Metazoário

Apresentação dos Metazoário, um grupo de seres eucariotas que inclui quase todos os animais; apresentação das suas principais características (…)

O grupo dos metazoários ou Metazoa inclui quase todos os animais. Algumas formas rudimentares que não chegam a formar tecidos ou órgãos especializados como as esponjas, por exemplo, não são agrupados nos Eumetazoa (animais com verdadeiros tecidos).

Os metazoários são animais eucariotas, pluricelulares, com órgãos e sistemas de órgãos que se estruturam contribuindo para um nível de especialização que pode variar desde o mais simples, como nos cnidários (medusas, corais, etc.) ao mais complexo e organizado, como nos mamíferos.

 

Simetria radiada: Medusas e corais

Os metazoários mais simples apresentam simetria radiada (Radiata), como os cnidários. Estes animais são diblásticos, ou seja, possuem apenas duas camadas embrionárias de células, a ectoderme e a endoderme. A digestão ocorre numa cavidade gastrovascular. Possuem células especializadas na epiderme com função de defesa – os cnidócitos. Podem ocorrer em forma de pólipo (semelhante a uma coroa) ou de medusa (em forma de campânula).

 

Simetria bilateral – Aparecimento do celoma

Dentro dos animais com simetria bilateral podemos distinguir entre os que não possuem celoma (acelomados), os que têm um pseudoceloma e os que desenvolveram um verdadeiro celoma no decurso da evolução. Mas o que é o celoma? O celoma é uma cavidade muito importante preenchida de líquido, que surgiu nos animais mais complexos e que permitiu estabelecer uma separação entre os órgãos internos e a parede do corpo. É uma cavidade embrionária no seio da mesoderme e completamente delimitada por ela. Esta estrutura protege e rodeia os órgãos internos e, nos adultos, constitui as membranas protectoras, como o peritoneu ou a pleura.

 

Animais acelomados – Simetria bilateral e sem celoma

Aqui podemos encontrar os vermes achatados, grupo dos Platelmintes, como a planária. Estes animais não têm celoma, possuem o corpo achatado, um tubo digestivo incompleto (apenas com uma abertura; não há boca e ânus em aberturas diferentes) e ausência de sistemas circulatório e respiratório. Possuem, no entanto, umas células especializadas na excreção, as células-flama. São o primeiro grupo de animais triblásticos a surgir, pois possuem três camadas de células embrionárias, a ectoderme, a mesoderme e a endoderme. São ainda animais protostómios, ou seja, a boca definitiva é originada a partir da boca embrionária.

 

Animais pseudocelomados – Simetria bilateral e com pseudoceloma

As formas de animais pseudocelomados compreendem os organismos do grupo dos Nematelmintes, Nematodes ou vermes de corpo cilíndrico. Incluem animais como os oxiúros, as lombrigas ou a filária. O corpo destes organismos pode ser cilíndrico ou filiforme, possuem um tubo digestivo completo, com uma abertura para a boca e outra abertura correspondente ao ânus. Os sistemas circulatório e respiratório estão também ausentes nestes organismos. Possuem um pseudoceloma, ou seja, é uma cavidade formada entre a endoderme e a mesoderme. Note-se que o verdadeiro celoma se forma integralmente na mesoderme. São ainda organismos protostómios e triblásticos.

 

Animais celomados – Simetria bilateral e com celoma

Dentro dos animais com verdadeiro celoma, podemos encontrar organismos protostómios e triblásticos, como os moluscos (polvos, lulas), os anelídeos (minhocas, sanguessugas), e os artrópodes (aranhas, caranguejos, borboletas), ou organismos deuterostómios (o blastóporo origina o ânus, abrindo-se a boca definitiva na extremidade oposta do tubo digestivo) e triblásticos, como os equinodermes (ouriços e estrelas-do-mar) e os cordados (ascídias, anfioxo, vertebrados).

Os moluscos possuem um corpo mole e não segmentado (não possui metâmeros ou unidades que se repetem e contém todos os órgãos essenciais). O corpo divide-se em manto, pé e massa visceral. Possuem uma estrutura membranosa que contém fiadas de dentes finos e córneos – a rádula. Serve para raspar e dilacerar os alimentos. São protostómios e triblásticos.

Os anelídeos possuem o corpo segmentado, razão pela qual têm a aparência de um corpo constituído por diversos anéis que surgem repetidos. Ocorre já, a partir destes animais, um sistema circulatório fechado (o sangue circula sempre dentro dos vasos sanguíneos). Possuem sedas, filamentos compostos por quitina que auxiliam na fixação ao solo durante a locomoção. Também são animais protostómios e triblásticos.

Os artrópodes possuem um exosqueleto rígido composto por quitina e apêndices articulados. São também caracterizados pela posse de um corpo segmentado. São igualmente animais protostómios e triblásticos.

Os equinodermes constituem o primeiro grupo de animais deuterostómios a surgir. Nos adultos, a simetria é radiada. O interior destes animais é composto por um endosqueleto formado por placas calcárias. Possuem um sistema ambulacrário único que é um sistema de canais por onde a água é conduzida e que os ajuda a movimentarem-se, através de movimentos de acumulação e esvaziamento de água nos apêndices locomotores. São também triblásticos.

Os cordados são animais deuterostómios com simetria bilateral. Possuem notocórdio (estrutura embrionária correspondente à coluna vertebral nos vertebrados adultos). Os embriões de todos os cordados possuem fossetas branquiais na faringe, as branquias ou guelras que permanecem, por exemplo, nos peixes adultos.

 

 

Referências bibliográficas

Kardong, Kenneth. (2006). Vertebrates – Comparative Anatomy, Function, Evolution. 4th Edition. McGraw-Hill.

Brusca, Richard C.  and Brusca, Gary J. (2002). Invertebrates. Sinauer Associates, 2ª Edição.

847 Visualizações 2 Total
847 Visualizações

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo