Amblypygi, Ordem

A Ordem Amblypigi é um grupo de animais da classe dos aracnídeos, pertencem ao Filo Arthropoda, Sub-Filo Chelicerata. São animais noturnos, durante o dia encombrem-se em troncos de árvores, na vegetação e nas fendas de rochas. São encontrados em zonas tropicais e sub tropicais do globo terrestre. Estima-se que estes animais tenham aparecido durante o Período Devoniano.

O corpo dos Amblypigi é semelhante ao das aranhas, na sua forma achatada dorsoventralmente e na estrutura das queliceras, que são bissegmentadas. Possuem uma carapaça que comporta dois olhos medianos, localizados na região anterior do corpo. Lateralmente exibem dois grupos de três olhos. O abdómen é segmentado e liga-se ao prossomo através de um pedicelo. São animais pequenos, medindo entre quatro a quarenta e cinco milímetros de comprimento. Possuem pedipalpos que contêm numerosos espinhos, estas estruturas são utilizadas na captura da presa. Nos machos de algumas espécies estes apêndices são maiores que os das fêmeas. O primeiro par de pernas é longo e em forma de antena, este é utilizado para localizar o alimento, estas pernas são denominadas de anteniformes e não são usadas na no movimento. A locomoção é semelhante à dos caranguejos. Possuem dois pares de pulmões laminares. Estes estão localizados no segundo e terceiro segmentos abdominais, na posição ventral.

O acasalamento é concretizado depois de o macho iniciar a corte à fêmea através de movimentos de agitação corporal. O macho deposita o espermatóforo e guia a fêmea, através dos pedipalpos, até essa estrutura. A fêmea recolhe o esperma. Antes da postura dos ovos, é segregada uma membrana pergaminácea que envolve e segura até cerca de sessenta ovos, no abdómen da fêmea. Esta substância é produzida pelas glândulas reprodutoras. A fêmea carrega os ovos até à eclosão. Após a eclosão, estes aracnídeos jovens sobem até ao abdómen da fêmea, onde permanecem até à primeira muda, adquirindo vida livre posteriormente. A reprodução também pode ocorrer por partenogénese.

Animais desta ordem são inofensivos para os humanos por não possuirem glândulas produtoras de veneno.

Existem cerca de cento e cinquenta espécies destes animais distribuídas pelas seguintes famílias: Charinidae, charontidae, Phrynichidae, Phrynidae e Paracharontidae. A ordem é dividida, ainda, em duas sub ordens: Paleoamblypigi e Euamblypygi.

804 Visualizações 1 Total
804 Visualizações

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo