Gostaria de ser nosso colaborador?

É especialista em alguma das áreas de conhecimento presentes na nossa enciclopédia? Tem gosto pela escrita? Gostaria de ser editor numa enciclopédia em português, integralmente escrita por especialistas? Gostaria de partilhar conhecimento?

Se a sua resposta é sim, então envie-nos o seu CV para geral@knoow.net para que possamos analisar e enviar mais detalhes sobre a forma de colaboração.

 

Áreas para as quais procuramos especialistas:

  •  Biologia
  •  Economia
  •  História
  •  Medicina
  •  Medicina Veterinária
  •  Filosofia
  •  Sociologia
  •  Contabilidade
  •  Direito
  •  Mecânica
  •  Química
  •  Física
  •  Matemática

 

Cinema brasileiro

O cinema brasileiro é uma das artes da representação mais famosas do país no mundo, apesar de seu início conturbado e de nunca ter se fixado como indústria.

O que é o cinema brasileiro?

A expressão cinema brasileiro se refere a atividade artística da representação cinematográfica exercida no Brasil. Mundialmente muito conhecido, o cinema brasileiro surgiu em julho de 1896, mas nunca chegou a se estruturar como uma indústria, a exemplo de Hollywood.

Mesmo assim, o cinema brasileiro se tornou importante dentro da história do cinema, ganhando diversos destaques internacionais durante seus mais de 120 anos de trajetória. Durante a época do Cinema Novo, ficou ainda mais popular.

cinema brasileiro

Início da atividade

A primeira vez que os brasileiros puderam ver uma exibição cinematografica no Rio de Janeiro doi em 8 de julho de 1896. Não era um filme do cinema brasileiro, que acabara de nascer, mas sim oito curtas trazidos pelo executivo belga Henri Paillie.

Somente nos anos seguintes que foram gravados e rodados os primeiros filmes originalmente brasileiros. Destaca-se entre eles o filme “Vista da baia da Guanabara”, filmado pelo cinegrafista italiano Affonso Segretto, que supostamente foi captado em 19 de junho de 1898, ao chegar da Europa a bordo do navio Brèsil.

Outros filmes que foram feitos nesta época e merecem ser mencionados são: “Ancoradouro de Pescadores na Baía de Guanabara”, “Chegada do trem em Petrópolis”,”Bailado de Crianças no Colégio, no Andaraí” e “Uma artista trabalhando no trapézio do Politeama”.

Na virada para o século XXI, na primeira década, a atividade cinematográfica no Brasil envolvia pouco mais de 2 mil salas, que vendiam uma média de 100 milhões de ingressos anuais. Destes valores, apenas 15% era destinado a exibição de filmes do cinema brasileiro.

Desenvolvimento do cinema brasileiro

É somente nos anos 1930, quando já existe o cinema com som que as distribuidoras de filmes norte-americanos chegam ao Brasil com o intuito de investir muito dinheiro na indústria. A ideia era fazer filmes em lote. Em 1932, o presidente Getúlio Vargas cria a primeira lei de apoio ao cinema brasileiro, mas obrigando apenas a exibição de cine-jornais. No ano de 1934, não é produzido nenhum longa no país e parece que o cinema brasileiro entra em declínio.

Entretanto, Edgar Roquette-Pinto cria o Instituto Nacional de Cinema Educativo e chama o diretor Humberto Mauro para participar. Mauro produz o filme épico “O Descobrimento do Brasil” em 1936, relembrando a força que tem o cinema brasileiro no mundo.

Durante os anos a seguir, até a década de 1950, houve diversas tentativas de industrialização do cinema brasileiro, quase todas em vão. Quando surgem as Chanchadas e o Cinema Novo, no Rio de Janeiro, Moacir Fenelon, José Carlos Burle e Alinor Azevedo criam a Atlântida Cinematográfica, sem grandes investimentos em infraestrutura mas com produção constante. Surgem daí inúmeros filmes que mais tarde tornar-se-ão grandes clássicos deste cinema.

Conquista do mercado

Passada a era do Cinema Novo, das Pornochanchadas e da Embrafilme, o cinema brasileiro ganha um novo rumo: a conquista do mercado. É a partir da década de 1970 que o cinema brasileiro começa a se destacar mais, especialmente dentro do próprio Brasil.

Nos anos 1980, surgem filmes como: “Jango” (1984), de Sílvio Tendler; “Conterrâneos velhos de guerra” (1989), de Vladimir Carvalho; e a obra-prima “Cabra marcado para morrer” (1984), de Eduardo Coutinho.

Na era Collor, no início dos anos 1990, o cinema brasileiro sofreu outro declive, pois o presidente Fernando Collor de Mello revogou os insentivos na área, encerrando a Embrafilme, o Concine, a Fundação do Cinema Brasileiro, o Ministério da Cultura, as leis de incentivo à produção.

A retomada só se deu no governo Itamar Franco, em 1992.

Filmes brasileiros mais famosos no mundo

Posição Título Direção Produção Ano Público
1 Os Dez Mandamentos – O Filme Alexandre Avancini Record Filmes 2016 11 305 479
2  Tropa de Elite 2 José Padilha Zazen Produções 2010 11 146 723
3 Dona Flor e Seus Dois Maridos Bruno Barreto Luiz Carlos Barreto 1976 10 735 524
4 Minha Mãe É Uma Peça 2 César Rodrigues Migdal Filmes 2016 9 811 431
5 A Dama do Lotação Neville de Almeida Regina Filmes 1978 6 509 134
6 Se Eu Fosse Você 2 Daniel Filho Total Entertainment 2009 6 112 851
7 O Trapalhão nas Minas do Rei Salomão J.B. Tanko J.B.Tanko Filmes 1977 5 786 226
8 Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia Hector Babenco HB Filmes 1976 5 401 325
9 2 filhos de Francisco Breno Silveira Conspiração filmes 2005 5 319 677
10 Os Saltimbancos Trapalhões J. B. Tanko J.B.Tanko Filmes 1981 5 218 574
11 Os Trapalhões na Guerra dos Planetas Adriano Stuart Renato Aragão Produções Artísticas 1981 5 089 970
12 Os Trapalhões na Serra Pelada J. B. Tanko J.B.Tanko Filmes 1982 5 043 350
13 O Cinderelo Trapalhão Adriano Stuart Renato Aragão Produções Artísticas 1979 5 028 893
102 Visualizações 1 Total

References:

Bernardet, Jean-Claude. (1979). Cinema brasileiro: propostas para uma história. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

102 Visualizações

A Knoow é uma enciclopédia colaborativa e em permamente adaptação e melhoria. Se detetou alguma falha em algum dos nossos verbetes, pedimos que nos informe para o mail geral@knoow.net para que possamos verificar. Ajude-nos a melhorar.

 

 

Knoow - a divulgar conhecimento pelo mundo