Orientação vocacional e profissional

A orientação vocacional e profissional é um processo vital que pode ser solicitado em qualquer altura da vida.

ovp

Orientação vocacional e profissional

A orientação vocacional e profissional é um processo vital que pode ser solicitado em qualquer altura da vida. Por esse motivo é importante compreender as suas vantagens para o futuro do mesmo tanto ao nível pessoal como familiar e social.

“O conceito vocacional tem sido entendido como referente à vocação. Vocação, do latim vocatione, significa ato de chamar, escolha, chamamento, predestinação, tendência, disposição, talento, aptidão. O conceito profissional é definido “como respeitante ou pertencente à profissão, ou a certa profissão”; “que exerce uma atividade por profissão ou ofício”…”

(Melo-Silva, Lassance, & Soares, 2004, p.3).

A partir das definições de vocacional e de profissional, Melo-Silva, Lassance e Soares (2004) explicam que o conceito de orientação profissional, de acordo com a perspectiva da psicologia educacional, trata-se da ajuda dada a um indivíduo para fazer uma escolha adequada ao seu progresso profissional, de acordo com as suas características em relação com a oferta existente no mercado de trabalho.

Escolher uma profissão é algo que deve ser bem planeado e pensado e que, na maioria dos casos, acarreta uma decisão influenciada por diferentes gostos e escolhas, tanto no caso de quem tem de decidir o seu futuro como no caso de quem, já estando a exercer uma profissão, decide mudar (Vieira, Bezerra, & Fernandes, s.d.). O cerne da questão é ajudar a pessoa a perceber aquilo para que tem mais habilidade com a orientação de pessoas devidamente qualificadas para ajudar a pessoa a obter bons resultados de carreira (Vieira, Bezerra, & Fernandes, s.d.).

A capacidade para orientar da forma mais adequada, é dada por um psicólogo que tem os instrumentos necessários para avaliar o indivíduo utilizando técnicas como trabalhar o seu auto-conhecimento com a orientação vocacional onde se enquadram os inventários de interesses profissionais (Noronha, & Ambiel, 2006).

No que concerne à orientação vocacional e profissional de adolescentes, a par dos inventários, o psicólogo tem à sua disposição outras técnicas e estratégias como a comparação entre a aptidão intelectual e as discrepâncias entre as aspirações do adolescente e as expectativas profissionais deste e dos pais, de acordo com testes necessários para esse efeito (Noronha, & Ambiel, 2006).

Segundo Melo-Silva, Lassance e Soares (2004) a psicologia educacional defende que quanto mais pessoas puderem usufruir de orientação vocacional e profissional, melhor se sairão o desenvolvimento futuro das suas competências profissionais, e, por conseguinte, melhores cidadãos se tornarão para o país.

A orientação vocacional e profissional visa assim a orientação do jovem no que diz respeito à sua situação de vida, influenciada por factores familiares, pessoais e sociais, de modo a que, de acordo com aquilo para que tem mais habilidade e interesse, seja definido o seu projecto de vida pessoal (Vieira, Bezerra, & Fernandes, s.d.).

A respeito disso Noronha e Ambiel (2006) consideram a adolescência como a fase em que as questões relacionadas com o futuro profissional começam a ser colocadas em causa e que, tal como já referido, têm uma grande influência por parte da família, pelo que parece ser esta a fase mais adequada para começar a trabalhar as questões de orientação vocacional e profissional.

Deve ser um trabalho bem pensado, com responsabilidade, analisando e compreendendo muito bem em que consiste cada profissão de interesse, no sentido de ajudar a decidir, tendo em conta o auto-conhecimento do jovem e a realidade do mercado de trabalho (Vieira, Bezerra, & Fernandes, s.d.).

Melo-Silva, Lassance e Soares (2004) referem a importância da participação activa dos pais no processo de escolha dos indivíduos em como, tal como acontece nos Estados Unidos da América, o facto de se avaliar não só a performance escolar como também as atividades extracurriculares, mencionando desde o desporto praticado até estágios já realizados, entre outros factores.

Mesmo já no mercado de trabalho Noronha e Ambiel (2006) referem que, em algumas empresas, os testes de orientação vocacional já vêm sendo utilizados no processo de selecção de pessoal.

A orientação vocacional e profissional é um processo vital, o que significa que qualquer indivíduo, em qualquer fase da sua vida, pode tomar uma decisão que acarrete mudar de profissão e de carreira e é nesse sentido que Melo-Silva, Lassace e Soares (2004) mencionam a maior afluência de adultos que recorrem aos gabinetes de orientação vocacional e profissional por motivos variados tais como a reforma ou de permanência no trabalho, trabalho precário ou ainda desemprego.

Conclusão

Como podemos verificar, a orientação vocacional e profissional é um processo vital, que pode, a qualquer momento da vida, precisar de ajuda. Falamos daquilo para o que o indivíduo tem mais aptidão (vocação) e daquilo que ele realmente exerce (profissional). Para realizar uma orientação vocacional e profissional adequadamente, é necessária a ajuda de um psicólogo que, através de técnicas específicas como o uso de inventários e o trabalhar do auto-conhecimento, em articulação com a participação dos pais, irá, junto do indivíduo, orienta-lo no sentido de compreender se existe relação entre os seus interesses e aptidões e a realidade do mercado de trabalho.

Muito embora associemos quase sempre a orientação vocacional e profissional aos adolescentes e jovens, não podemos deixar de voltar a referir que a mesma, sendo vital, pode ser solicitada por um adulto, no sentido da mudança de carreira, da melhoria da sua performance no emprego actual, etc.

4223 Visualizações 1 Total

References:

  • Melo-Silva, L-M., Lassance, M.C.P., & Soares, D.H. (2004). A Orientação Profissional no contexto da Educação e Trabalho. Revista Brasileira de Orientação Profissonal. 5(2), p.31-52. Acedido a 11 de Fevereiro de 2016 em
  • Noronha, A.P.P., & Ambiel, R.A.M. (2006). Orientação profissional e vocacional: análise da produção científica. Psico-USF, V.11, nº1, p.75-84. Acedido a 11 de Fevereiro de 2016 em http://www.scielo.br/pdf/pusf/v11n1/v11n1a09 http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rbop/v5n2/v5n2a05.pdf
  • Vieira, V.S., Bezerra, J.V.A., & Fernandes, A.C.C. (s.d.). ORIENTAÇÃO VOCACIONAL E PROFISSIONAL. IX CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO IFRN. Tecnologia e Inovação para o Seminário. Acedido a 11 de Fevereiro de 2016 em http://www2.ifrn.edu.br/ocs/index.php/congic/ix/paper/viewFile/1156/267
4223 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo