Evolução

A Teoria da Evolução das Espécies foi formulada no séc. XIX por Charles Darwin e Alfred Wallace e postula que as espécies que encontramos hoje em dia descendem de espécies ancestrais que foram sofrendo modificações ao longo do tempo, espécies às quais se assemelham e das quais herdaram caracteres específicos. Dentro de cada espécie observa-se a existência de variabilidade em diversos caracteres como a forma ou a cor. A partir desta diversidade intra-específica as formas mais aptas num dado ambiente e num dado tempo, prevalecem sobre as outras através dos mecanismos da selecção natural. Estes indivíduos serão aqueles que mais se reproduzem e transmitem os seus genes às gerações futuras.

Provas geográficas

As espécies apresentam uma distribuição descontínua dentro da mesma área geográfica. As populações encontram-se isoladas e ocupam áreas em que existem condições climáticas semelhantes. Assim, em cada região existe um reportório de fauna e floras exclusivas, o que parece evidenciar que determinado ecossistema comporta formas resultantes da evolução de adaptações biológicas.

As espécies de flora e fauna australianas apresentam caracteres ancestrais ou primitivos relativamente às mesmas espécies de outras regiões. Observa-se, assim, um primitivismo nas formas nos continentes austrais em relação às regiões setentrionais do planeta.

Provas paleontológicas

Os fósseis constituem um precioso registo da existência de seres vivos em épocas passadas. Através do registo fóssil é possível constatar que tem existido uma sucessão de fauna e flora desde o aparecimento dos primeiros seres vivos até aos dias de hoje. Assim, a cada período geológico do nosso planeta associa-se uma fauna e uma flora que o caracteriza.

Provas morfológicas

Estudos de anatomia e embriologia comparada permitem estabelecer relações de homologia entre os diversos grupos de organismos. Ao estabelecermos comparações entre as diversas formas fósseis e entre estas e as formas actuais, conseguimos identificar as relações de parentesco entre as formas actuais e as já extintas. Esta possibilidade reforça a ideia de que não só as espécies existentes descendem de outras pré-existentes, como também demonstra que determinadas características dos organismos partilhadas entre formas actuais e extintas, têm vindo a sofrer modificações ao longo do tempo.

 

Palavras chave

Charles Darwin – Alfred Wallace – Selecção Natural

Referências bibliográficas

Mark Jobling, Edward Hollox, Matthew Hurles, Toomas Kivisild, Chris Tyler-Smith. (2013) . Human Evolutionary Genetics. Garland Science.

 

1900 Visualizações 1 Total
1900 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.