Ácido fólico – Vitamina B9

A vitamina B9, também conhecida como ácido fólico ou folato, é uma vitamina do complexo B que à semelhança das outras vitaminas deste grupo funciona como uma parte integrante de uma coenzima em reações enzimáticas do metabolismo celular. É uma vitamina hidrossolúvel cuja principal função está associada à síntese e à reparação do DNA.

A palavra folato deriva do latim folium que significa folha, aludindo para o fato de que vegetais de folha verde escura apresentam elevados teores desta vitamina. O termo folato e ácido fólico são geralmente usados como sinónimos mas alguns autores reservam o termo folato quando este é proviniente naturalmente dos alimentos e ácido folico quando este vem na forma de suplemento ou alimento fortificado.

O ácido fólico é uma molécula constituída por três componentes:

a) Uma pteridina;

b) Um ácido para-aminobenzóico, geralmente abreviado para PABA;

c) E um ou mais resíduos do aminoácido ácido glutâmico (também conhecido como glutamato).

O ácido fólico é biossintetizado pelas plantas: a porção de pteridina é produzida no citosol, o PABA é formada em plastídios, e as duas são acoplados  e glutamiladas nas mitocôndrias das células vegetais.

A maior parte do ácido fólico que se encontra naturalmente nos alimentos contém 3 a 11 resíduos de glutamato. Um resíduo de glutamato é normalmente removido no intestino delgado antes da absorção. O ácido fólico sintético ou ácido pteroilmonoglutâmico que normalmente se usa na fortificação dos alimentos contém apenas um resíduo de glutamato e é a forma mais estavel de todos os folatos.

Funções no organismo

No corpo humano, o ácido fólico é convertido em ácido tetraidrofólico (THFA, do inglês Tetrahydrofolic acid) que funciona como uma coenzima que está envolvida em diversas funções:

a) síntese do ácido desoxirribonucleico (DNA) necessária para uma divisão celular normal;

b) produção dos glóbulos vermelhos;

c) metabolismo de aminoácidos, incluindo o catabolismo da histidina a glutamato, a interconversão da serina a glicina e a conversão de homocisteína a metionina.

Dose diária recomendada e fontes alimentares

As doses recomendadas de ácido fólico são dadas pela fórmula de equivalentes de ácido fólico alimentar (DFE do inglês dietary folate equivalents ). O cálculo para os DFEs  prevê que a biodisponibilidade do ácido fólico alimentar (isto é, o ácido fólico proviniente dos alimentos ingeridos na dieta) é quase 50 por cento inferior à do ácido fólico suplementar (isto é, o ácido pteroilmonoglutâmico). Assim, a biodisponibilidade varia de acordo com a forma de ácido fólico ingerida na dieta:

a) 1 µg equivalentes de ácido fólico alimentar corresponde a 0,6 µg de ácido fólico de alimentos enriquecidos ou de um suplemento tomado às refeições;

b) 1 µg equivalentes de ácido fólico alimentar corresponde a 0,5 µg de um suplemento tomado de estômago vazio.

A dose diária recomendada tanto para homens como mulheres é de 400 µg DFEs. Para mulheres grávidas é de 600 µg DFEs e para mulheres a amamentar é de 500 µg DFEs.

Esta vitamina está presente em diversos alimentos e ocorre naturalmente no fígado, na gema de ovo e nos produtos hortícolas. Os cereais de pequeno-almoço enriquecidos são uma fonte alternativa de ácido fólico.

Todavia, esta vitamina é extremamente suscetível à oxidação, ao congelamento, ao aquecimento e ao cozimento, havendo perdas de 50% a 95% do conteúdo alimentar do folato durante esses processos

Carência

A carência desta vitamina pode levar à anemia megaloblástica: a ingestão insuficiente de ácido fólico leva a uma inadequada síntese de DNA, o que compromete a divisão celular das células precursoras dos glóbulos vermelhos.

A carência durante a gravidez pode levar à formação deficiente do tubo neural do feto com consequentes malformações congénitas.

4967 Visualizações 2 Total

References:

  • Díaz de la Garza R.I., et al. (2004)  Folate biofortification in tomatoes by engineering the pteridine branch of folate synthesis. Proc Natl Acad Sci USA, 101(13): 720–13725.
  • Institute of Medicine (US) Standing Committee on the Scientific Evaluation of Dietary Reference Intakes and its Panel on Folate, Other B Vitamins, and Choline. Dietary Reference Intakes for Thiamin, Riboflavin, Niacin, Vitamin B6, Folate, Vitamin B12, Pantothenic Acid, Biotin, and Choline. Washington (DC): National Academies Press (US); 1998. 6, Niacin. Available from: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK114304/
  • Reynolds, E. (2006).  Vitamin B12, folic acid, and the nervous system. Lancet Neurol, 5: 949–960.
4967 Visualizações

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo

Flag Counter