Gostaria de ser nosso colaborador?

É especialista em alguma das áreas de conhecimento presentes na nossa enciclopédia? Tem gosto pela escrita? Gostaria de ser editor numa enciclopédia em português, integralmente escrita por especialistas? Gostaria de partilhar conhecimento?

Se a sua resposta é sim, então envie-nos o seu CV para geral@knoow.net para que possamos analisar e enviar mais detalhes sobre a forma de colaboração.

 

Áreas para as quais procuramos especialistas:

  •  História do Brasil
  •  História de Angola
  •  História de Moçambique
  •  Medicina
  •  Medicina Veterinária
  •  Filosofia
  •  Sociologia
  •  Contabilidade
  •  Direito
  •  Mecânica
  •  Química
  •  Física
  •  Matemática

 

Pseudópode

Um pseudópode é uma projecção temporária da membrana plasmática que é sustentada por filamentos de actina e que é responsável pela fagocitose e pelo movimento das amebas. Este termo deriva das palavras gregas pseudo (falso) e podo (pé).

Pseudópodes e o movimento ameboide

Os pseudópodes são o principal meio de locomoção amebas. As amebas são seres unicelulares eucarióticos conhecidas por se “rastejarem” nas superfícies por onde se deslocam.  Este movimento característico produzido pelos pseudópodes é chamado movimento ameboide.

Pseudópodes e a fagocitose

Para além da locomoção, as amebas também usam os pseudópodes para capturar alimentos, cercando-os e formando um vacúolo em volta. Este é um processo de fagocitose.

Os neutrófilos que são glóbulos brancos do sistema imunitário também produzem pseudópodes na hora de cercarem e fagocitarem os elementos estranhos ao organismo, como células bacterianas patogénicas.

Os pseudópodes e os microfilamentos de actina

É aceite que as protrusões da membrana das células a que chamamos pseudópodes são alterações na forma da célula que surgem em resposta a estímulos externos e que são alimentadas pela polimerização da actina.

De fato, a formação e a retração dos pseudópodes é baseada na polimerização ou na despolimerização regulada dos filamentos de actina.

Formação dos pseudópodes

A extensão dos pseudópodes é guiada pela quiomiotaxia. Inicialmente, as células não móveis estão ligadas a uma matriz extracelular subjacente e que muito provavelmente essa ligação se faz através de receptores de integrina na superfície celular. Por exposição a um gradiente solúvel de um quimioatractante (um sinal químico) que liga e activa receptores da superfície celular, as células detectam a direção do sinal e amplificam o sinal internamente. Estes sinais vão promover a polimerização de actina localizada no lado voltado para o gradiente, formando uma projeção membranar, o pseudópode.

Estruturas relacionadas  com os pseudópodes

Existem outras estruturas protrusivas da membrana plasmática como os lamelipódios e os filopódios preenchidos por uma densa massa de filamentos de actina.

Os lamelipódios são em células epiteliais, em fibroblastos e em alguns neurónios e têm a forma de folha.

Já os filopódios têm a forma de dedos.

598 Visualizações 3 Total

References:

  • Alberts, B., Johnson, A., Lewis, J., Raff, M., Roberts, K., & Walter, P. (2002). Molecular biology of the cell(4th ed.). New York: Garland Science.
  • Chodniewicz, D. & Klemke, R.L. (2004). Guiding cell migration through directed extension and stabilization of pseudopodia. Experimental Cell Research 301: 31– 37.
  • Cooper, G. M., & Hausman, R. E. (2013). The cell: a molecular approach(6th ed.). Washington: ASM; Sunderland.
598 Visualizações

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo

Flag Counter