Níveis da Gestão

Conceito de Níveis da Gestão

Consoante o nível hierárquico ocupado na estrutura da organização (o qual coincide, normalmente, com o grau de autoridade e de responsabilidade) a gestão pode ser dividida em gestão geral (ou de topo) e gestão funcional.

Poderá ainda ser considerado um terceiro nível da gestão, normalmente designados por supervisores, que corresponde a uma categoria de gestores que actua directamente com os trabalhadores.

  • Gestão Geral ou Top Management: corresponde à gestão de topo da organização, competindo-lhe a adopção e implementação de medidas de gestão de âmbito geral e de interesse estratégico e ainda a coordenação das áreas funcionais.
  • Gestão Funcional: corresponde à gestão das áreas funcionais, as quais poderão ser divididas, segundo a abordagem clássica*, em:
    • Gestão da produção, que inclui as funções de análise, escolha e implementação das tecnologias e processos produtivos mais eficientes na combinação e transformação dos factores produtivos (inputs) para obtenção do máximo de bens e serviços (outputs), quer em termos de quantidade quer de qualidade.
    • Gestão de recursos financeiros, que inclui um conjunto de actividades de âmbito financeiro que procuram assegurar a rentabilidade (relação entre os capitais investidos e os resultados por eles gerados) e a solidez financeira quer no curto quer no longo prazo, bem como o financiamento da actividade e dos investimentos e a aplicação de fundos excedentários.
    • Gestão de recursos humanos, que decorre directamente da necessidade de integração dos objectivos sociais nos objectivos económicos e inclui a definição e implementação das políticas sociais e de emprego, o recrutamento e a selecção de pessoal, a gestão das remunerações e incentivos e a execução e implementação de planos de formação e desenvolvimento.
    • Gestão comercial/marketing e de mercados, cujas funções mais importantes são o estudo do mercado, e das suas principais tendências, nomeadamente a análise da evolução das necessidades e preferências dos consumidores, das estratégias e políticas de marketing desenvolvidas pelos concorrentes, a avaliação das diferentes medidas de marketing levadas a cabo pela organização, o estudo do mercado dos fornecedores, e ainda a preparação e execução de políticas específicas de âmbito comercial e de marketing por forma a maximizar o volume de vendas através da adequada satisfação das necessidades dos consumidores.

Mais recentemente, com o desenvolvimento proporcionado pelos avanços tecnológicos e com a globalização das economias, têm surgido outras áreas da gestão funcional, das quais se destacam a gestão da informação, a gestão de tecnologias informáticas, a gestão da inovação, a gestão de negócios internacionais, entre outras.

  • Supervisores: são os gestores que têm o contacto directo com os trabalhadores competindo-lhes a implementação das indicações ou ordens provenientes dos gestores de topo e dos gestores funcionais. Consoante o maior ou menor grau de descentralização na tomada de decisões, também podem tomar decisões ao nível da organização das tarefas e participar no planeamento das actividades.

* A divisão funcional clássica é aqui apresentada apenas como exemplo. Na verdade existem muitas outras estruturas organizacionais que fazem a divisão por outras formas.

8498 Visualizações 1 Total
8498 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo