Huso huso (Beluga)

A Beluga (Huso huso) é uma espécie pertencente à família dos esturjões e é o maior peixe que ocorre em habitats de água doce.

 

Huso huso (Beluga)
Reino Filo Classe Ordem Família Género Espécie
Animalia Chordata Actinopterygii Acipenseriformes Acipenseridae Huso H. huso

 

Distrib. Geográfica Estatuto Conserv. Habitat Dieta Predação  Longevidade
Mar Negro e Cáspio. Criticamente ameaçado. Zonas superficiais e intermédias do oceano, sobre sedimentos finos. Invertebrados e peixes. Captura humana. Registo até 100 anos.

 

Características Físicas
Anatómicas Corpo comprido, cinzento acastanhado. Dois pares de barbelas na face. Cauda heterocerca.
Dimorfismo Sexual Pouco evidente. Aumento acentuado de tamanho e peso nas fêmeas em época reprodutiva.
Tamanho Até cerca de 8.6 m.
Peso Aproximadamente 1.300 kg.

 

A Beluga (Huso huso) é um peixe pertencente à ordem dos Acipenseriformes e à família que engloba todas as espécies de esturjões (Acipenseridae). É o maior peixe que pode ser encontrado em habitats de água doce.

 

Beluga_sturgeon

Huso huso (ilustração). Autor: Robbie Cada

 

Características gerais

É um peixe comprido e bastante pesado. Distingue-se das espécies de outros géneros de esturjões pela ocorrência de membranas branquiostegais fundidas na região da garganta. Possuem uma boca larga e dois pares de longas barbelas com capacidade sensorial na face. Exibem escamas ganóides (formato rombóide) relativamente frágeis e que vão sendo perdidas ao longo dos anos. A barbatana caudal é heterocerca (lobo dorsal maior do que o ventral).

Comportamento reprodutivo

Trata-se de uma espécie anádroma, já que, os indivíduos desenvolvem-se no oceano mas reproduzem-se no rio. Os eventos migratórios entre os dois habitats ocorrem duas vezes por ano, no Verão e no Outono, e podem compreender distâncias de 2500 km como as percorridas pelas populações de Beluga que desovam no Danúbio e no Volga, os mais longos rios da Europa.

Alguns autores distinguem entre as ‘formas outonais’ que migram entre os meses de Setembro e Outubro até às cabeceiras dos rios, e as ‘formas primaveris’ que sobem os rios até zonas mais baixas entre Março e Abril. A fecundação é externa. As fêmeas podem libertar até 7 milhões de gâmetas em seixos ou cascalho numa única desova que ocorre em Maio, nas duas formas. A maturidade sexual pode levar até 25 anos a ser atingida e as fêmeas reproduzem-se apenas em ciclos que vão de 4 a 8 anos. Os adultos regressam ao oceano e os juvenis migram também para os mares ainda durante o primeiro ano de vida.

795 Visualizações 1 Total

References:

  • Sotres, José Antonio Mata et al. (2007). El esturión, un recurso poco conocido en México. ContactoS, v. 64, p. 49-54.
  • Gesner, J., Chebanov, M. & Freyhof, J. 2010. Huso huso. The IUCN Red List of Threatened Species 2010: e.T10269A3187455. http://dx.doi.org/10.2305/IUCN.UK.2010-1.RLTS.T10269A3187455.en. Downloaded on 15 December 2015.
  • Chakrabarty, P. 2003. “Huso huso” (On-line), Animal Diversity Web. Accessed December 15, 2015 at http://animaldiversity.org/accounts/Huso_huso/
795 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.