Gostaria de ser nosso colaborador?

É especialista em alguma das áreas de conhecimento presentes na nossa enciclopédia? Tem gosto pela escrita? Gostaria de ser editor numa enciclopédia em português, integralmente escrita por especialistas? Gostaria de partilhar conhecimento?

Se a sua resposta é sim, então envie-nos o seu CV para geral@knoow.net para que possamos analisar e enviar mais detalhes sobre a forma de colaboração.

 

Áreas para as quais procuramos especialistas:

  •  História do Brasil
  •  História de Angola
  •  História de Moçambique
  •  Medicina
  •  Medicina Veterinária
  •  Filosofia
  •  Sociologia
  •  Contabilidade
  •  Direito
  •  Mecânica
  •  Química
  •  Física
  •  Matemática

 

Quinoa

A quinoa (Chenopodium quinoa Willd.) é um pseudo-cereal e é uma planta nativa da região andina.

Produção e consumo de quinoa

A quinoa é um pseudo-cereal cultivada tradicionalmente para suster nutricionalmente as populações indígenas dos Andes.

Esta planta não pertence à família gramíneas (trigo, cevada, arroz, milho, etc) mas produz sementes que podem ser moídas e transformadas em farinha e pode ser usada como um cereal e é, por isso,  referida habitualmente como um pseudo-cereal.

As suas sementes  comestíveis (ver Figura 1) são pequenas, redondas e achatadas. A cor das sementes pode variar desde do branco ao cinzento e ao preto, ou pode ser amarelo e vermelho.

Quinoa é cultivada principalmente no Peru, Bolívia, Equador, Argentina, Chile e Colômbia, embora nos últimos anos tenha sido introduzida na Europa, na América do Norte e em África.

O consumo anual de quinoa na Bolívia e no Peru é de 2,37 kg/pessoa e 1,15 kg/pessoa, respectivamente, enquanto que nos Estados Unidos o consumo é de 0,03 kg/pessoa.

Esta planta é tolerante ao frio, ao sal e à seca e pode ser cultivada em grandes altitudes nas zonas de montanha.

A quinoa cresce em muitas altitudes diferentes, desde o nível do mar até a altura do planalto Altiplano boliviano e sob várias condições climáticas.

É uma das poucas culturas que cresce num solocom um elevado nível de salinidade no sul da Bolívia e no norte do Chile.

Figura 1 – Quinoa branca crua e cozida.

Figura 1 – Quinoa branca crua (à esquerda) e cozida (à direita).

A quinoa e o seu valor nutricional

A quínoa (ver tabela 1) possui um teor elevado de proteínas, lípidos e minerais (cinzas).

Tabela 1 – Tabela nutricional. Os nutrientes estão em g/100 g de material comestível. Fonte Vilcacundo & Hernandez-Ledesma, 2017.
Quinoa crua
Energia (kcal)

357–368

Proteína

13.1–16.7

Lípidos

5.5–7.4

Glúcidos

59.9–74.7

Fibra

7.0–11.7

Cinzas

2.7–3.8

 

O teor proteico das sementes de quinoa varia entre 13,1% e 16,7%, sendo superior ao teor proteico do arroz, da cevada, do milho e do centeio e ligeiramente superior ao do trigo.

Quanto ao tipo de proteínas encontradas na quinoa, as albuminas e as globulinas representam as principais proteínas de armazenamento, totalizando 35% e 37%, respectivamente. Também estão presentes as prolaminas mas em baixas concentrações.

A proteína da quinoa é considerada de boa qualidade devido a uma composição de aminoácidos equilibrada e à presença todos os aminoácidos essenciais.

A quinoa não tem glúten e, portanto, é adequado para pacientes celíacos.

O teor lipídico também é considerável representando 5.5–7.4 %, valor bem mais elevado do que do trigo e do arroz.

A composição lipídica é semelhante ao óleo de soja. Os ácidos gordos insaturados em maior quantidade são: o ácido linoleico  (49.0–56.4%), o ácido oleico (19.7–29.5%) e o ácido alfa-linolénico (8.7–11.7%). O ácido gordo saturado em maior quantidade é o ácido palmítico (≈10%).

Quanto às vitaminas (ver Tabela 2), a riboflavina (B2), a piridoxina (B6) e o ácido fólico também são mais altos do que os da maioria dos outros grãos, como trigo, arroz, cevada e milho. A vitamina E está em maior concentração que no trigo.

Contudo, o teor de tiamina é inferior ao da aveia e da cevada.

 

Tabela 2 – Teor de vitaminas da quinoa. Fonte Vilcacundo & Hernandez-Ledesma, 2017.
Vitaminas      Quantidade (mg/100 g de matéria seca
Ácido ascórbico (C)      

4.0–16.4

Ácido fólico (B9)

0.2 0.1

Niacina (B3)

1.1–1.5

Piridoxina (B6)

0.5 0.3

Riboflavina (B2)

0.3–0.4

Tiamina (B1)

0.3–0.4

Tocoferol (E)

2.6–5.4

O teor mineral da quinoa (ver Tabela 3) varia consideravelmente. As suas sementes apresentam um alto teor de cálcio, magnésio, ferro, cobre e zinco.

 

Tabela 3 – Teor de minerais da quinoa. Fonte Vilcacundo & Hernandez-Ledesma, 2017.
Minerais      Quantidade (mg/100 g de matéria seca) 
Cálcio

27.5–148.7

Cobre

1.0–9.5

Ferro

1.4–16.7

Fósforo

140.0–530.0

Magnésio

26.0–502.0

Potássio

696.7–1475.0

Sódio

11.0–31.0

Zinco

2.8–4.8

Além dos nutrientes, a quinoa contém compostos amargos e tóxicos, especialmente na casca e, por isso, as sementes são frequentemente polidas e lavadas.

As saponinas constituem o fator antinutricional mais abundante na quinoa.

 

203 Visualizações 1 Total

References:

  • Nowak, V. et al. (2016). Assessment of the nutritional composition of quinoa (Chenopodium quinoa). Food Chemistry, 193: 47–54.
  • Vilcacundo, R. & Hernandez-Ledesma, B. (2017).Nutritional and biological value of quinoa (Chenopodium quinoa ). Current Opinion in Food Science, 14:1–6.
203 Visualizações

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo

Flag Counter