Gostaria de ser nosso colaborador?

É especialista em alguma das áreas de conhecimento presentes na nossa enciclopédia? Tem gosto pela escrita? Gostaria de ser editor numa enciclopédia em português, integralmente escrita por especialistas? Gostaria de partilhar conhecimento?

Se a sua resposta é sim, então envie-nos o seu CV para geral@knoow.net para que possamos analisar e enviar mais detalhes sobre a forma de colaboração.

 

Áreas para as quais procuramos especialistas:

  •  Biologia
  •  Economia
  •  História
  •  Medicina
  •  Medicina Veterinária
  •  Filosofia
  •  Sociologia
  •  Contabilidade
  •  Direito
  •  Mecânica
  •  Química
  •  Física
  •  Matemática

 

Homeopatia

O que é a Homeopatia: O termo Homeopatia designa uma abordagem médica alternativa e complementar criada em 1796 pelo médico…

O que é a Homeopatia

O termo Homeopatia designa uma abordagem médica alternativa e complementar criada em 1796 pelo médico alemão Samuel Christian Frederich Hahnemann e pode ser definida como uma terapêutica que consiste em administrar ao paciente, em pequenas doses, uma substância que, administrada a uma pessoa saudável, reproduza os sintomas observados.

Fundamentos da Homeopatia

Hahnemann publicou em 1810 o Organon de l´Art de Guérir, obra que continha os fundamentos da Homeopatia, a qual assenta em três princípios base:

1º. Similitude ou Lei da Analogia: Procura-se a semelhança entre o quadro de queixas (sintomatologia) apresentado pelo paciente e o equivalente (similia) da substância homeopática, administrada experimentalmente ao homem são em doses “tóxicas” e que se chama patogenesia. A sintomatologia, refere-se não apenas aos sintomas mas também aos sinais, isto é, os dados objectivos da observação do paciente.

2º. Infinitesimalidade: Dar substâncias muito diluídas (em doses infinitesimais) desprovidas de toxicidade, que agem como um catalisador por processos de biorressonância, amplificando os mecanismos homeostáticos do organismo. A partir da 12ª diluição centesimal, segundo a lei de Avogadro, já não se encontram moléculas da substância e daí a ausência de iatrogenicidade. A diluição pressupõe uma agitação (sucussão), que se designa por dinamização, sem a qual o efeito é nulo.

3º. Globalidade: Encarar o doente no todo, o que leva à sua individualização (e do remédio/similia), definir a sua constituição (parte “estável” do indivíduo), o seu temperamento (parte dinâmica e variável) e observar as suas reacções patológicas (ou homeostáticas). De acordo com estes princípios, escolhe-se o medicamento que actua pela qualidade e não pela quantidade: usa-se a energia da matéria e não a sua massa; segundo a lei da conservação da energia de Einstein – numa reacção nuclear em que há desaparecimento de uma massa M, há aparecimento de uma quantidade de energia E, ou seja, quanto mais se divide a matéria, mais energia se obtém.

Correntes da Homeopatia

Na prática da Homeopatia podem ser consideradas três grandes correntes, nomeadamente:

  • Unicista: O seu objectivo é o de tentar encontrar o “similia” do paciente, ou seja, prescrever uma só substância, que seria o seu complemento. Teoricamente será o ideal, aliás para onde tende quem pratica Homeopatia, o perfeccionismo. Será o equivalente na acupunctura, a colocar uma só agulha, para equilibrar o paciente. Na prática, obriga o médico a uma procura e um estudo contínuo e aprofundado. A escola Brasileira, Espanhola, Grega e Mexicana, são as que preferencialmente a seguem, com uma proximidade e respeito pela tradição Hahnemaniana.
  • Pluralista: É a que utiliza várias substâncias alternadamente sendo possivelmente a mais utilizada pelo facto das patologias apresentarem frequentemente diferentes facetas na sua evolução, o que leva o terapeuta a modificar a sua prescrição consoante os sinais e os sintomas se vão modificando. Esta variação obriga a uma maior vigilância do paciente (até para salvaguarda do próprio médico…) mas nas situações agudas revela-se muito eficaz.
  • Complexista: Utiliza complexos ou misturas de remédios homeopáticos, sendo muito utilizada pela escola alemã Homotoxicológica do Dr. Reckeweg (além de outras). É muito utilizada, em especial por “paramédicos”, devido ao seu fácil manejo (“prescrição”).
485 Visualizações 1 Total
485 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo