Composição de imagem

A composição de imagem é o arranjo dos elementos no ecrã, seja esta uma pintura ou desenho, uma imagem fotográfica ou televisiva.

Os principais elementos que fazem parte da composição de qualquer imagem são o assunto principal, o primeiro plano e os motivos secundários, e todos estes componentes têm de estar em harmonia, de forma a potenciar ao máximo a qualidade estática da imagem; por outro lado, há ainda que ter em conta a textura, o equilíbrio de cores, ou as formas, entre outras variáveis que, combinadas, formam uma imagem comunicativa e agradável de se ver.

A composição da imagem deve ter como objetivo alcançar um efeito emocional, passar um clima, quebrar a monotonia. No entanto, compor uma imagem corretamente não passa apenas pela criação de imagens consideradas “bonitas” ou esteticamente apelativas, as imagens devem ser apropriadas, devem ser capazes de veicular uma mensagem através da disposição dos seus elementos. O enquadramento, ou seja, aquilo que se vê da imagem, o ponto de vista que é transmitido deve ser feito de modo a que o espectador olhe o que se deseja, fixe a atenção nalgum ponto da cena. E esse centro de interesse pode estar no primeiro plano, no meio ou atrás. É preciso levar em conta a forma, o tamanho e a importância na cena de pessoas ou objetos.

Se uma imagem não está bem composta, o espectador desvia a sua atenção para um ponto menos relevante da cena, o que pode resultar numa inadequada apreensão da mensagem. Por este motivo, é de extrema importância que os elementos de uma cena estejam ordenados de maneira que tenham sentido para o espectador, e de modo a que este consiga observar o quadro por inteiro e não só o motivo principal.

O espectador é assim, um dos fatores mais relevantes para o modo como se vai construir determinada imagem, já que é para ele que a imagem é composta, e é a ele que caberá compreender o seu significado; toda e qualquer imagem é constituída com um objetivo concreto, e um dos fins a que qualquer imagem se destina é ser observada por um espectador, o qual a interpretará de formas diferentes tendo em conta o contexto social e cultural onde está inserido, os seus conhecimentos prévios, os seus gostos pessoais, entre várias outras condicionantes que vão influenciar a forma como uma imagem é apreendida. Neste sentido, a importância da composição da imagem torna-se ainda mais relevante, pois cada espectador já é tão influenciado pelo seu contexto exterior no modo de perceber a imagem, que a composição desta dever ser da leitura mais fácil e, ao mesmo tempo, interessante possível.

Numa perspetiva mais técnica, podem dividir-se os elementos visuais que compõem uma cena em:

massa: pessoas, objetos, etc.;

profundidade: perspetiva, profundidade real ou aparente da cena;

linhas: direção dos movimentos, linhas da cena;

tonalidade: tons das cores, brilhos e contrastes.

O controlo desses elementos é feito com a adequada colocação da câmara, com a seleção da distância focal, com a iluminação ou mesmo com o arranjo dos objetos e pessoas.

Existem diversas regras para composição utilizadas na pintura, na fotografia e no cinema que auxiliam na composição do quadro, tornando as imagens mais harmoniosas e equilibradas, sendo as duas regras que mais se destacam a regra do equilíbrio e a regra dos terços.

O equilíbrio numa imagem pode ser atingido através de uma cuidadosa distribuição dos elementos numa cena. Deste modo, os elementos devem ser posicionados segundo o seu “peso visual”, que intuitivamente é associado a cada elemento, isto é, objetos grandes pesam mais que objetos pequenos e objetos escuros pesam mais que objetos claros.

O equilíbrio também se estende à composição vertical, e assim a composição fica mais natural se os objetos mais pesados ficarem abaixo dos mais leves.

Por fim, a composição pode ainda ser simétrica ou assimétrica, no que diz respeito à massa dos elementos. Na composição simétrica os motivos situados no mesmo eixo têm o mesmo peso tornando as imagens muito formais, frias e sem criatividade, ao passo que na assimétrica a composição fica normalmente muito mais interessante e agradável.

Exemplo de composição simétrica

Exemplo de composição simétrica

Exemplo de composição assimétrica

Exemplo de composição assimétrica

A regra dos terços é umas das mais antigas e conhecidas regras no que diz respeito à co posição de imagens, sendo até apelidada pelos antigos gregos de “proporção áurea”.

Segundo a regra dos terços, o centro geométrico da tela nem sempre é o melhor lugar para situar o centro de interesse de uma cena, pelo que ao centrar-se o ponto principal da imagem, esta pode acabar por perder grande parte do seu interesse e dinamismo. Assim, a regra dos terços dita que o quadro visível deve ser dividido mentalmente em três partes, horizontal e verticalmente; as melhores imagens são aquelas em que o assunto principal não está no centro mas num dos quatro pontos de intersecção. A colocação num desses pontos vai depender do assunto e de como ele deve ser apresentado. O assunto principal e outros elementos importantes da sua composição devem ser colocados ao longo das linhas ou nos pontos onde elas se cruzam.

Divisão definida pela regra dos terços

Divisão definida pela regra dos terços

814 Visualizações 1 Total
814 Visualizações

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo

Flag Counter