Gostaria de ser nosso colaborador?

É especialista em alguma das áreas de conhecimento presentes na nossa enciclopédia? Tem gosto pela escrita? Gostaria de ser editor numa enciclopédia em português, integralmente escrita por especialistas? Gostaria de partilhar conhecimento?

Se a sua resposta é sim, então envie-nos o seu CV para geral@knoow.net para que possamos analisar e enviar mais detalhes sobre a forma de colaboração.

 

Áreas para as quais procuramos especialistas:

  •  História do Brasil
  •  História de Angola
  •  História de Moçambique
  •  Medicina
  •  Medicina Veterinária
  •  Filosofia
  •  Sociologia
  •  Contabilidade
  •  Direito
  •  Mecânica
  •  Química
  •  Física
  •  Matemática

 

Actina (Conceito, Definição, O que é)

Conceito de Actina – A actina é uma proteína com capacidade de se auto-polimerizar em longos filamentos contribuindo para a constituição de um (…)

Conceito de Actina

A actina é uma proteína com capacidade de se auto-polimerizar em longos filamentos contribuindo para a constituição de um citosqueleto na célula dos eucariotas. O citosqueleto de actina contribui para a mobilidade celular, manutenção da forma da célula e participa na transcrição dos genes no núcleo. Em células musculares (ver tecido muscular), os filamentos de actina participam na contracção muscular e em certas células não musculares, os filamentos de actina são mais dinâmicos e a polimerização da actina gera a força necessária para a formação de projecções da membrana plasmática, designados por pseudópodes, essenciais para a locomoção celular. Em outras projecções da membrana plasmática como as microvilosidades encontradas em algumas células epiteliais também são feixes de filamentos de actina que fornecem o apoio necessário para tais estruturas.

A actina existe na forma de um monómero globular que se chama G-actina e na forma de um polímero filamentoso/fibroso que se chama F-actina e que é composta por uma cadeia linear de subunidades de G-actina. A transição dos monómeros de G-actina para o polímero de F-actina ocorre sob presença de iões, hidrólise de nucleótidos e proteínas de ligação à actina. A adição de catiões como Mg2+, K+ ou Na+ a uma solução de G-actina induz a polimerização da G-actina em F-actina. A polimerização da actina é acompanhada pela hidrólise de ATP em ADP. Embora a hidrólise de ATP afete a cinética da polimerização, não é necessária para que a polimerização ocorra.

Os filamentos de actina exibem polaridade e cada um dos extremos de cada filamento de actina é referido como extremidade mais ou extremidade menos. A polimerização, ou seja, a adição de monómeros de actina aos filamentos de actina é mais rápida na extremidade mais.

A actina está presente em todos os eucariotas e é a proteína mais abundante intracelularmente. Esta proteína de tamanho moderado apresenta uma sequência com cerca de 375 resíduos de aminoácidos muito conservada ao longo da evolução. Nos vertebrados, são expressas algumas isoformas de actina, incluindo a α-actina, a β-actina e a γ-actina, que diferem em apenas alguns resíduos de aminoácidos. A α-actina é expressa no músculo esquelético, músculo cardíaco e músculo liso. Já as isoformas β-actina e a γ-actina são expressas tanto em células musculares como não musculares.

2702 Visualizações 3 Total
2702 Visualizações

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo