Gostaria de ser nosso colaborador?

É especialista em alguma das áreas de conhecimento presentes na nossa enciclopédia? Tem gosto pela escrita? Gostaria de ser editor numa enciclopédia em português, integralmente escrita por especialistas? Gostaria de partilhar conhecimento?

Se a sua resposta é sim, então envie-nos o seu CV para geral@knoow.net para que possamos analisar e enviar mais detalhes sobre a forma de colaboração.

 

Áreas para as quais procuramos especialistas:

  •  História do Brasil
  •  História de Angola
  •  História de Moçambique
  •  Medicina
  •  Medicina Veterinária
  •  Filosofia
  •  Sociologia
  •  Contabilidade
  •  Direito
  •  Mecânica
  •  Química
  •  Física
  •  Matemática

 

Cultura Japonesa

CULTURA JAPONESA

 

A cultura japonesa é multifacetada, criada através de várias influências, mas com uma personalidade distintiva. Podemos enumerar várias expressões culturais importantes, como a caligrafia, cerâmica, escultura, pintura, teatro, cinema e literatura – em todos estes campos, os artistas japoneses alcançaram notoriedade mundial pelo seu talento.

 

INTRODUÇÃO HISTÓRICA

 

O espaço geográfico a que hoje chamamos Japão já é habitado por seres humanos há milhares de anos, mas o início propriamente dito da história japonesa dá-se por cerca do primeiro século antes de Cristo. A unificação do Japão aconteceu por volta do quarto século depois de Cristo, sob o controlo da corte Yamato.

O florescimento da civilização japonesa teve como pontos centrais Nara e depois Quioto, entre os séculos VIII e XII d.C e é essa a génese da maior parte da arte japonesa.

Os séculos que se seguiram foram marcados pela ora isolação ora contacto com o mundo ocidental, culminando com o ideal de modernização e industrialização que tem dominado o Japão até hoje.

 

EXPRESSÕES ARTÍSTICAS E CULTURAIS

 

CALIGRAFIA

 

A caligrafia japonesa é uma arte muito antiga, de origem chinesa, tal como é parte do sistema de escrita japonês. A caligrafia japonesa foi evoluindo através dos séculos, tornando-se mais minimalista e introduzindo novos símbolos que não existiam nos caracteres chineses originais. No entanto, manteve-se relativamente similar à caligrafia chinesa.

Com a divulgação do budismo zen, nasce uma nova forma de caligrafia, cujo desafio está em escrever uma determinada frase ou palavra apenas com uma pincelada. Assim, a caligrafia não informa apenas sobre o que está escrito mas também sobre o artista em si, a forma como pintou os caracteres, onde vacilou, quanta elegância demonstra ao escrever, etc. A caligrafia captura assim um momento na vida do artista que é claro para todos aqueles que lerem o que escreveu.

 

IKEBANA

 

Embora as flores sempre tenham sido um ícone literário e religioso na cultura japonesa, a arte de arranjos florais desenvolveu-se principalmente após o século XV d.C.. Esta arte está permeada de filosofia budista e shintoísta, encontrando na delicadeza e impermanência próprias das flores uma lição de vida sobre contemplar o momento presente, sabendo que irá murchar mais tarde.

Existem vários estilos de ikebana, como nageirabana, shôka, moribana e jiuûka. A diferença entre os vários estilos prende-se com a disposição e organização das flores – em alguns casos, prevalece o minimalismo e a ordem, noutros casos valoriza-se a criatividade e liberdade da obra.

 

LITERATURA

 

A nível literário, o Japão pode gabar-se de ter sido o país onde foi escrito o primeiro romance do mundo: Genji Monogatari ou o Conto de Genji, foi escrito pela Dona Murasaki Shikibu, uma dama de honra da Imperatriz Akiko. Este romance relata-nos as aventuras amorosas e não só do Princípe Genji, uma espécie de cavaleiro da época.

Durante a maior parte do período medieval, no entanto, a poesia haiku era a expressão literário reinante. Este tipo de poemas possui apenas três versos, que devem exprimir duas imagens justapostas e uma imagem “cortante” no meio, com uma estrutura silábica fixa (5,7,5 sílabas por casa frase).

No entanto, foi principalmente no século XX que a literatura japonesa começou a atrair a atenção do mundo ocidental, com escritores como Yukio Mishima, que misturaram imagens e ideias tradicionalmente japonesas com o modernismo literário nascido nas grandes cidades ocidentais, como Paris ou Nova Iorque.

 

 

CINEMA

 

O cinema japonês é um dos mais admirados em todo o mundo. Realizadores como Akira Kurosawa, Kenji Mizoguchi ou Yasujirô Ozu formaram as bases do cinema japonês e divulgaram-no pelo mundo inteiro nas décadas 40, 50, 60 e 70. As temáticas dos seus filmes eram variadas – tanto poderiam ser históricas épicas de samurais, como retratos da realidade japonesa em constante mutação, entre a tradição e a modernidade.

Hoje em dia, existem realizadores igualmente venerados, como Hirokazu Koreeda, mas o realizador mais recente que marcou a vida de milhões de crianças tanto no mundo ocidental como oriental foi Hayao Miyazaki, realizador de filmes de animação conhecido como o “Walt Disney Japonês”.

Aliás, a maioria dos jovens ocidentais conhecem a cultura japonesa precisamente através da animação de estilo manga, que deu origem a várias séries animadas como Naruto ou Dragon Ball.

166 Visualizações 6 Total

References:

 

166 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo