Escritor Fantasma

Noção, características e controvérsia sobre o trabalho de um Escritor Fantasma

Ghost Writer

Escritor Fantasma (do inglês Ghost Writer) é o nome que se dá a uma pessoa que escreve um texto ou um livro, mas não recebe os créditos da sua autoria, ficando esses com a entidade que comprou o trabalho.

 

Um Escritor Fantasma é um profissional especializado em prestar serviços de redação de textos a outras pessoas ou empresas que não têm tempo ou não têm jeito para escrever. Trabalha “silenciosamente”, recebe a sua remuneração e retira-se mantendo em segredo a sua participação na obra ou artigo, pois a propriedade intelectual fica para quem o contratou e pagou os serviços. Muitas vezes, tratando-se de livros, também a fama e a glória que a obra possa render serão atribuídas a outrem.

 

O que faz um Escritor Fantasma?

Investiga, escreve, revê e edita vários tipos de textos, nomeadamente:

 

  • Dedicatórias personalizadas
  • Poemas
  • Cartas
  • Discursos
  • Artigos temáticos para revistas, blogs e sites
  • Autobiografias e biografias
  • Memórias
  • Discursos
  • Textos publicitários
  • Relatórios de trabalho
  • Projetos diversos
  • Teses

 

Controvérsia sobre o trabalho de um Escritor Fantasma

A atividade de Escritor Fantasma ou Ghost Writer sofre e sempre sofreu alguma controvérsia. Apesar de ser legal, levanta questões éticas, particularmente no que toca a livros e artigos científicos que requerem estudos aprofundados. No entanto, a procura tem aumentado e a oferta também (pois a atividade é bem remunerada) e sabe-se que, não obstante não assinarem os seus trabalhos, os escritores fantasma têm redigido uma percentagem considerável de livros técnicos e autobiografias. Nesta área é comum a contratação de escritores fantasma por políticos e celebridades. Afinal, não é novidade para ninguém que parte (se não a totalidade) dos discursos dos presidentes de república, por exemplo, ou dos relatórios dos ministros e diretores de grandes empresas não é redigida pelo próprio, mas por um Ghost Writer .

Mas estes profissionais também são contratados amiúde por outro tipo de clientes, por exemplo: alunos universitários com dificuldades em redigir as suas teses de licenciatura mestrado e doutoramento; editoras que disponibilizam este serviço de forma a incentivar a publicação de novas obras junto de pessoas que o desejam, mas que não têm aptidão para a escrita e ainda por empresas que precisam de conteúdos a nível de comunicação e marketing (artigos para sites, blogs, revistas…)

Não obstante a falta de reconhecimento deste tipo de trabalho realizado anonimamente, certo é que os escritores fantasma ganham dinheiro e não têm o peso da crítica em cima deles, nem outras obrigações. A verdade é que muitos dos Ghost Writer são apaixonados pela escrita, mas não dão importância a qualquer tipo de reconhecimento ou crédito. São pagos para fazer o que gostam e passam ao trabalho seguinte.

 

Características de um Escritor Fantasma

 

  • O trabalho é feito, geralmente, por escritores, jornalistas, copywriters e outros profissionais ligados à área da comunicação e exige bastante cultura geral, conhecimentos sólidos sobre a língua, técnicas de redação e até de Content Marketing.
  • Depois de pensar na história ou no tema do texto, o Escritor Fantasma deve focar-se na ideia ou conceito dentro do tema de acordo com a linha editorial definida e o resto é um trabalho minucioso que mistura técnica com habilidade.
  • O Escritor Fantasma pode trabalhar a partir de textos parciais, esquemas, rascunhos ou anotações que o cliente já fez… ou pode começar do zero.
  • Um Escritor Fantasma deve conseguir pôr de parte o seu ego e aceitar a opinião do cliente.
  • Para ser bem-sucedido, este profissional precisa de interiorizar que, apesar de ser ele a escrever o texto ou o livro, o trabalho será sempre do seu cliente. E por isso o trabalho deve, acima de tudo, refletir a opinião do cliente.
  • Em relação ao trabalho de pesquisa, um Ghost Writer deverá assumir que tem de fazer um esforço extra para adquirir conhecimentos sobre a matéria que o cliente encomendou, particularmente se o tema lhe for desconhecido.
  • Além de investigar, este profissional deve recolher e organizar devidamente as informações antes de começar a redigir o texto ou a obra e depois proceder à sua revisão gramatical, ortográfica e de estilo.
  • O Escritor Fantasma deve compreender e aceitar que, tratando-se de um livro, ele será remunerado de acordo com o valor acordado para esse trabalho e não terá a participação de lucros na venda do livro.
  • Apesar dos escritores fantasma poderem não ser mencionados numa obra, há clientes que colocam o nome do autor antecedido de “com a colaboração de…” ou colocam o nome como coautor ou ainda na página de agradecimentos.
41 Visualizações 2 Total
41 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo