  •  História do Brasil
  •  História de Angola
  •  História de Moçambique
  •  Medicina
  •  Medicina Veterinária
  •  Filosofia
  •  Sociologia
  •  Contabilidade
  •  Direito
  •  Mecânica
  •  Química
  •  Física
  •  Matemática

 

Abacá

Apresentação do Abacá e das suas principais características: classificação científica, características morfológicas, distribuição geográfica, importância económica; plantação e cultivo da planta.

Apresentação do Abacá

O termo Abacá, também conhecido como cânhamo-de-manila, alvacá, bandala, bananeira-de-corda e ainda bananeira-de-flor, designa um tipo de bananeira nativa das Filipinas, pertencente à família das musáceas e cuja designação científica é Musa textilis. Trata-se de uma planta estolonífera, de pseudocaules cilíndricos que atingem entre 4 e 7 metros de altura.

Abacá

(Musa textilis)

abaca-01 .. .

Classificação Científica

Reino: Plantae
Filo: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Zingiberales
Família: Musaceae
Género: Musa
Espécie: M. textilis
Nome binomial
Musa textilis

.

 

Distribuição Geográfica do Abacá

Embora historicamente as Filipinas sejam o grande centro produtor do Abacá e o país de onde a planta é originária, actualmente muitos outros países exploram a produção desta planta, quer países da região, quer países da América do Norte, América Central e América do Sul, com especial destaque para a Costa Rica e para o Equador.

abaca-02

Plantação de Abacá

O abacá tem uma grande importância económica pois fornece uma matéria têxtil, o cânhamo-de-manilha, constituindo uma das mais importantes matérias-primas para a cordoaria. De facto, as fibras do Abacá, procedentes dos pecíolos das suas folhas, têm entre dois e quatro metros de comprimento, sendo muito resistentes à tensão e à deterioração por efeito da água doce ou salgada, sendo, por isso a matéria-prima preferida para o fabrico de cordas usadas nos navios e nos portos. Pelas mesmas razões é também muito usado no fabrico de cordéis, sacos, linhas e redes de pesca, tapetes e pasta de papel.

Os primeiros pecíolos crescem a partir da base do caule da planta enquanto os seguintes se vão desenvolvendo a partir de pontos sucessivamente mais elevados na haste, de forma que as folhas mais velhas ficam no interior e as mais jovens no exterior, estendendo-se para cima e originando plantas que atingem alturas até 8 metros. É a posição do pecíolo que determina a sua cor e a cor das suas fibras: enquanto as bainhas exteriores têm cor escura, as bainhas interiores apresentam uma cor mais clara. Quando o caule da planta está totalmente preenchido com pecíolos, surge um grande ponto de flor no seu topo. As suas flores são pequenas, de cor creme e rosa-escuro, ocorrem em aglomerados densos. Os frutos, não comestíveis, têm a forma de banana com cerca de 8 cm de comprimento e 2 a 2,5 cm de diâmetro, possuem pele verde e polpa branca. As sementes são de média dimensão e de cor preta.

Cultivo da planta

O Abacá gosta de solos argilosos bastante ricos e com boa drenagem. A sua propagação dá-se a partir de pequenos pedaços de ‘porta-enxerto’ maduro que deve ser plantado no início da estação das chuvas. Cerca de 18 a 24 meses após a plantação, ficam prontos para a colheita dois ou três caules de cada esteira e, a partir daí, é possível colher duas a quatro hastes em intervalos de quatro a seis meses. O caule, com os seus pecíolos circundantes, é cortado junto ao solo, geralmente na época da floração e a planta é geralmente substituída de dez em dez anos.

1392 Visualizações 1 Total
1392 Visualizações

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo