Gostaria de ser nosso colaborador?

É especialista em alguma das áreas de conhecimento presentes na nossa enciclopédia? Tem gosto pela escrita? Gostaria de ser editor numa enciclopédia em português, integralmente escrita por especialistas? Gostaria de partilhar conhecimento?

Se a sua resposta é sim, então envie-nos o seu CV para geral@knoow.net para que possamos analisar e enviar mais detalhes sobre a forma de colaboração.

 

Áreas para as quais procuramos especialistas:

  •  História do Brasil
  •  História de Angola
  •  História de Moçambique
  •  Medicina
  •  Medicina Veterinária
  •  Filosofia
  •  Sociologia
  •  Contabilidade
  •  Direito
  •  Mecânica
  •  Química
  •  Física
  •  Matemática

 

Massa Molar

Conceito de Massa Molar

A massa molar, representada por M, indica a massa por quantidade de matéria. A massa molar é expressa em g/mol.

Para calcular a massa molar de um elemento tem que se saber a massa atómica relativa desse mesmo elemento. Esta informação pode ser encontrada na tabela periódica dos elementos. Seguidamente tem que se multiplicar a massa atómica relativa do elemento pela constante da massa molar, ou seja, 1 g/mol. Isto converte unidades de massa atómica (u.m.a.) em g/mol.

Exemplo: Cálculo da massa molar do carbono (C)

Pela tabela periódica, a massa atómica relativa do carbono é 12,011.

Multiplica-se a massa atómica relativa do carbono por 1 g/mol e obtém-se 12,011 g/mol.

Então tem-se que a massa molar do carbono é 12,011 g/mol. Matematicamente escreve-se M (C) = 12,11 g/mol.

Caso se pretenda calcular a massa molar de um composto terá que se saber, primeiramente, o número de átomos de cada elemento que compõe o composto.

Depois tem que se encontrar a massa molar de cada elemento separadamente, isto é, multiplicar a massa atómica relativa do elemento pela massa molar constante (1 g/mol) e pelo número de átomos do elemento no composto.

Por fim somam-se as massas molar de cada elemento que constitui o composto e isto vai determinar a massa molar do mesmo.

Exemplo: Cálculo da massa molar da glicose (C6H12O6)

O primeiro passo é saber a fórmula química da glucose, ou seja, C6H12O6. Isto significa que a glicose contém 6 átomos de carbono, 12 átomos de hidrogénio e 6 átomos de oxigénio.

Pela tabela periódica sabe-se as massas atómicas relativas para cada um dos elementos e, multiplicando cada uma dessas massas atómicas relativas por 1 g/mol e pelo número de átomos de cada elemento fica-se a saber a massa molar de cada um desses mesmos elementos.

A massa atómica relativa do carbono é 12,011. Então a massa molar do carbono será 12,011 x 1 g/mol x 6 = 72,066 g/mol.

A massa atómica relativa do hidrogénio é 1,0079. Então a massa molar do hidrogénio será 1,0079 x 1 g/mol x 12 = 12,0948 g/mol.

A massa atómica relativa do oxigénio é 15,9994. Então a massa molar do oxigénio será 15,9994 x 1 g/mol x 6 = 95,9964 g/mol.

Assim, a massa molar da glicose vai ser 72,066 g/mol + 12,0948 g/mol + 95,9964 g/mol= 180,1446 g/mol.

Matematicamente fica M(C6H12o6) = 72,066 g/mol + 12,0948 g/mol + 95,9964 g/mol = 180,1446 g/mol.

Posto isto, conclui-se que a massa molar de um elemento químico ou de uma substância é numericamente igual à massa atómica relativa desse mesmo elemento químico ou dessa mesma substância.

Então conhecendo-se a massa atómica relativa de um elemento ou dos elementos constituintes de uma substância sabe-se a sua massa molar expressa em g/mol.

2078 Visualizações 7 Total
2078 Visualizações

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo

Flag Counter