Nidificação

Conceito de nidificação, as principais características e os indivíduos que apresentam este tipo de comportamentos…

Conceito de Nidificação

Nidificação é o termo utilizado para designar o comportamento de fazer um ninho. Este comportamento é normalmente associado às aves, que o utilizam para encubar os seus ovos. No entanto, este comportamento pode ser observado em diversas espécies desde répteis a mamíferos, incluindo no ser humano.

 

Construção de ninhos

A construção do ninho varia consoante a espécie. Em alguns casos ambos os membros do casal (macho e fémea) constroem o ninho, em outros casos a própria construção do ninho constitui uma parte do ritual de acasalamento, uma vez que alguns machos ou fémeas constroem os ninhos como forma de atrais parceiros. Este tipo de comportamento está normalmente associado a uma época específica do ano, na época de acasalamento.

O ninho pode ser utilizado apenas enquanto as crias são pequenas e posteriormente é abandonada. No caso de certas aves (migratórias) o ninho mantém-se de ano para ano, sendo que a ave retorna ao mesmo ninho todos os anos para encubar os seus ovos. Em muitos casos os ninhos não são construídos em locais com características específicas, mas no caso de certas espécies são construídos próximos uns dos outros para assegurar uma maior proteção contra predadores. Estes ninhos são normalmente construídos com palha seca e materiais que se encontram nas proximidades do ninho.

 

Cuidados parentais:

Este comportamento é típico em animais que vão ter descendentes. Estes indivíduos procuram tornar, o local onde vivem, confortável para a descendência, assim como torna-lo seguro de forma que a descendência e os progenitores não corram perigo por parte de predadores.

O termo nidificação também está associado, não à construção de um ninho, mas em encontrar um local onde a progenitora e a cria possam ficar em segurança durante o parto e o tempo que se segue. No caso de algumas espécies pode significar procurar uma toca protegida, ou simplesmente na acção de reunir objectos que possam ser necessários.

Por exemplo, um cão que se encontram prestes a ter as suas crias pode tornar-se mais agressivo e começar a recolher e a reunir objectos, como mantas, roupas ou brinquedos, num único local. Além dos cães outros animais domésticos, assim como selvagens (lobos, raposas…), podem apresentar comportamentos semelhantes.

No caso dos coelhos e de alguns roedores, as progenitoras fazem um buraco no chão que posteriormente enchem de palha e ervas, podendo chegar a arrancar o próprio pelo, tornando o espaço mais acolhedor para receber as suas crias.

 

Nidificação humana:

O ser humano também apresenta este tipo de comportamento ao preparar o quarto e a casa para receber o recém-nascido. Neste caso a progenitora pode sentir a necessidade de fazer uma limpeza a fundo na sua casa, comprar objectos novos e deitar fora objectos antigos, mudar a decoração do quarto do bebé, assim como refazer a mala para o hospital vezes sem conta, entre muitos outros comportamentos.

 

Comportamento hormonal ou social?

A existência deste tipo de comportamento está associada a um aumento ou diminuição de determinadas hormonas (progesterona, estradiol, prolactina…), no corpo da progenitora, levando ao desenvolvimento de determinados comportamentos. Estes comportamentos devem-se muitas vezes a uma tentativa por parte dos progenitores de assegurar que a cria cresce e se desenvolve, atingindo a idade adulta, aumentando a taxa de sobrevivência dos descendentes.

O momento em que cada progenitora decide começar a criar um ninho varia consoante a espécie. Em alguns casos as criação do ninho ocorre logo no início da gravidez enquanto noutras espécies pode ocorrer muito perto do seu final.

No caso dos machos que constroem os ninhos, este comportamento já não está associado a variações hormonais mas antes surge como reacção ao comportamento das fêmeas, estando por isso relacionado com factores externos. Estes casos são bastante comuns em espécies de aves ,como é o caso das pombas.

O comportamento de nidificação também pode surgir em indivíduos que não se encontram grávidos, nesses casos é normalmente associado a falsas gravidezes, não havendo por isso libertação de hormonas que expliquem o comportamento. Apesar de ser muito comum, o comportamento de nidificação pode nem sequer surgir, como é o caso de algumas espécies que não desenvolvem cuidados parentais.

Este comportamento pode estar em risco devido à ausência de locais de nidificação, muitas vezes relacionada com o aquecimento global, assim como com a destruição de habitats. Outros problemas com a nidificação, no caso das aves, é a construção dos ninhos em áreas cultivadas, na época de colheitas ou na preparação dos campos, muitos dos ninhos são destruídos e as crias mortas por não terem sido vistos pelos operadores da colhedeira. Estes comportamentos humanos (utilização de tecnologia na agricultura, destruição de habitats…) começam a por em causa o sucesso reprodutivo de algumas espécies.

962 Visualizações 1 Total

References:

Rego, Marcia; Albuquerque, Patricia (2006). Aspectos da Biologia de Nidificação de Centris flavifrons (Friese) (Hymenoptera: Apidae, Centridini), um dos Principais Polinizadores do Murici (Byrsonima crassifolia L. Kunth, Malpighiaceae), no Maranhão, Brasil. Neotropical Entomology 35(5)

Dodman, Nicholas (2015). Understanding canine maternal Behavior.Petplace. Consultado em: Fevereiro 29, 2016, em http://www.petplace.com/article/dogs/behavior-training/normal-behavior/canine-maternal-behavior

 

962 Visualizações

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo

Flag Counter