Estratégias de aprendizagem

As estratégias de aprendizagem visam armazenar a informação para colocar a mesma em prática e obter sucesso no estudo.

estrategias de aprendizagem

As estratégias de aprendizagem visam armazenar a informação para colocar a mesma em prática e obter sucesso no estudo. Elas podem ser aplicadas de diferentes formas dependendo das capacidades de cada aluno para as colocar em prática.

Perassinoto, Boruchovitch e Bzuneck (2013) entendem as estratégias de aprendizagem como atitudes mentais que facilitam a capacidade de aquisição de conhecimentos por parte dos alunos. Estas visam melhorar a qualidade do processo de obtenção de conhecimentos (Perassinoto, Boruchovitch, & Bzuneck, 2013).

Segundo Oliveira e Santos (2009) uma das estratégias de aprendizagem mais importantes que um aluno de sucesso pode utilizar é o aprender a aprender porque leva à busca ativa constante de armazenar informação.

Vários autores entendem as estratégias de aprendizagem como meios de procurar armazenar informação de forma eficaz (Perassinoto, Boruchovitch, & Bzuneck, 2013).

Estes estudos foram ao encontro dos já anteriormente, levados a cabo por Oliveira e Santos (2009) em que se verificava já a forma como as estratégias de aprendizagem estavam inseridas no processo de armazenamento da informação e que se destinavam a ser usadas ativamente pelos alunos cm o intuito de as introduzir no seu estudo.

Algumas das estratégias de aprendizagem que podemos utilizar são as cognitivas e baseiam-se em comportamentos que nos levam a ir buscar a informação aprendida à nossa memória sempre que necessitamos, uma vez armazenadas e organizadas (Oliveira, & Santos, 2009; Perassinoto, Boruchovitch, & Bzuneck, 2013). Estas estratégias são utilizadas no imediato, de forma prática (Oliveira, & Santos, 2009).

Os diferentes autores identificam a necessidade de encontrar pontes de ligação entre as informações que armazenamos de novo e as já existentes, bem como a necessidade de salientar a parte principal das mesmas para que se produza conhecimento, sendo que é a partir daqui que, na prática, do ponto de vista cognitivo, se dão as estratégias de aprendizagem (Perassinoto, Boruchovitch, & Bzuneck, 2013).

Para Perassinoto, Boruchovitch e Bzuneck (2013) e também Oliveira e Santos (2009) é importante ainda falar das estratégias de aprendizagem metacognitivas que nos levam à capacidade de regular os nossos pensamentos de forma individual, ou seja, perceber onde encontramos falhas na capacidade de compreender a leitura e alterar o ritmo da mesma, por exemplo.

Vários estudos comprovam que a utilização de estratégias metacognitivas é uma das formas mais eficazes de utilizar as estratégias de aprendizagem por regulação da forma como a informação é armazenada (Oliveira, & Santos, 2009).

Os alunos que utilizam a metacognição como estratégia de aprendizagem traçam objetivos a cumprir, organizam o seu estudo e procuram compreender aquilo que estão a estudar (Oliveira, & Santos, 2009).

Alguns estudos, contudo, revelam que os estudantes têm meios muito diversificados de utilizar estratégias próprias de aprendizagem, mas que não as utilizam na frequência e regularidade com que necessitam (Perassinoto, Boruchovitch, & Bzuneck, 2013).

Isto acontece porque nem sempre os mesmos têm conhecimento acerca das suas próprias capacidades de as colocar em prática (Perassinoto, Boruchovitch, & Bzuneck, 2013).

Por outro lado, verifica-se que estudantes mais velhos têm estratégias de aprendizagem mais sofisticadas do que estudantes mais novos (Perassinoto, Boruchovitch, & Bzuneck, 2013).

É ainda necessário salientar que as estratégias de aprendizagem são influenciadas por questões como a motivação, a qual leva o indivíduo a agir, seja ela intrínseca ou extrínseca (Perassinoto, Boruchovitch, & Bzuneck, 2013). Esta teoria significa que o indivíduo pode criar estratégias de aprendizagem movido por fatores internos, como por exemplo, prazer em aprender, ou por outro lado, movido por fatores externos, como uma recompensa (Perassinoto, Boruchovitch, & Bzuneck, 2013).

Conclusão

As estratégias de aprendizagem são os meios de armazenamento de informação levados a cabo pelos alunos no seu estudo, no sentido de obtenção de sucesso associado a um determinado objetivo a cumprir. Verifica-se que elas podem acontecer através das ações cognitivas, a forma como a informação é armazenada, compreendida e organizada, e através das ações metacognitivas, ou seja, as estratégias individuais de cada um, como o alternar de ritmo de leitura para buscar memorizar o que se estuda. Os vários estudos feitos acerca do tema demonstram que a maioria dos estudantes tem diversas estratégias de aprendizagem que podem ser aplicadas, contudo, muitos deles não sabem das suas capacidades para as colocar em prática.

24 Visualizações 2 Total

References:

  • Oliveira, K.L., & Santos, A.A.A. (2009). Estratégias de Aprendizagem e Desempenho Acadêmico: Evidências de Validade. Psicologia: Teoria e Pesquisa. Out-dez 2009, vol.25 n. 4, pp. 531-536.
  • Perassinoto, Maria Gislaine Marques, Boruchovitch Evely, & Bzuneck José Aloyseo. (2013). Estratégias de aprendizagem e motivação para aprender de alunos do Ensino Fundamental. Avaliação Psicológica, 12(3), 351-359. Recuperado em 14 de junho de 2018 de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-04712013000300010.
24 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo