Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP)

O IGCP é a entidade pública a quem compete, gerir, de forma integrada, a tesouraria, o financiamento e a dívida pública direta do Estado, a dívida das entidades do setor público empresarial cujo financiamento seja assegurado através do Orçamento do Estado e ainda coordenar o financiamento dos fundos e serviços dotados de autonomia administrativa e financeira, em obediência às orientações definidas pelo Governo através do membro responsável pela área das finanças.

Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública – IGCP, E.P.E. é a entidade pública a quem compete, gerir, de forma integrada, a tesouraria, o financiamento e a dívida pública direta do Estado, a dívida das entidades do setor público empresarial cujo financiamento seja assegurado através do Orçamento do Estado e ainda coordenar o financiamento dos fundos e serviços dotados de autonomia administrativa e financeira, em obediência às orientações definidas pelo Governo através do membro responsável pela área das finanças.

Desse modo o IGCP assegura:

  • A estabilidade no financiamento público e eficiência na gestão da carteira da dívida pública;
  • A minimização do custo da dívida numa perspetiva intertemporal, de acordo com as estratégias de risco definidas pelo Governo;
  • A redução dos saldos de tesouraria para níveis de segurança mínimos aceitáveis, em função de um desiderato de diminuição da dívida em circulação e consequentemente redução dos encargos financeiros do Estado.

Constitui outrossim missão do IGCP, E.P.E, no âmbito das atribuições do Ministério das Finanças em matéria de execução da política económica e financeira do Governo, contribuir para o desenvolvimento dos mercados financeiros.

Existem dois importantes instrumentos de emissão de dívida Pública, as Obrigações do Tesouro (OT) e Bilhetes do Tesouro (BT), que são colocados em mercado primário através de operadores especializados, os Operadores Especializados de Valores do Tesouro (OEVT) e os Operadores do Mercado Primário (OMP) para as OT e os Especialistas em Bilhetes do Tesouro (EBT) para os BT.

Alguma história sobre a gestão da dívida pública

A criação do IGCP em 1992, constituiu um importante passo na construção das condições à adaptação harmoniosa do país ao cenário do Euro, tendo em vista o elevado grau de especialização financeira exigida para um eficiente e rigoroso exercício da atividade de emissão e de gestão da dívida pública.  Para que a redenominação da dívida de escudos para euros fosse um sucesso, o IGCP apetrechou-se dos meios necessários que  lhe permitiram enfrentar um mercado alargado e competitivo.

Após 1999 e tendo por objetivo a modernização e dinamização do mercados de capitais portugueses, bem como para responder à globalização, foi criado o Mercado Especial de Dívida Pública (MEDIP), onde são negociadas as OT e os BT, utilizando-se para tal uma plataforma eletrónica, tendo sido criada a MTS-Portugal, empresa responsável pelo sistema de negociação.

Os anos de 2005 e 2006 são de grande importância para a dívida pública portuguesa, com a emissão de OT a 15 e 30 anos, respetivamente, o que permitiu alongar a curva de rendimentos portuguesa, à semelhança com o registado  por  outros soberanos europeus.

Em agosto de 2012, com a publicação  no dia 28 de agosto  do  Decreto-Lei 200/2012, dá-se início a uma nova  e importante transformação na instituição, passou a ter a designação  de Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública – IGCP, E.P.E. ou seja passou a ter o estatuto  de entidade pública empresarial e para além da gestão  da tesouraria, da dívida pública, passou a ter a responsabilidade de gerir dívida das entidades do setor público empresarial, coordenar o financiamento dos fundos e serviços dotados de autonomia administrativa e financeira, bem como passou a ter a competência de leiloeiro no contexto do mercado regulamentado europeu de leilões de licenças de emissão de gases com efeito de estufa.

O ano de 2013 fica marcado pela criação de mais um instrumento de dívida a retalho, os Certificados do Tesouro Poupança Mais (CTPM), instrumentos de dívida pública, destinados à poupança das famílias, apresentando taxa fixa garantida.

Cada vez mais à instituição lhe é reconhecida eficiência e confiança pelos dirigentes governativos, atribuindo-lhe mais competências, conforme determinou a Lei n.º 18/2013  e o  Dec Lei 133/2013.

Com a publicação  dos dois diplomas, o IGCP, E.P.E passou a  gerir as carteiras de derivados financeiros das empresas públicas reclassificadas e emitir pareceres sobre as operações de financiamento daquelas empresas, bem com das empresas públicas não reclassificadas, nos termos e para os efeitos previstos no Novo Regime do Setor Empresarial do Estado.

288 Visualizações 1 Total

References:

http://www.igcp.pt/gca/?id=43

288 Visualizações

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo

Flag Counter