Religião

A religião refere-se a uma forma de adoração. Ela incluiu um sistema de atitudes, crenças e práticas religiosas; e podem ser pessoais ou ensinadas por…

A religião refere-se a uma forma de adoração. Ela incluiu um sistema de atitudes, crenças e práticas religiosas; e podem ser pessoais ou ensinadas por meio de uma organização. Regra geral, a religião envolve a crença em entes divinos, ou considera humanos, objetos ou desejos e forças como objetos de adoração.

Sugere-se que existem cerca de 10 religiões principais e cerca de 10.000 religiões de menor expressão.

A História da Religião é tão antiga como a história do próprio homem. Mesmo quando estudamos civilizações primitivas, ou seja civilizações não desenvolvidas encontramos uma estrutura religiosa. De certo sentido, estudar a história da humanidade é também estudar a história da religião. Olhar para qualquer tipo de povo ajuda-nos a encontrar meios de adoração. Associado a cada grande religião existe uma figura central a quem se credita o estabelecimento da verdadeira fé. Nomes tais como Moisés no judaísmo, Buda no Budismo, Jesus Cristo no Cristianismo, Confucio no confucionismo, Maomé no islamismo são alguns dos quais deixaram escritos ou dizeres que depois foram editados e usados como base para a nova religião. Alguns destes heróis populares também foram deificados.

Apesar disso, estas peças centrais não deram origem á religião, apenas se basearam em ensinos religiosos já estabelecidos. Por exemplo, Moisés fundador do judaísmo incluiu muitas práticas já existentes entre os hebreus, como a circuncisão. Jesus, fundador do cristianismo incluiu as duas maiores leis do judaísmo, e Maomé também se baseou no já existente judaísmo e cristianismo para a formação do islamismo. Credita-se a estes senhores a capacidade de mudarem ou alterarem sistemas religiosos existentes que se tinham tornado insatisfatórios.

Como exemplo podemos referir Sidarta Gautama, conhecido como Buda, segundo se diz era um príncipe que se estarrecia diante do sofrimento e das condições deploráveis que observava ao seu redor, numa sociedade dominada pelo hinduísmo. O budismo foi assim o resultado da sua busca por uma solução para os problemas da vida que o afligiam. Da mesma maneira, Maomé sentia-se muito consternado com a da idolatria e a imoralidade que observava nas práticas religiosas ao seu redor. Mais tarde afirmou ter recebido revelações especiais de Deus, que formaram o Qur’ān (ou Alcorão) e tornaram-se a base de um novo movimento religioso, o Islão. O protestantismo nasceu do catolicismo, em resultado da Reforma que começou no início do século 16, quando Martinho Lutero protestou contra a venda de indulgências pela Igreja Católica naquele tempo.

Pesquisas no século XIX porém ajudam-nos a perceber onde se originaram as ideias religiosas, mesma as anteriores às religiões principais acima.

Uma teoria chamada animismo foi proposta pelo antropólogo inglês, Edward Tylor (1832-1917). Segundo ele, as experiências tais como sonhos, alucinações, visões e o estado inerte dos cadáveres, levaram os povos primitivos à conclusão de que o corpo é habitado por uma alma, que em latim se diz anima. Portanto, em conclusão, de acordo com esta teoria, como era comum as pessoas sonharem com os seus entes queridos falecidos, então era natural que a alma continuasse a viver após a morte, e que o seu corpo ficava a morar em árvores, rochas, rios e assim por diante. Com o passar do tempo os morto e os objetos nos quais se dizia que as almas habitavam vieram a ser adorados como deuses. E assim, de acordo com Edward Tylor, nasceu a religião.

Outro antropólogo inglês Robert Ranulph Marett (1866-1943) propôs um aprimoramento do animismo, a que ele chamou animatismo. Após o estudo de crenças dos melanésios, um povo originário das ilhas do Pacífico, e de nativos em África e América ele chegou á conclusão de que em vez de terem uma noção de uma alma pessoal, os povos primitivos acreditavam que existia uma força impessoal ou um poder sobrenatural que dava vida a todas as coisas. Essa crença provocou sentimentos de reverência e temor nas pessoas, e isto tornou-se a base para a religião. Portanto, segundo Marett a religião era uma reação emocional do homem diante do desconhecido.

Em 1890 outro cidadão bretão, neste caso escocês, James Frazer (1854-1941), publicou o livro, chamado em português O Ramo Dourado. Este senhor argumentou que a religião veio da magia. Segundo ele, o humano tentou controlar a sua vida e o meio à sua volta por imitar o que via acontecer na natureza. Por exemplo, ele pensava que podia criar chuva se borrifasse água no solo adicionando batidas de tambor, ou que poderia provocar dano aos inimigos se espetasse alfinetes numa efígie. Isto levou ao uso de ritos e objetos mágicos em muitos aspetos da vida. Quando estes ritos não resultaram o homem passou a tentar aplacar os poderes sobrenaturais e a suplicar a sua ajuda, ao invés de tentar controlá-los. Portanto em vez de rituais passaram a fazer-se sacrifícios e orações, e foi assim que segundo Frazer surgiu a religião.

O psicanalista Sigmund Freud (1856-1939) também deu uma explicação para a origem da religião. No seu livro Totem e Tabu, ele explicou que a primitiva religião surgiu de uma neurose ligada à figura paterna. Visto que o pai liderava o seu clã, assim como ocorre nos animais, os filhos homens, admiravam e odiavam o seu pai, rebelevam-se e matavam o pai. Então, para adquirir o poder do seu pai, eles comiam-no. Posteriormente, por causa do remorso, inventavam ritos e cerimónias para reparar a sua ação. Então, segundo Freud, a figura do Pai virou Deus, os ritos e cerimónias a religião primitiva e comer o pai passou a ser a comunhão.

O livro Religiões do Mundo — da História Antiga ao Presente (em inglês) conclui que “os modernos historiadores de religião sabem que é impossível chegar às origens da religião”. A respeito dos empenhos de historiadores, porém, o livro faz a seguinte observação: “No passado, a preocupação de demasiado número de teóricos não era simplesmente descrever ou explicar a religião, mas sim, invalidá-la, achando que, se ficasse demonstrado que as primitivas formas se baseavam em ilusões, então, as religiões posteriores e mais desenvolvidas poderiam ser minadas.”

A explicação da Bíblia para a origem da religião é que a mesma foi dada por Deus aos humanos, no início da história, e que foi passando de pais para filhos.

675 Visualizações 4 Total
675 Visualizações

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo

Flag Counter