Especulação financeira

Especulação financeira consiste em apostar acerca da evolução do futuro de um país ou de uma empresa.

Especulação financeira consiste em apostar acerca da evolução do futuro de um país ou de uma empresa. Por exemplo, se os investidores acreditam que uma empresa pode falir, tendem a desfazer-se das ações que possuem dessa empresa ou então a adquirir proteção contra essa falência, por exemplo, através da aquisição de Credit Default Swaps (CDS).

O movimento das bolsas de valores resulta, em grande parte, de manobras especulativas. Um grande número de agentes ou um único agente – desde que suficientemente poderoso – pode, através de operações vultosas de compra ou venda das ações de uma empresa, forçar uma alta ou uma baixa dos preços. Se o preço das ações aumenta, outros investidores, acreditando que os preços possam subir ainda mais, compram também. Tais expectativas podem se concretizar ou não.

A especulação financeira foi um dos fatores que levaram à crise de 1929, quando houve o crash da bolsa de Nova Iorque. Neste caso, ficou claro que havia uma enorme diferença entre o preço esperado das ações e o valor real dos ativos das empresas. A diferença correspondia à especulação ou à expectativa de lucros dos especuladores.

Por conseguinte, um especulador é um participante do mercado que espera que o retorno dos seus investimentos seja primariamente providenciado pelas ações (compras/vendas) dos outros participantes no mercado. Opõe-se ao conceito de investidor  – o participante que espera que o retorno dos seus investimentos seja primariamente providenciado pelos fluxos financeiros gerados pelo ativo no qual investe. A especulação é o risco não assumido pelo investidor e é considerada uma prática nefasta, podendo provocar a quebra dos mercados financeiros, em benefício de alguns especuladores.

Alguns especuladores importantes:

  1. Jordan Belfort

O protagonista da história que se passa no filme “O lobo de Wall Street”, Belfort foi um especulador dos “bons”. Ele vendia a pequenos investidores ações conhecidas como penny stocks, ações que valem centavos. Ele vendia aos seus clientes ações de empresas que ele sabia que não valiam nada fazendo com que estas aumentassem seu valor sem nenhum fundamento real. O total da fraude? Algo em torno de 145 milhões de euros.

2. Bernard Madoff

Este investidor fez o que muitos empresários fazem, o famoso esquema de pirâmide. Com essa brincadeira, ele conseguiu 48 milhões de euros e hoje possui uma pena de 150 anos de prisão.

3. Allen Stanford

Outro investidor que resolveu brincar de pirâmides, Stanford roubou 5 milhões de euros e hoje também cumpre pena de 110 anos. Neste caso também houveram indícios de lavagem de dinheiro, especulação de mercado além de especulação no mercado imobiliário.

835 Visualizações 3 Total

References:

Silva, Miguel (2013). Bolsa – Investir nos Mercados Financeiros. 1ª Ed. Lisboa: Bookout.

835 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo