Alcance Pago

Tráfego pago: noção, importância e funcionamento. Alcance pago versus alcance orgânico

tráfego pago

Alcance Pago é um termo usado para referir o número de pessoas que foram atingidas por uma publicação ou página na Internet (nomeadamente Facebook) mediante determinado custo.

 

O alcance pago é conseguido através de investimento em publicidade, ou seja, em anúncios, links patrocinados ou qualquer outro recurso cujo objetivo seja o de dar maior visibilidade ao que está a ser publicado ou anunciado.

Por exemplo, se uma empresa usar o Google Adwords, quando um utilizador pesquisar por um termo que corresponda a uma das suas palavras-chave, os primeiros resultados que aparecem são algumas publicidades, onde a da empresa em causa estará certamente incluída. A isto se chama links patrocinados. Eles aparecem nos resultados de pesquisa e também em sites ou blogs que pertençam ao programa de filiação Adwords do Google.

 

O tráfego pago é muito utilizado no Facebook Ads, Google Adwords, YouTube Ads, etc. Os locais de exibição dos anúncios podem variar de acordo com cada empresa, com o tempo de duração das campanhas e valores, tendo em conta que o PPC (Pay per Click) será cobrado dentro de um orçamento diário pré-estabelecido antes da campanha. Assim, o anunciante só paga quando alguém clicar no seu anúncio.

 

Por que investir em tráfego pago?

O grande benefício em investir em alcance pago é que o anunciante pode personalizar o anúncio, selecionar as palavras-chaves relacionadas com aquilo que deseja comunicar e o seu site poderá aparecer mais facilmente – do que com tráfego orgânico – nas primeiras posições do Google. Isso aumenta a sua taxa de conversão.

Investir em tráfego pago é também uma tarefa simples: a configuração da campanha paga é de fácil manuseio, até mesmo para quem não tem muita experiência a nível de Marketing Digital, pode-se trabalhar com uma gama elevada de palavras-chave em menor tempo, do que no alcance orgânico.

 

Alcance pago versus alcance orgânico

Com tantas estratégias disponíveis, o Marketing Digital deve ser capaz de escolher a mais correta para que o seu conteúdo alcance os consumidores certos.

Ora, duas das maiores ferramentas para fazer com que o conteúdo seja visto são a pesquisa orgânica e os anúncios pagos. Ambas têm vantagens e desvantagens, por isso o profissional de marketing deve ponderar bem qual a que vai escolher, de acordo com as especificidades do negócio em causa. Claro que pode misturar ambas:  alcance pago e alcance orgânico, mas ainda assim convém identificar atempadamente as diferenças entre estas duas ferramentas de modo a melhor as utilizar para ajudar o negócio a alcançar cada vez mais potenciais clientes ou prospects.

 

Principais vantagens e desvantagens do alcance pago

Os anúncios pagos, também conhecidos como PPC (Pay per Click) são uma forma muito eficiente de promover um negócio junto do seu público-alvo. Como funcionam? Basta a empresa determinar as suas palavras-chave e fixar um orçamento. Por um lado, a otimização de palavras-chave fará com que o anúncio apareça exatamente para o tipo de consumidor que se está a tentar alcançar e por outro, os anúncios podem ser direcionados por um intervalo de tempo específico e pagos apenas se o utilizador clicar em determinado link, por exemplo. Além disso, através dos programas de PPC as empresas conseguem acompanhar o progresso dos seus anúncios.

A grande desvantagem é que o alcance pago é uma ferramenta mais cara, ou seja, cada clique será cobrado e, como se estipula um orçamento, os anúncios só aparecem enquanto o orçamento o permitir. Por fim, o alcance pago oferece menor credibilidade que o alcance orgânico.

 

Principais vantagens e desvantagens do alcance orgânico

O alcance orgânico surge muitas vezes como a melhor opção a nível de Marketing Digital porque a pesquisa orgânica é tão boa – senão melhor – para um negócio do que a publicidade paga. Também oferece maior grau de confiança e credibilidade, precisamente porque a empresa em causa não pagou para aparecer nos lugares cimeiros dos motores de busca. Genericamente, quando o conteúdo aparece de forma orgânica no Google, os utilizadores reconhecem que esse conteúdo pode resolver os seus problemas. E quanto mais o conteúdo aparece de forma orgânica, mais credibilidade o site ganha. Por outro lado, as pesquisas orgânicas oferecem uma média de cliques muito maior que os anúncios pagos e são mais propícias à interação dos consumidores e, consequentemente, à qualificação de leads.

Contudo, o alcance orgânico tem as suas desvantagens. A primeira é que é bem mais demorado: a pesquisa orgânica pode levar semanas e até meses para dar lucro. Em segundo lugar, a otimização de uma página para pesquisas orgânicas é mais difícil e morosa e exige a dedicação de um profissional especializado, particularmente na elaboração de conteúdos. E isso leva à terceira grande desvantagem: para se atingir um alcance orgânico há que produzir continuamente conteúdos de qualidade assentes num plano de marketing que inclua as necessidades dos consumidores nas diferentes fases do chamado funil de vendas, além de metas e faixas temporais. E será esse mesmo plano de marketing que ajudará uma empresa a perceber qual será a melhor opção: garantir tráfego orgânico ou investir em tráfego pago?

21 Visualizações 1 Total
21 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo