Perturbação evitante

Definição do conceito de perturbação evitante da personalidade. Conceptualização e comorbilidade

Conceito de Perturbação Evitante

A perturbação evitante é uma perturbação de personalidade que integra o grupo das perturbações de personalidade com características de ansiedade e medo (Grupo C, no Eixo II do Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais).

Caracteriza-se pela hipersensibilidade à crítica dos outros e crença de si mesmo enquanto inadequado socialmente. Neste sentido, o indivíduo com perturbação evitante da personalidade tende a evitar situações nas quais se sinta exposto ou possa ser, na sua perspetiva, rejeitado pelos outros. Este padrão manifesta-se nos diferentes contextos de vida da pessoa, designadamente no contexto laboral/académico, familiar e social.

Conceptualização

O evitamento global que caracteriza a experiência de indivíduos com organização evitante da personalidade contribui para o seu isolamento e sofrimento associado já que, contrariamente ao que se verifica nos indivíduos com personalidade esquizoide, apresentam motivação para o envolvimento seguro e contentor com os outros. Por sua vez, o isolamento e evitamento funcionam como fatores de manutenção do padrão disfuncional, na medida em que o indivíduo não se permite desconfirmar as crenças sobre si e sobre o mundo/os outros.

Relativamente à história de vida, são frequentes os contextos familiares e de desenvolvimento marcados pelo medo da rejeição, no contexto de vinculações inseguras. Nestes contextos, as figuras de vinculação tendem a apresentar elevados padrões de sucesso e realização, focando-se nos erros ou imperfeições apresentadas pelos outros. Consequentemente, indivíduos com perturbação evitante aprendem precocemente a construir elevadas expetativas e ideais de realização que são frustrados pela vergonha, dúvida e desaprovação que o próprio e as principais figuras de vinculação colocam a si mesmo face a eventuais dificuldades.

As figuras de vinculação podem ainda agir de forma rejeitante e abandónica, através da sua ausência ou desinteresse, ou abusiva (e.g. violência física, sexual). Associada a estes contextos, que promovem a crença de um mundo aversivo, o indivíduo desenvolve uma autoestima vulnerável, acreditando que não é digno de ser gostado ou que só o poderá ser se não agir de acordo com as suas reais motivações e preferências.

A relações interpessoais tendem a ser escassas ou inexistentes pelo evitamento da intimidade e proximidade emocional, na medida em que estas se afiguram assustadoras para o indivíduo. Estas situações são percebidas como momentos de exposição da vulnerabilidade do próprio, resultando muitas vezes em isolamento por medo da ridicularização. Neste sentido, é frequente o indivíduo apresentar um círculo bastante restrito de relações com foco para aquelas nas quais se sente seguro.

Às dificuldades decorrentes do evitamento de contactos sociais, acresce o evitamento de atividades desconhecidas, não familiares e pautadas pela novidade. Estas últimas funcionam como estímulos ansiogénicos, evitados pelo próprio, acreditando que não é capaz e/ou que vai ser mal-sucedido e, em consequência disso, sentir-se embaraçado e humilhado aos olhos dos outros.

Enquanto perturbação da personalidade, esta só pode ser diagnosticada a partir do início da idade adulta após o desenvolvimento dos estilos de pensar, sentir e agir da pessoa. Verifica-se inclusive que experiências na adolescência e idade adulta podem constituir importantes factores na manutenção deste padrão de evitamento, como exemplo no âmbito de relações amorosas, nas quais tenha havido rejeição do outro com quem a pessoa mantinha um vínculo relevante.

Comorbilidade

Os indivíduos com perturbação evitante da personalidade apresentam frequentemente outras perturbações, nomeadamente perturbações clínicas com foco na ansiedade. Esta pode manifestar-se, por exemplo, sob a forma de: perturbação de pânico; ansiedade social, decorrente das crenças que apresentam e as dificuldades ao nível das competências sociais; e ansiedade generalizada, traduzindo-se numa preocupação global e excessiva sobre potenciais problemas e dificuldades. De um modo geral, estas perturbações partilham a hipersensibilidade ao que interpretam como perigo.

Perturbações depressivas são também frequentes na sequência do isolamento social e das críticas e crenças que apresentam sobre si mesmos.

Palavras-chave: Perturbação evitante da personalidade; perturbação de personalidade; hipersensibilidade, evitamento

973 Visualizações 4 Total

References:

Millon, T., Grossman, S., Millon, C., Meagher, S., & Ramnath, R. (2004). Personality Disorders in Modern Life. New Jersey: John Wiley & Sons, Inc.

Rodrigues, V., & Gonçalves, L. (2009). Patologia da Personalidade. Teoria, clínica e terapêutica. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

973 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo