Glândula Sublingual

As Glândulas Salivares Sublinguais são as glândulas que situam-se, como o nome indica abaixo da língua, no soalho da cavidade oral, junto ao músculo milo-hióideo. É uma glândula mista que tem a forma de amêndoa. É uma glândula mista, num número par, mas com predominância de células mucosas e pesa cerca de três gramas. Tem cerca de oito a vinte ductos, chamados de Rivinus. O ducto principal desta glândula é o ducto de Bartholin que une-se ás glândulas submandibulares para drenar saliva mucosa. O resto das condutas de abertura, em diferentes partes da boca e saliva secretam através de pequenos tubos. Entre as Glândulas salivares major, esta é a mais pequena e a que tem uma encapsulação mais difusa. É responsável pela secreção de cerca de 5 por cento da saliva total da cavidade oral. Elas estão situadas anteriormente em relação á glândula salivar submandibular. Assim como as restantes glândulas, esta participa na humidificação da cavidade oral, em especial da língua. Junto com a Glândula Submandibular é a principal responsável pelo facto do quinto sextante formar tártaro com tanta facilidade porque a secreção de saliva desta glândula coloca os dentes num ambiente rico em cálcio, tendo a tendência a calcificar com facilidade a placa bacteriana. Isso exige que a cada dia se remova a placa bacteriana, quer através da escovagem, quer através da utilização de fio ou fita dentária. Assim como as restantes glândulas salivares é enervada pelo nervo facial, e controlada pelo sistema nervoso autónomo. No entanto, diferentemente das outras duas glândulas major, esta só aparece às oito semanas de desenvolvimento pré-natal, duas semanas mais tarde do que a glândula salivar submandibular, a parótida e as glândulas salivares minor.

Durante a noite, porém a secreção salivar da sublingual, como das restantes glândulas diminui drasticamente, o que causa a boca seca na manhã e pelo mau hálito. Quando acordamos as glândulas novamente voltam á actividade e rapidamente consegue restabelecer a quantidade normal de saliva na cavidade oral.

É muito frequente que a glândula salivar desenvolva rânulas, ou seja uma tumefacção de tecido conjuntivo patente no soalho da cavidade oral, de origem traumática, bacteriana ou viral, o que causa dor.  Isto é causado, regra geral, por uma ruptura no ducto da glândula ou pela formação de sialólitos. As rânulas podem ser sintomáticas ou assintomáticas. Além da tumefacção podem ter a cor azulada. Regra geral elas são unilaterais e além da tumefacção podem ser experienciadas dores e até mesmo um edema dos gânglios linfáticos. É mais frequente em crianças e adolescentes.

Quer os mucocelos, quer as rânulas, quer os cálculos, quer a papeira podem aparecer em qualquer das glândulas, e todos estes problemas, além de causar dor podem dificultar a deglutição visto que a diminuição da saliva na boca dificulta a ensalivação dos alimentos.

Para mantermos uma boa saúde das glândulas salivares há poucas precauções específicas a tomar, no entanto, esta passa por hábitos saudáveis e por evitar a depressão, e evitar comportamentos de risco. Alguns comportamentos a evitar são, contactar com pessoas com papeira, partilhar escovas de dentes, e ter em atenção os beijos, visto que a troca de fluídos salivar promove a troca de bactérias que podem ser responsáveis por infecções nas glândulas salivares ou mesmo pela cárie dentária e doença periodontal. É importante também, verificar os efeitos secundários dos medicamentos e reportar ao médico assistente quando se nota uma diminuição da quantidade de saliva na cavidade oral.

Assim como existe a xerostomia, que é a diminuição da saliva na cavidade oral, existe o contrário que é a sialorreia ou híper-salivação, onde existe um aumento da quantidade de saliva na cavidade oral. Esta pode ser causada por vários factores, tais como pancreatite (é bastante frequente os diabéticos referirem sialorreia), refluxo gástrico (a sialorreia será importante para a manutenção do pH na cavidade oral), úlceras orais (para ter um efeito anestésico sobre a úlcera), infecções orais e durante a gravidez. Também alguma medicação, pode provocar alterações na saliva. A escovagem e a utilização de colutórios nestes casos pode dar a sensação de limpeza. O tratamento passa por tratar a causa do aumento de saliva.

7692 Visualizações 2 Total
7692 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.