Som

O som tem origem na vibração de uma partícula do meio material elástico. Um sinal sonoro propaga-se no meio em que se encontra a fonte emissora (…)

O som tem origem na vibração de uma partícula do meio material elástico.

Um sinal sonoro propaga-se no meio em que se encontra a fonte emissora, dando origem a uma onda sonora.

A frequência e a amplitude são características de uma onda e são determinadas pela frequência e pela amplitude do sinal sonoro.

Uma onda sonora resulta do movimento vibratório das partículas do meio envolvente da fonte sonora. Este movimento é comunicado às partículas vizinhas que passam também a vibrar.

Os movimentos vibratórios das partículas geram sucessivas zonas de maior densidade, as zonas de compressão denominadas de zonas de alta pressão e zonas de menor densidade, que são as zonas de rarefação denominadas por zonas de baixa pressão.

O som é uma onda de pressão, pois apresenta zonas de compressão e de rarefação do ar que variam periodicamente no tempo e no espaço.

Em meios gasosos é normal caracterizar a onda sonora pelas variações de pressão, uma vez que são estas que permitem aos recetores, ou seja, os ouvidos ou os microfones, detetarem e identificarem um sinal sonoro.

A diferença de pressão designa-se por pressão sonora e está relacionada com a amplitude da onda sonora.

As ondas sonoras são ondas longitudinais pois as sucessivas compressões e rarefações ocorrem na direção de propagação.

As partículas do meio oscilam na direção de propagação da onda.

O som é uma onda mecânica, pois só se propaga em meios materiais e, consequentemente, a sua velocidade depende do meio de propagação.

Existem sons puros e sons complexos.

Num som puro ou simples a onda é harmónica ou sinusoidal. A forma matemática deste tipo de som é uma função seno ou cosseno. Só tem um comprimento de onda.

A intensidade permite distinguir um som fraco de um som forte. Duas ondas sonoras que possuam diferentes amplitudes, mas com a mesma frequência, correspondem a sons com diferentes intensidades. À onda que possui maior amplitude corresponde a um som mais forte.

A altura depende, essencialmente, da frequência da onda sonora. Esta permite distinguir um som alto ou agudo de um som baixo ou grave. Duas ondas com diferentes frequências e igual amplitude correspondem a sons com diferentes alturas. À onda de maior frequência corresponde um som mais agudo.

Um som complexo resulta da combinação de sons puros. Não apresenta uma onda sinusoidal com frequência bem definida.

Um harmónico é um som puro cuja frequência é um múltiplo inteiro de uma dada frequência, isto é, da frequência do som fundamental.

O timbre resulta da combinação do som fundamental e dos seus harmónicos. O timbre confere características específicas ao som de um dado instrumento musical, pois permite distinguir dois sons com a mesma intensidade e com a mesma frequência, mas emitidos por diferentes instrumentos.

No que diz respeito ao espetro sonoro pode-se dizer que este está relacionado com as frequências sonoras e contempla não só aos quais o ouvido humano é sensível, que são os sons audíveis, mas também os infrassons e os ultrassons.

No espetro sonoro há que destacar três bandas de frequência, são elas:

  • Sons audíveis, que correspondem a uma banda de frequências entre os 20 Hz e os 20000 Hz.
  • Infrassons, que correspondem a uma banda de frequências compreendida entre 0 e 20 Hz.
  • Ultrassons, que correspondem a uma banda de frequências superiores a 20000 Hz.
640 Visualizações 1 Total
640 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo