Osso temporal

O Osso Temporal (Os Temporale), é um dos ossos do crânio que se situa em cada um dos lados da cabeça. Existe aos pares.

A porção óssea em forma de escama é a superior, e a face convexa dessa escama é externa, e daqui destaca-se uma apófise que é anterior.

O osso temporal articula-se em cada um dos lados com o osso parietal, com o occipital, com o esfenóide, com o malar e com o maxilar inferior ou a mandíbula.

Este osso é constituído, antes do nascimento pela escama (Pars squamosa), posso osso timpanal (pars tympanica) e pelo rochedo (pars petrosa).

 

Osso Temporal

Durante o desenvolvimento da criança, cada uma destas porções vão-se soldando entre si e acabam por deixar resquícios no adulto, a que se dá o nome de cisuras. No adulto, o osso temporal é constituído por uma porção escamosa ou escama, por uma porção mastoideia e por uma porção petro-timpânica ou rochedo.

Escama ou porção Escamosa

A porção escamosa é achatada transversalmente e irregularmente circular.

A face externa apresenta um sulco vascular para a artéria temporal profunda posterior. Desta face podemos destacar a apófise zigomática, ou processos zygomaticus, que se origina por duas raízes: a raiz transversa ou côndilo do temporal (tuberculum articular) que faz parte da articulação têmporo-maxilar e raiz longitudinal que, ao se dirigir para trás continua a direção da apófise zigomática, e apresenta para a frente o orifício do canal auditivo externo, o tubérculo zigomático posterior.

Existe ao juntar as duas raízes o tubérculo zigomático anterior e o espaço entre as duas raízes chama-se cavidade glenoideia ou fossa mandibularis, que se divide numa porção articular e noutra não articular, pela cisura de Glaser ou tímpano-escamosa (Fissura ympanosquamosa).

 

Face externa do osso temporal

Face interna ou endocraniana

Esta face apresenta sulcos vasculares para a artéria meníngea média e relaciona-se com o cérebro.

Bordo circunferencial

Este bordo apresenta uma porção inferior que é aderente e uma outra superior, que é livre. A porção aderente confunde-se atrás, com a porção mastoideia do temporal e adiante, apresenta duas cisuras, a cisura petro-escamosa superior (fissura petrosquamosa) que separa a escama do rochedo e a cisura tímpano-escamosa ou cisura de Glaser (Fissura tympanosquamosa) que a separa do osso timpanal. A porção livre articula-se com o parietal e com a grande asa do esfenóide.

Porção mastoideia

A porção mastoideia está situada na parte póstero-inferior do temporal.

Face externa ou exocraniana

Esta face, termina por uma saliência designada apófise mastoideia (Processus mastoideus). Na sua face externa inserem-se os músculos e na sua face interna apresenta a ranhura dinástica (incisara mastoidea), onde se insere o ventre posterior do músculo dinástico e o sulco da artéria occipital (Sulcus arteriae occipitalis).

Por cima da base da apófise mastoideia encontra-se o buraco mastigue (foramen mastiguem) que dá a passagem a uma veia emissária e à artéria mastoideia. A porção mais anterior e superior da face externa é lisa.

Por cima e atrás do orifício do canal auditivo externo existe uma saliência, a espinha supremacia (spina suprameatica) e por trás desta encontra-se uma superfície crivada de orifícios vasculares, a zona crivada.

A face interna ou endocraniana apresenta na porção mais anterior a goteira do seio lateral ou sulcus sinos sigmoidei.

O Bordo circunferencial é livre na porção póstero-superior e confunde-se adiante com a escama e o rochedo.

Porção petro-trimpânica ou rochedo

Esta porção tem a forma de uma pirâmide quadrangular com uma base, um vértice, quatro faces e quatro bordos.

A base apresenta o orifício do canal auditivo externo (porus acusticus externus) elíptico, com o seu grande eixo que se dirige para baixo e para trás. Do ponto de vista embrionário, este orifício é formado em cima pela escama e adiante, em baixo e atrás pelo osso timpanal.

O vértice apresenta o orifício superior do canal carotidiano (Canalis caroticus). Entre o vértice do rochedo, o corpo e a grande asa do esfenóide encontra-se o buraco lácero anterior.

A face ântero-superior apresenta, na porção mais interna a roseta do gânglio de Gasser ou Impressio trigeminalis. Na porção mais externa podemos observar a eminência arcuara (Eminetntia arcuara), que é condicionada pelo canal semicircular superior e adiante, encontramos o tegmen tympani (tegmen tympani), que forma a parede superior da caixa do tímpano. Entre a eminentia arcuara e a fosseta do gânglio de Gasser encontramos o hiato de Falópio ou Hiatos canalis nervi peitoris majores e os hiatos acessórios. Estes hiatos continuam-se com os sulcos do grande e pequeno nervos petrosos superficiais e profundos (Sulcus nervi peitoris majoris et sulcus nervi peitrosi minoria), por onde passam os nervos do mesmo nome.

A face póstero-superior apresenta o orifício de entrada do canal auditivo interno (porus acusticus internus) que é por onde os nervos facial e estato-acústico penetram, intermediário de Wrisberg e a artéria auditiva interna. Por cima e atrás deste orifício encontra-se a fossa subarcuata (fossa subarcuata), que é por onde passa um prolongamento da duramáter encefálica e ainda uma fenda, o orifício posterior do aqueduto do vestíbulo (apertura externa aqueductus vestibular) para o canal linfático. Por baixo deste orifício observa-se a fostes ungueal.

A face póstero-inferior divide-se em três porções. A porção externa que apresenta a apófise estiloideia (processus styloideus), onde pode-se inserir o ramalhete de Riolan, que é constituído pelos ligamentos estilo-maxilar, estilo-hioideu e pelos músculos estilo-hioideu, estilo-faríngeo e estilo-glosso.

Atrás e para fora da apófise estiloideia está o buraco estilo mastigue ou foramen styomastoideum, que é o orifício inferior do aqueduto de falópio e onde passam a artéria estilo-mastoideia e o nervo facial.

A porção média está para dentro da precedente e apresenta a fossa jugular (fossa jugularis), onde está alojado o golfo da veia jugular interna. Na parede externa desta está o osmium intróitos onde passa o ramo auricular do pneumogástrico ou ramo da fossa jugular de Cruveilhier.

A porção interna apresenta o orifício inferior do canal carotidiano (canalis caroticus). Entre este e a fossa jugular está o orifício inferior do canal de Jacobson ou canal timpâmico onde passa o nervo de Jacobsen.

A Face ântero-inferior apresenta nos seus dois terços externos uma lâmina óssea muito fina que corresponde á parede anterior do canal auditivo externo. AAdiante e para dentro da porção não articular da cavidade glenoideia, a face enterro-inferior é constituída pela apófise turbaria do osso timpanal que contribui para a constituição da porção óssea da trompa de Eustáquio. Adiante encontram-se a abertura do canal do músculo do martelo (Semicanalis musculi tensoris tympani) e a abertura do canal ósseo da trompa de Eustáquio (semicanalis tuba auditivae).

O bordo superior apresenta a goteira do seio petroso superior onde está o seio craniano com o mesmo nome. E o bordo inferior a apófise vaginal ao nível da apófise estiloideia.

O Bordo posterior apresenta a goteira do seio petroso inferior onde se aloja o seio com o mesmo nome. Encontramos ainda a fosseta peroras que tem o gânglio de Andersch no fundo da fosseta o orifício inferior do aqueduto do caracol.

O bordo anterior é livre na porção mais interna e contribui para a constitui o buraco lácero anterior.

Canais e cavidades existentes no rochedo

O rochedo é atravessado por numerosos canais vasculares, nervosos e cavidades mastoideias.

O Canal carotidiano dá passagem à artéria carótida interna e inicia-se peo seu orifício inferior, que se situa na face póstero-inferior do rochedo, e termina pelo orifício superior, que se localiza no vértice do rochedo.

O Canal timpânico dá passagem à artéria e ao nervo carótico-timpânicos, que se inicia na parede externa do canal carotidiano a 5 mm do seu orifício interior e termina na caixa do tímpano.

O Aqueduto de Falópio ou canal facialis dá passagem ao nervo facial. e o canal de jacobson ou timpânico dá passagem ao nervo com o mesmo nome. O Canal do ramo auricular pneumogástrico dá passagem ao ramo com o mesmo nome e as cavidades mastoideis existem no interior da porção mastoideia e comunicam com a caixa do tímpano.

12809 Visualizações 3 Total

References:

Anatomia Humana da Locomoção - J.A Esperança Pina
12809 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.